Cresce o total de PCs conectados à Internet no Brasil

Um dos destaques da pesquisa do IBGE é o crescimento na aquisição de bens duráveis

São Paulo – O brasileiro está se conectando mais, enquanto o uso do celular como único aparelho de telefone cresce nos domicílios. A constatação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta sexta-feira, 21, dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2011 que mostram indicadores socioeconômicos e evidenciam o aumento da penetração da Internet e da telefonia móvel no País.

Um dos destaques da pesquisa é o crescimento na aquisição de bens duráveis. Em particular, é notável como a população está adquirindo mais PCs com acesso à Internet: o crescimento foi de 6,375 milhões de domicílios (39,8%) em relação a 2009, totalizando 22,368 milhões de residências, o maior crescimento entre os bens duráveis na pesquisa. De acordo com o Pnad, a penetração da Internet no País chegou a 37,1% em 2011.

Por outro lado, mais 3,883 milhões de domicílios possuíam computador à época do levantamento, mas sem conexão à Internet. A falta de acesso não impediu o crescimento da presença de computadores sem acesso, aumentando 29,7% em relação a 2009.

De qualquer forma, o número de internautas cresceu no País. Segundo a Pnad, em 2011, 77,7 milhões de pessoas acima dos 10 anos de idade declararam ter usado a Internet até três meses antes da data de entrevistas, o que representou um aumento de 14,7% em relação a 2009. Nesse intervalo de dois anos, todas as regiões do Brasil registraram crescimento nesse percentual, com o Centro-Oeste como destaque com 17,2%. Excetuando grupos de pessoas com mais de 40 anos, todos tiveram percentuais acima de 50%, com destaque para o grupo de adolescentes de 15 a 17 anos (74,1%) e jovens de 18 e 19 anos (71,8%). Entre as pessoas acima de 50 anos, apenas 18,4% afirmaram ter utilizado a Internet no período pesquisado.


Penetração de celular

Entre os bens duráveis, o telefone celular também passou a ser mais utilizado, com um crescimento de 26,6% no período. Interessante notar que o número de residências que contam apenas com o aparelho móvel como serviço de telefonia também cresceu: 6,325 milhões a mais do que em 2009, aumento de 26,7% que totalizou 30,030 milhões de domicílios e representa uma penetração de 49,8%. Em contrapartida, os lares com somente o telefone fixo vêm diminuindo desde 2002 e hoje representam apenas 3,5% da base, ou 2,116 milhões de residências.

Domicílios com telefone tanto fixo quanto móvel totalizaram 22,461 milhões em 2011 (penetração de 37,2%), um aumento discreto de 672 mil ou 3,08% a mais do que em 2009. No total, considerando tanto o serviço móvel quanto o fixo, a telefonia chega a 90,6% dos lares brasileiros, ou 54,609 milhões de residências.

O grupo que mais usa o celular, segundo a pesquisa do IBGE, é o de pessoas entre 25 a 29 anos (83,1%), e o menor é entre crianças de 10 a 14 anos (41,9%). No geral de pessoas com 10 anos ou mais, 61,9% tinham um telefone móvel para uso pessoal em 2011.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.