Asus Zenbook UX21

logo-infolab

Leve e poderoso, o Zenbook é um belo representante da nova safra de ultrabooks, os laptops fininhos e fáceis de transportar. O corpo de alumínio com tela de 11,6 polegadas pesa 1,2 kg. A espessura não passa de 1,7 centímetro na parte menos estreita. O modelo impressiona pela capacidade de trabalhar com diversos tipos de aplicativos de forma tão tranquila quanto outros notebooks com telas de 13 a 16 polegadas testados no INFOlab. Na comparação com laptops maiores, só ficou atrás ao rodar games 3D mais complexos. No lugar do HD, usa drive de memória flash (SSD). Uma das vantagens é a rapidez ao ligar. A desvantagem é o menor espaço para arquivos.

A categoria ultrabook é uma invenção da Intel, mas foi a Apple que criou o patriarca da categoria, o Macbook Air. É natural, portanto, justapor linhas mais novas de ultrabooks ao modelo estabelecido pela Maçã. No caso, a comparação se torna ainda mais inevitável quando se observa que o Zenbook e o Air são muito similares, tanto em design quanto em configuração. 

Ambos utilizam exatamente o mesmo processador: um Core i5 2467M, com dois núcleos rodando a 1,6 GHz (com overclock dinâmico de até 2,3 GHz). A ausência de uma placa de vídeo faz com que os dois computadores dependam da Intel HD Graphics 3000, que é uma ótima controladora gráfica para os padrões do vídeo on board. Dependendo da configuração escolhida, eles também podem compartilhar a mesma quantidade de RAM: 4 GB. 

A diferença, em termos de configuração básica, só aparece no fato de que o Zenbook usa um SSD de 128 GB com SATA 6 Gb/s, enquanto o SSD do Macbook Air (igualmente capaz de armazenar 128 GB de dados) utiliza SATA 3 Gb/s. Em teoria, essa conexão dá a dianteira para o Zenbook quanto ao tempo de acesso de arquivos, mas essa vantagem é pouco perceptível no uso cotidiano. 

Previsivelmente, Zenbook e Macbook Air obtiveram pontuações muito próximas nos benchmarks. No PCMark Vantage, que avalia o desempenho geral, a máquina da Asus marcou 8431 pontos. Já o desempenho gráfico foi mensurado em 3796 pontos pelo 3DMark06. Posta em perspectiva ou considerada por si mesma, é difícil censurar a seleção de circuitos do Zenbook. Tanto no papel quanto no uso real, o desempenho desse notebook não desaponta. 

 Benchmark PC Mark Vantage (em pontos)
Barras maiores indicam melhor desempenho

Apple Macbook Air 11,6”

8.456
Asus Zenbook UX21

8.431

Samsung Série 9

8.063

Sony Vaio SB15GB

5.830

Benchmark 3DMark06 (em pontos)
Barras maiores indicam melhor desempenho

Sony Vaio SB15GB

5.123

Apple Macbook Air 11,6”

4.167

Asus Zenbook UX21

3.796

Samsung Série 9

2.008

As semelhanças acabam quando examinamos as conexões do Zenbook, que é bem mais completo que o Macbook Air nesse ponto. Ele possui uma USB 2.0 convencional e uma USB 3.0 que pode ser utilizada para carregar outros eletrônicos mesmo quando o computador está desligado. As redes sem fio estão bem representadas com Wi-Fi n e Bluetooth 4.0. Já as conexões de vídeo são se dão através de uma Mini-VGA e de uma microHDMI. 

Para suprir a falta da porta ethernet, a Asus incluiu um adaptador USB. Claro, é preciso ressalvar que ele se limita a proporcionar conexões de padrão Fast Ethernet, mas pelo menos as redes cabeadas não foram completamente ignoradas. Outro adaptador que foi incluído na embalagem é um Mini-VGA/VGA, o que representa uma decisão bastante sensível da Asus, considerando que essa saída de vídeo está em processo de extinção. O HDMI, no entanto, ficou de fora desse banquete de adaptadores. Quem quiser ligar o Zenbook a uma TV moderna provavelmente vai precisar de um cabo extra.

Falando em mídia, enquanto a tela desse computador não tem nada de especial, o áudio é simplesmente o melhor áudio de ultrabook já testado no INFOlab. Reprodução de sons sempre foi um ponto fraco dessas máquinas porque elas são, em geral, finas demais para conter uma boa caixa acústica convencional. Mas isso não é um problema para os engenheiros da Bang & Olufsen ICEpower, que conhecem todas as brechas das leis da mecânica. Em parceria com a Asus, eles foram capazes de criar um sistema de alto falantes que produz um som potente e encorpado, irrepreensível para os padrões de um notebook.

Tal excelência de construção se repete em quase todo o design do Zenbook. Fechado, ele é uma lâmina de alumínio muito atraente, além de ser tão afiada que poderia servir de arma improvisada para qualquer protagonista de filmes de kung-fu. Mas basta desdobrar a tela para observar que que o metal dá lugar ao plástico na região do teclado, embora as teclas em si tenham uma cobertura metálica. Apesar da aparência resistente, algumas teclas (especialmente o F2) da nossa unidade ficaram evidentemente tortas depois de algum tempo de uso. Também inconveniente é o fato de que os símbolos “?” e “/” não têm uma tecla dedicada.

O touchpad do Zenbook sofreu muitas críticas logo após seu lançamento por conta da falta de precisão ao acompanhar gestos. Desde então, a Asus corrigiu esse problema com drivers novos. Ainda assim, falta um pouco de refinamento na implementação do recurso de multitoque, que às vezes não responde a gestos de três dedos. Por outro lado, o touchpad como hardware em si é amplo e bem projetado. Além disso, a Asus já deu sinais claros de que está se esforçando para melhorar esse aspecto do Zenbook.

Quem se aventurar a abrir esse computador vai encontrar uma motherboard espremida por uma bateria que ocupa cerca de dois terços do corpo. A organização interna é primorosa, mas, como todos os ultrabooks que já passaram por aqui, o Zenbook não foi pensado para permitir expansões. A duração da bateria também segue o resto da categoria: 81 minutos rodando Battery Eater.

Duração da bateria em uso intenso
Barras maiores indicam melhor desempenho

Samsung Série 9

2h17min

Apple Macbook Air 11,6”

1h25min

Asus Zenbook UX21

1h21min

Sony Vaio SB15GB

1h03min

Afinal, como o Zenbook se compara com o Macbook Air? Em termos de puro e simples poder de computação, os dois são quase indistinguíveis na esmagadora maioria das situações. Ambos têm um acabamento elogiável, mas o Macbook Air é um pouco mais refinado no aspecto físico. Por outro lado, o Zenbook parece ser ligeiramente mais adequado para servir como a máquina primária de uso geral por conta da sua seleção de conexões e do excelente sistema de áudio.

Para complicar o dilema, há ainda a questão do preço. Enquanto lá fora o Zenbook é um pouco mais barato que o Macbook Air, no Brasil a situação é inversa. O preço sugerido do Zenbook UX21, 3.999 reais, é consideravelmente maior do que o preço de um Air de configuração equivalente(3.499 reais). Com essa diferença seria possível comprar o Windows Home Premium e instala-lo no Air, embora seja preciso considerar que isso limitaria ainda mais o já escasso espaço de armazenamento. Se o preço é desconsiderado, os usuários mais fiéis do Windows encontram no Zenbook um Air um pouco mais versátil e livre do logo da maçã.

Vídeo

http://videos.abril.com.br/info/id/2c9f94b4349c2f5601349e89dfae0074

Ficha técnica

Tela 11,6”
Processador Intel Core i5 – 2467M 1,6 GHz
RAM 4 GB
Armazenamento SSD de 128 GB
GPU Vídeo on board
Peso 1,2 kg
SO Windows 7 Home Premium
Duração de bateria 1h21min

Avaliação técnica

Prós Boa configuração; conectividade razoável; áudio excelente; design atraente;
Contras Teclado frágil;
Conclusão Além de ser fácil de transportar, o Zenbook oferece uma gama de recursos suficiente para desempenhar o papel de computador principal para usuários que não dependem do drive óptico;
Configuração 8,6
Vídeo e áudio 8,0
Usabilidade 8,0
Bateria 7,2
Média 8.2
Preço 3999