App Você Fiscal vai fazer apuração paralela das eleições

O especialista Diego Aranha desconfia da urna eletrônica. Com financiamento coletivo, ele desenvolve o Você Fiscal, app que vai fazer uma apuração paralela

São Paulo – Você confia na urna eletrônica? Especialista em segurança digital e votação eletrônica e professor do Instituto de Computação da Unicamp, Diego Aranha não põe a mão no fogo pela maquininha. E ele diz ter motivos para isso.

Em 2012, Aranha participou de testes abertos realizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e detectou falhas no software da urna. Por conta disso, ele decidiu criar, para as eleições 2014, o Você Fiscalapp que se propõe a realizar uma apuração paralela do pleito.

Com meta inicial de captar 30 mil reais, o Você Fiscal já levantou cerca de 50 mil reais no site de financiamento coletivo Catarse

Em entrevista a EXAME.com, o especialista explicou por que não confia no atual modelo de urna eletrônica e como funciona o app que está criando. A seguir, leia os melhores trechos do bate-papo

EXAME.com – Você confia na urna eletrônica?

Diego Aranha – Desde 2012, não confio. Naquele ano, participei de testes realizados pelo TSE que apontaram vulnerabilidades no sigilo do voto e na totalização dos resultados. O sistema é baseado num software que não fornece, ao eleitor, um recibo que diga em quem ele votou. Se alguém com acesso ao sistema o manipula, nenhum dos mecanismos de segurança disponíveis consegue barrar o ataque.

EXAME.com – Que falhas você detectou em 2012? 

Diego Aranha – Detectei erros que 80% dos meus alunos conseguem resolver em provas. Tivemos cinco horas para analisar entre 10 e 20 milhões de linha de código. Em cinco minutos, descobrimos uma forma de desfazer o armazenamento embaralhado dos votos. Isso permite que você saiba em quem votou certo eleitor. Basta conhecer o horário em que ele foi à urna. Encontramos, ainda, falhas relacionadas à soma dos votos e outros problemas.

EXAME.com – E foi por isso que você decidiu criar o Você Fiscal?

Diego Aranha – Sim. O Você Fiscal será um app para Android. Em desenvolvimento há duas semanas, ele vai instruir o usuário a tirar uma sequência de fotos dos boletins de urna. Esses boletins chegam a ter dois metros de comprimento e relacionam todos os votos registrados por cada urna. No dia da eleição, teremos um servidor recebendo essas fotos e somando os votos. No fim, teremos uma base de dados comparável à do TSE.

EXAME.com – Quantos boletins devem ser analisados?

Diego Aranha – Ao todo, são cerca de 430 mil urnas. Para cada uma, haverá um boletim. Eu ficaria muito satisfeito se a gente tivesse de 3% a 5% dos boletins de urna. Seria um número bem significativo. Ainda mais se a gente considerar o viés específico dos eleitores com smartphone Android no Brasil.

//www.youtube.com/embed/tsMMi2Sq7uI

EXAME.com – E em quanto tempo vocês esperam encerrar essa apuração paralela?

Diego Aranha – Uma coisa que a gente não vai ter é pressa. Nossa intenção é tentar publicar os dados entre o primeiro e o segundo turno. Eleições não precisam bater recorde de velocidade. Nosso objetivo não é fazer como o TSE, que oferece rapidamente um resultado que não pode ser verificado. Tanto que as fotos e o nosso código-fonte estarão disponíveis na internet.

EXAME.com –  Existe algum planejamento em relação a fotos falsas e outros problemas que possam acontecer?

Diego Aranha – Temos um grupo que vai monitorar possíveis casos de fotos alteradas de boletins. Além disso, partidos e Justiça Eleitoral têm acesso a cópias físicas dos boletins.  Então, no caso de uma discrepância muito grande entre os nossos resultados e os oficiais, podemos enviar uma notificação à Justiça pedindo esclarecimentos. 

EXAME.com – Vocês se preocupam com essa possibilidade?

Diego Aranha – Estamos trabalhando com muita cautela e responsabilidade. Nosso objetivo não é criar ruído. As fotos não têm valor jurídico, mas podem servir como indício se algo estranho acontecer. E, em último caso, temos o documento oficial da Justiça para resolver qualquer discrepância.

EXAME.com – Como o Você Fiscal está sendo recebido pela sociedade?

Diego Aranha – Vou ser sincero: a gente não esperava nem bater meta no Catarse. Fiz um vídeo bem porquinho e a coisa deu mais certo do que eu imaginava. Temos uma página com 3 mil likes no Facebook, 30 mil visualizações do vídeo que explica o app e mais de 800 pessoas que já doaram dinheiro para nossa ideia. Acho que, para quem doou, não faz sentido não usar.

Resposta do TSE

Procurado por EXAME.com, o TSE informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que a urna eletrônica é segura, tem “100% de eficácia comprovada” e, por isso, não deve passar por testes ou mudanças drásticas nos próximos meses.