Como não ser enganado e ter prejuízo na Black Friday

Consumidor deve desconfiar de descontos milagrosos, evitar compras por impulso e obter informações sobre a empresa antes de fechar o negócio

São Paulo – Antes de aproveitar os descontos oferecidos por lojas físicas e sites na Black Friday, consumidores devem planejar compras para adquirir apenas itens essenciais ou que tenham preços realmente vantajosos.

O evento começa na sexta-feira (28) e termina no domingo (30). Confira dicas da Serasa e de consultores financeiros para não ter prejuízo com as compras. 

1) Cuidado com descontos milagrosos

Nas edições anteriores da Black Friday, consumidores registraram reclamações sobre preços que foram reajustados antes do evento, o que permitiu às empresas oferecer um desconto artificial na data. A prática até rendeu piada: “preços pela metade do dobro”.

Para saber se a oferta é realmente um bom negócio e vale antecipar as compras para o Natal, o consumidor deve pesquisar preços em outras lojas, ainda que o desconto pareça tentador.

Quem já sabe o que deseja comprar deve iniciar a busca antes do período de promoções. Dessa forma, é possível verificar se o desconto anunciado é real, recomenda o advogado especialista em direitos do consumidor Ricardo Vieira de Souza. 

Alguns sites também permitem cadastrar alertas de preços relacionados a produtos específicos. Essa ferramenta também pode auxiliar o monitoramento de preços. Os alertas devem ser criados antes do início do evento, diz a educadora financeira Ana Paula Hornos.  

Para ajudar o consumidor a escapar de roubadas, o site Bizoo promete mostrar o histórico de preços das ofertas nos últimos 30 dias. Já o comparador de preços Zoom irá reunir ofertas anunciadas durante o período do evento. 

2) Não compre por impulso

O consumidor deve saber exatamente o quanto pode gastar. Para chegar ao valor, a Serasa aconselha calcular dívidas fixas e contas já assumidas ou previstas.

Além de gastos com compras de Natal e a viagem no final do ano, é necessário considerar as despesas extras que serão pagas em janeiro, como IPVA e IPTU, além de material e matrícula escolar.

O comprador também deve refletir sobre a necessidade de compra do produto. Antes de olhar os descontos, Ana Paula Hornos aconselha o consumidor a elaborar uma lista com os itens que precisa comprar para evitar tentações.

3) Se proteja contra golpes

O comprador também deve se proteger contra fraudes ao comprar pela internet. O Procon listou 449 lojas virtuais que devem ser evitadas

Durante a Black Friday, a Serasa irá permitir que consumidores consultem informações sobre a loja ou site antes da compra. Basta digitar o CNPJ da empresa no site para verificar se o registro do negócio é verdadeiro ou se a empresa tem problemas financeiros. 

É possível visualizar também endereço, telefone, ações judiciais, protestos e cheques sem fundos da loja.