Dólar R$ 3,28 0,59%
Euro R$ 3,67 0,11%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -1,54% 61.673 pts
Pontos 61.673
Variação -1,54%
Maior Alta 7,00% EMBR3
Maior Baixa -31,34% JBSS3
Última atualização 22/05/2017 - 17:21 FONTE

11 apps para comprar a Zona Azul digital – obrigatória em SP

A Zona Azul de papel perdeu a validade nesta semana e somente a compra de créditos digitais evita multas na cidade

São Paulo – Desde a última segunda-feira (5), os motoristas da cidade de São Paulo não podem mais usar Zona Azul de papel, somente de forma digital. Para isso, há duas opções: utilizar aplicativos de smartphones para comprar créditos ou procurar postos de venda digital credenciados pela prefeitura.

Os pontos de vendas oficiais são bancas de jornal, bares, mercados, lanchonetes, drogarias e mercados. As compras são realizadas por meio de terminais de pagamento semelhantes a máquinas de cartões de débito ou crédito.

Se você possuir um smartphone com sistema Android, iOS ou Windows Phone, a compra de créditos pode acontecer rapidamente via aplicativo. O valor máximo cobrado por uma hora de estacionamento é de 5 reais. Na compra de dez créditos, o preço é de 45 reais.

Confira as principais opções de apps para adquirir créditos de Zona Azul digital, recomendadas pela própria CET.

– SP Cartão Azul Digital (Android, iPhone)
– Vaga Inteligente (Android, iPhone)
– Digipare (Android, iPhone, Windows Phone)
– ParkMe (Android, iPhone)
– Ponto Certo (Android, iPhone)
– Estacionamento Digital (Android, iPhone)
– Zazul (Android, iPhone)
– Estaciona App (Android, iPhone)
– Panda SP (Android, iPhone)
– Zona Azul Fácil (Android, iPhone)
– 4All Zona Azul (Android, iPhone)

Após o cadastro, a compra dos créditos nos aplicativos deve ser feita com o uso de cartões ou boleto bancário. A aquisição de créditos pode ser feita na hora de parar o carro em uma das 39.179 vagas na capital paulista ou com antecedência.

Quem possui folhas de Zona Azul pode ser reembolsado, a 4,50 cada, em um posto da CET, que fica na rua Senador Feijó, 143, 1º andar, até 31 de janeiro de 2017.