Brasileiros são os turistas que mais postam em redes sociais

De acordo com um estudo, de todas as redes sociais, o Facebook é a mais utilizada pelos brasileiros durante as viagens

São Paulo – Para o brasileiro não basta viajar, tem que compartilhar todo o roteiro nas redes sociais. Uma pesquisa feita com turistas de 20 países revela que 58% dos brasileiros fazem postagens nas redes sociais enquanto estão viajando. Essa porcentagem aumenta para 70% entre os jovens de 23 a 25 anos do país.

O número impressiona, principalmente se a comparação for com os últimos do ranking: Bélgica e Dinamarca. Apenas 16% dos turistas desses países publicam atualizações nas redes sociais durante suas viagens.

De todas os apps citados pelos entrevistados brasileiros, o mais utilizado para fazer as postagens é o Facebook (90%). Em seguida vem o WhatsApp, com 72%, o Instagram (52%) e o Twitter, com 34%. O estudo ainda mostra que 88% dos turcos e 85% dos portugueses também preferem o Facebook enquanto viajam.

Entre os turistas chineses, apenas 10% disseram usar o Facebook e 1% afirmou que usava o WhatsApp. Isso já era esperado, uma vez que o WeChat é muito mais popular do que o WhatsApp na China. Por lá, ele é usado por oito em cada dez pessoas.

Os brasileiros também estão no topo da tabela quando o assunto é acesso à internet sem fio. Segundo a pesquisa, 97% dos turistas afirmam que priorizam estabelecimentos que oferecem conexão Wi-Fi. Esse fator não é tão importante para alemães e austríacos: apenas 21% dos entrevistados disseram levar esse ponto em consideração.

Outra categoria que os brasileiros são líderes é a do uso de pau de selfie. O dispositivo é utilizado por 55% dos cidadãos para tirar fotos durante viagens. Enquanto os brasileiros adoram o gadget, 39% dos britânicos, 34% dos australianos e 31% dos americanos entrevistados disseram que se incomodam com os turistas que o uitlizam.

O estudo foi feito pela empresa Radius Kommunikation para o Momondo, um buscador de passagens aéreas e reservas de hotéis. Os dados foram coletados entre os dias seis e 13 de janeiro de 2016 a partir de um levantamento online. Participaram da pesquisa 973 brasileiros com idades entre os 18 e os 65 anos.