Preços de imóveis têm forte desaceleração

Alta no Rio de Janeiro foi a menor em 2 anos e 8 meses; preço cai no DF pela primeira vez desde 2008

São Paulo – A alta de preço dos imóveis perdeu fôlego nas principais capitais brasileiras, segundo o índice FipeZAP. O valor pedido pelos vendedores para o metro quadrado de casas e apartamentos avançou 1,1% em dezembro. Apesar de ainda superior à inflação, o índice do mês passado está entre menores da série histórica, iniciada em janeiro de 2008. Em todo o ano passado, no entanto, os imóveis ficaram 26,3% mais caros.

A desaceleração de dezembro aponta para um cenário de acomodação durante 2012. No Rio de Janeiro, os imóveis subiram 1,1%, a menor alta em dois anos e oito meses. Outro sinal importante de desaceleração veio do Distrito Federal. Os preços caíram 0,2%, a primeira baixa no local desde o início da pesquisa.

Os resultados começam a refletir o novo momento do mercado imobiliário brasileiros. Os preços cresceram bem acima da inflação nos últimos cinco anos e já é bem difícil encontrar alguma pechincha nas grandes capitais. Com o ambiente incerto da economia mundial, muitos compradores já não se sentem tão motivados a tomar dívidas para fazer a compra financiada de um imóvel. Na cidade de São Paulo, por exemplo, as vendas de residências caíram no ano passado. Era inevitável, portanto, que todos esses fatores minassem o ímpeto dos preços.

A única cidade que segue na contramão do resto do mercado foi Recife, onde a alta alcançou 2,4% em dezembro. O estado de Pernambuco vive um momento de rápido crescimento econômico devido principalmente aos investimentos atraídos pela construção do porto de Suape. Chama a atenção o dado de que, na média, os imóveis de Recife já sejam mais caros do que em Belo Horizonte.

Veja abaixo o quadro-resumo do comportamento dos preços dos imóveis em sete grandes capitais brasileiras:

Local Resultado de dezembro Resultado de 2011 Preço médio do metro quadrado
Brasil 1,10% 26,30% R$ 6.185
São Paulo 1,40% 27% R$ 6.066
Rio de Janeiro 1,10% 34,90% R$ 7.421
Belo Horizonte 0,80% 22,70% R$ 4.619
Distrito Federal -0,20% 14% R$ 7.919
Salvador 0,70% 6,80% R$ 3.539
Fortaleza 0,60% 18,40% R$ 4.277
Recife 2,40% 30,70% R$ 4.666