São Paulo - Ele parece ter saído de um filme de ficção científica, mas tornou-se realidade e está exposto no Science Museum, de Londres, para quem quiser ver.

Rex, o homem biônico mais avançado do mundo, possui membros, pulmão, rins, coração e até sangue artificial.

O robô custou cerca de 1 milhão de dólares e foi criado por um grupo de especialistas em áreas como robótica, química, farmácia e nanotecnologia para um documentário do canal britânico Channel 4.

Para seus criadores, que o nomearam com as primeiras letras da expressão "exoesqueleto robótico" (robotic exoskeleton, em inglês), Rex representa o futuro da prótese de órgãos.

A exposição "Quanto de você pode ser reconstruído?", do Science Museum, ficará aberta desta quinta-feira até 11 de março, em Londres.

Tópicos: Ciência, Medicina, Robôs