App de terapia brasileiro agora tem videochamadas

Usuários poderão interagir com terapeutas em vídeos para interpretação de linguagem corporal e aumento de empatia

São Paulo — O aplicativo brasileiro de terapia FalaFreud ganha nesta semana suporte para videochamadas. O recurso era um dos mais aguardados por seus usuários e permite que o terapeuta possa avaliar sinais não verbais, como a linguagem corporal do paciente virtual.

A novidade, disponível nos aplicativos para Android e iPhone, também altera os planos oferecidos pela empresa atualmente. Antes, havia somente um plano, com mensagens de texto a qualquer hora do dia para terapeutas, cujo custo era de 300 reais ao mês. Agora, também há uma opção de 339 reais que dá ao assinante a possibilidade de fazer uma chamada de vídeo por mês, com duração de 45 minutos. Sessões em vídeo adicionais poderão compradas por meio do pagamento adicional de 75 reais cada.

A empresa responsável pelo FalaFreud conta que o novo aplicativo foi criado praticamente do zero para evitar problemas de desempenho, em especial, nos dispositivos Android. Na Google Play Store, é possível encontrar diversas reclamações dos usuários quanto ao desempenho e também ao preço cobrado pela assinatura do app.

Yonathan Yuri Faber e Renan Pupin são os fundadores do FalaFreud e enfrentaram resistência do Conselho Federal de Psicologia e de profissionais da área por se posicionarem como uma empresa que conectava pacientes a psicólogos. Faber conta que isso acabou desde que a companhia decidiu ampliar seu escopo de atuação de psicólogos para terapeutas.

Em entrevista a EXAME.com, Faber conta que o aplicativo cresceu 20% ao mês nos últimos meses, em termos de usuários, e que já surgiram diversos cadastros no CFP de sites de psicólogos e empresas que desejam oferecer terapia online. No total, são mais de 700 que apareceram recentemente.

Entre os rivais, se destaca o Luzz, que tem proposta parecida com a do FalaFreud, com assinatura mensal de 369 reais.

Em 2014, Faber tentou lançar no Brasil um aplicativo de caronas pagas muito semelhante ao Uber, o Zaznu, mas ele não deu certo. “Com o Zaznu, nós perdíamos dinheiro a cada corrida. No FalaFreud já conseguimos ter lucro”, declarou Faber.

O próximo passo do aplicativo agora é ir atrás das empresas para oferecer seu serviço de atendimento via aplicativo–e as chamadas em vídeo são cruciais para isso, na visão de Faber. Fora isso, o FalaFreud segue em busca de aumentar sua base de clientes. Com o código promocional EXAME, novos usuários do app ganham 50 reais de desconto na mensalidade.