9 ataques certeiros do grupo hacker LulzSec

O grupo hacker Lulz Security, ou LulzSec, reinvindica a autoria de ações que tiraram do ar sites do governo brasileiro. Mas ele também age no exterior. Confira episódios

São Paulo — O grupo hacker Lulz Security, também conhecido como LulzSec, diz estar por trás de ataques a alvos que vão de emissoras de TV americanas ao governo brasileiro. Sua motivação não está clara, mas parece ser vandalismo inconsequente, praticado por diversão. Veja nove dos principais episódios envolvendo o grupo. 

1 Fox, o primeiro alvo

Os primeiros ataques do LulzSec aconteceram em maio de 2011. O alvo foi o canal de TV americano Fox. Dados pessoais de profissionais da empresa, assim como seus perfis em redes sociais como o Twitter e LinkedIn, foram furtados. A ação seria uma resposta à Fox, que pouco antes chamara o rapper Common de vilão.

2 PBS, outro ataque à TV

Dizendo-se enraivecidos com a exibição de um documentário sobre o WikiLeaks, site que vazara dezenas de milhares de documentos secretos do governo americano, membros do LulzSec derrubaram o site da rede de televisão americana PBS, em maio de 2011. Em seguida, o grupo publicou senhas furtadas dos profissionais do canal.

3 Senado americano

O Senado americano também foi alvo do LulzSec. Em junho de 2011, o grupo reivindicou o ataque a um dos servidores que pertencem à Casa legislativa. Segundo a porta-voz  do Congresso, Martina Bradford, o ataque não comprometeu a segurança da rede.

4 Nintendo

O escritório da Nintendo nos Estados Unidos confirmou em junho de 2011 que os servidores da empresa de games haviam sido alvo de ataques criminosos. Horas depois do anúncio, o LulzSec postou uma mensagem no Twitter afirmando que fora autor da ofensiva. Segundo a Nintendo, nenhuma informação confidencial foi furtada.


5 Bethesda

O LulzSec divulgou, em junho de 2011, a informação de que furtara dados de 200.000 usuários de jogos da empresa de games Bethesda, conhecida por produzir o jogo Brink. O grupo acrescentou, porém, que, desta vez, não vazaria os dados, por simpatizar com os jogos da corporação.

6 Agência pública da Grã-Bretanha

Na Grã-Bretanha, o LulzSec mostrou sua força ao promover uma ofensiva ao site da agência britânica que combate o crime organizado (Soca, na sigla em inglês). Uma operação conjunta da Scotland Yard e da polícia federal americana, o FBI, culminou na prisão de um suspeito de 19 anos, considerado um dos líderes do LulzSec.

7 Infragard, parceira do FBI

O LulzSec reivindicou também o ataque ao site Infragard, organização sem fins lucrativos que possui contratos com o FBI. No episódio, o objetivo era mesmo atingir a polícia federal americana, que investiva grupos crackers.

8 CIA

O site da CIA, a agência americana de inteligência, saiu do ar por algumas horas em junho de 2011. O LulzSec, outra vez, apresentou-se como promotor do ataque. Segundo autoridades americanas, não houve vazamento de dados.

9 Twitter, Gmail, Facebook, eBay e World of Warcraft

Sem objetivo declarado, o LulzSec divulgou, em junho de 2011, um arquivo com 62.000 dados pessoais de usuários da internet, como senhas de e-mails e redes sociais – os códigos eram usados em serviços populares como Gmail, Twitter,  eBay, Facebook e o game World of Warcraft. Segundo os usuários, perfis em plataformas sociais foram infestados com imagens pornográficas.