App que sincroniza músicas em vários celulares chega ao Brasil

Sem alto-falantes, aplicativo faz som tocar em smartphones para propagar a música por todo o ambiente

São Paulo — Imagine que você quer organizar uma festa, mas não tem equipamento de áudio para reproduzir músicas. Um aplicativo grátis para smartphones, que desembarca oficialmente no Brasil nesta semana, pode resolver isso e tornar o seu evento um tanto diferente.

Chamado AmpMe, ele sincroniza a sua playlist musical com diversos smartphones Android e iPhones. Com isso, o som é propagado por todo o ambiente com o uso dos alto-falantes de vários smartphones. Este vídeo mostra como isso funciona.

O segredo da tecnologia, segundo a empresa, é que o delay entre as músicas tocadas por celulares diferentes tem que ser muito pequeno, algo em torno de 10 milissegundos. E não adianta tentar sincronizar músicas do YouTube ou do Spotify na mão, os aplicativos desses serviços não têm a precisão necessária para gerar essa convergência sonora.

Com o lançamento do AmpMe no Brasil, a empresa terá servidores na América do Sul, para otimizar a velocidade da conexão entre aparelhos, e também lançará um recurso offline para que seja possível utilizar o aplicativo sem gastar o 4G. Fora isso, a empresa planeja festas ao som de smartphones usando o aplicativo e também competições online que premiarão os melhores vídeos feitos mostrando o uso do AmpMe.

A criação do app

Martin-Luc Archambault, fundador e CEO da AmpMe, conta que teve a ideia do app quando estava na casa de amigos que haviam acabado de se mudar e ainda não tinham tirado o aparelho de som das caixas. Ele tentou sincronizar mais de um smartphone para amplificar o volume da música, mas descobriu que isso não era possível, a sincronia não ficava boa o suficiente para substituiu um alto-falante comum. A partir de então, ele começou a criar o aplicativo AmpMe e quer promovê-lo como uma forma de unir as pessoas por meio da música.

“A música deixa as pessoas felizes. Em um show, todo mundo grita e tem arrepios quando ouve a banda tocar. A música é melhor quando ouvida junto a outras pessoas e os smartphones são mais usados para reproduzir músicas do que qualquer outro alto-falante no mundo”, disse Archambault, em entrevista a EXAME.com.

Monetização

Por ora, a empresa não tem um plano declarado de monetização. Para tirar o projeto do chão, Archambault investiu 1,5 milhão de dólares do próprio bolso e também captou mais 9 milhões de dólares de investidores.

“Tivemos certa sorte porque nossos investidores entendem nossa visão e nos ajudaram a oferecer o app para diversas pessoas e nós as deixamos felizes. Eventualmente, isso vai levar à monetização”, disse o fundador do app.

Ele conta também que o seu aplicativo é viral por natureza. Quando alguém o descobre, pede para que seus amigos o baixem para que possam testar.

Em uma ação de divulgação do AmpMe em Montreal (Canadá), mais de 22 mil smartphones foram usados simultaneamente para tocar músicas. O Brasil pode ter um evento semelhante no futuro próximo, mas Archambault ainda não tem planos públicos sobre onde usará o app no nosso país. Veja o vídeo de Montreal a seguir.