3 coisas que o big data revela às franquias

Ferramenta ajuda redes a explorar novos mercados e controlar estoques

Além das preocupações com faturamento e marca, as franquias também têm que cuidar da gestão dos franqueados. Para fazer isso de uma forma eficiente e bem-sucedida, muitas delas têm recorrido às ferramentas de big data. A seguir, especialistas de mercado apontam como essa tecnologia pode ajudar a identificar oportunidades e melhorar a estrutura operacional das empresas:

1. Análise de mercado
Ao cruzar a base de clientes de todo o país com pesquisas e dados disponibilizados nas redes sociais, as franquias identificam as regiões com a maior concentração de consumo no ramo em que atuam. “Essa análise também revela onde há mais procura por um determinado tipo de produto”, diz Thoran Rodrigues, CEO da consultoria BigData Corp.

2. Estoque sob medida
Por meio de um sistema que captura dados de todas as suas lojas, as franquias podem dizer aos franqueados quais produtos ou serviços não estão sendo consumidos como esperado, ajudando-os a ajustar os estoques. “Ter informações obtidas com base científica é muito valioso para que o franqueado não adquira produtos que ficarão encalhados”, diz Luiz Alberto Marinho, sócio-diretor da consultoria GS&BW.

3. Redução de custos
Outra vantagem do big data é a economia operacional, uma vez que os franqueados de menor porte têm poucos recursos para investir em inteligência de dados. “Grandes marcas conseguem ter sistemas parrudos e capacidade analítica para processar dados que se traduzem em recomendações aos franqueados”, detalha Marinho, da GS&BW.

Assim, o big data tem se mostrado cada vez mais útil tanto para franquias – que conseguem, ao monitorar hábitos de consumo, direcionar ações comerciais – quanto para franqueados, já que as informações recebidas os ajudam a melhorar o desempenho e, consequentemente, o lucro.