Precisa de dinheiro? Crédito com garantia pode ser boa opção

Com juros baixos, crédito com garantia do carro o é indicado para substituir dívidas caras e realizar viagens, casamentos ou investir no novo negócio

São Paulo – O crédito com garantia do carro ainda é um tipo de empréstimo pouco conhecido por tomadores de crédito, mas não deveria. Basicamente, ele possibilita a troca de dívidas caras, como no cheque especial e cartão de crédito, que têm juros de até 449% ao ano, por outra mais barata, com juros de cerca de 41% ao ano – basta ter um carro para isso.

Apesar dos benefícios, como esse tipo de empréstimo coloca o seu bem em risco, é importante conhecer muito bem suas condições para que o crédito seja tomado apenas se for algo que faz sentido de acordo com suas necessidades e possibilidades.

Vantagens

As principais vantagens da linha são: a possibilidade de obter um valor de empréstimo alto; a incidência de juros inferiores à média do mercado; e prazos de pagamentos maiores. 

Também é possível dizer que o crédito com garantia do carro é mais vantajoso que o crédito com garantia do imóvel por ser menos arriscado, já que as consequências de perder um carro são menos dramáticas do que uma casa.

Mas por que exatamente seu banco não fala muito sobre isso? Simplesmente porque outras operações são mais lucrativas. “Num mercado de 1,5 trilhão de reais de dívida, o brasileiro tem cerca de 200 bilhões de reais em produtos com taxas de 200% ao ano, como cartão de crédito, empréstimo pessoal e cheque especial”, diz Sergio Furio, CEO do BankFacil, startup que realiza operações de crédito e tem a proposta de conduzir brasileiros a empréstimos com juros mais baixos.

Furio acrescenta que o Brasil tem 50 milhões de veículos e mais de 65% da frota está 100% quitada – segundo dados da Fenabrave –, o que sugere que milhões de pessoas que são proprietárias de carros poderiam usar seu bem para conseguir um crédito mais barato.

O crédito com garantia do carro aparece, portanto, como uma opção para que pessoas que possuem dívidas caras, seja porque perderam o emprego ou porque gastaram mais do que deveriam, se reorganizem financeiramente.

A linha também é indicada a pessoas que precisam de um valor maior de empréstimo para realizar uma festa de casamento, uma reforma na casa, uma viagem ou investir em um novo negócio.

Taxas

O Banco Central não divulga a taxa média cobrada no crédito com garantia do carro, mas, a pedido de EXAME.com, o site Canal do Crédito, especializado em comparação de operações, realizou uma simulação com as condições praticadas por alguns bancos. Veja a seguir.

Banco Taxa de juros efetiva Prazo Máximo (meses) Idade do Veículo % Máximo Financiado
BANCO DO BRASIL A partir de 1,88% a.m 58 Até 5 anos da data de fabricação 70%
BRADESCO Média de 3,09% a.m 50 Até 10 anos da data de fabricação 60%
DAYCOVAL Média de 2,9% a.m 48 A partir de 1996 70%
BV FINANCEIRA Média de 2,5% a.m 60 A partir de 2001 70%
BANCO PAN Média de 2,6% 48 Até 10 anos da data de fabricação 90%

Fonte: Canal do Crédito

A tabela apresenta a taxa de juros efetiva das operações que, além dos juros, inclui outros custos da operação, como taxas de abertura de cadastro, de vistoria do carro, despesas com cartório e IOF. É essa a taxa que deve ser usada pelo tomador ao comparar os custos entre diferentes bancos.

No BankFacil, por exemplo – que realiza a originação do crédito com garantia do carro para 12 instituições financeiras – a taxa de juros média praticada pelos bancos parceiros é de 2,5% ao mês, mas ao incluir os demais custos, a taxa de juro efetiva do empréstimo sobe para 2,95% ao mês, em média.

As taxas de juros praticadas costumam ser mais baixas do que em outras operações porque como o cliente oferece seu carro como garantia, o risco para o banco é menor. Para mostrar a diferença de custos na prática, veja a seguir uma comparação do valor final de uma dívida de 15 mil reais em um ano entre os principais empréstimos do mercado e o crédito com garantia do carro.  

Tipo de empréstimo Taxa de juros anual* Valor final da dívida
Crédito com garantia do carro 41,74% (taxa média do BankFacil) R$ 21.262,16
Crédito consignado 44,4% R$ 21.636,91
Crédito pessoal não consignado 126,1% R$ 33.896,71
Cheque especial 300,8% R$ 60.088,55
Rotativo do cartão de crédito 449,1% R$ 82.286,82

*Á exceção do crédito com garantia, todas as taxas de juros médias apresentadas na tabela foram retiradas da mais recente pesquisa mensal de juros do Banco Central, referente a março. No caso do crédito com garantia foi usada a taxa efetiva de juros média praticada pelo BankFacil pois o BC não tem dados dos juros médios da modalidade. 

Prazos e valores

Além de taxas menores, o crédito com garantia do carro possui prazos maiores. Enquanto empréstimos pessoais e consignados (para trabalhadores privados) possuem prazos médios de três anos, segundo dados do Banco Central, o crédito com garantia pode ter prazos de até cinco anos, como mostrado na simulação feita pelo Canal do Crédito.

Com a possibilidade de fazer empréstimos equivalentes a até 90% do preço do carro, os valores concedidos no crédito com garantia do carro também costumam ser maiores do que em outras operações, já que os bancos possuem mais segurança para emprestar mais quando um bem é usado como contrapartida na operação.

Condições para concessão

Assim como em qualquer outra linha de crédito, o empréstimo com garantia do carro está sujeito à análise de perfil do tomador e cada banco segue sua própria estratégia de avaliação de risco. No caso dos parceiros do BankFacil, por exemplo, o procedimento é realizado pela própria startup em seu site. 

Assim, o tomador acessa o site e preenche um questionário inicial que dirá se ele está pré-qualificado a receber o crédito. São avaliadas questões como sua renda, histórico de emprego, situação conjugal, além de informações constantes no SPC, Serasa e no Banco Central, que revelam se ele tem outras dívidas, seus prazos, e se está com o nome sujo.

 “Os algoritmos chegam a avaliar até mesmo a máquina que o usuário está usando e sua localização. Normalmente o empréstimo é concedido a uma pessoa que está um pouco endividada ou em uma situação difícil, mas é boa pagadora”, diz Sergio Furio, CEO do BankFacil. 

Uma vez aprovado na pré-qualificação, o cliente deve preencher um segundo questionário, mais completo, e enviar fotos de seus documentos por e-mail. Em seguida, um agente do BankFacil confirma por telefone se o tomador entendeu a operação e é marcada a vistoria do carro com um auditor independente, que vai até o cliente. Depois disso, em até 48 horas as minutas do contrato são enviadas para a assinatura do cliente e o empréstimo é finalizado.

Desvantagens

A principal e grande desvantagem do crédito com garantia é o risco de perda do bem. Por essa razão, Ronaldo Gotlib, advogado especialista em direito financeiro e operações de crédito, diz que o tomador deve ter em mente que se trata de uma operação agressiva.

“Se a pessoa tem uma dívida no cheque especial, ela vai ser cobrada, mas por mais que banco entre com uma ação judicial, a Lei da Impenhorabilidade impede que alguns bens sejam tomados, como o imóvel único de família e o automóvel usado pra trabalho”, diz Gotlib, que acrescenta que a Lei da Impenhorabilidade não é aplicada ao empréstimo com garantia do automóvel.

Cada banco procede de uma maneira em caso de atraso nas prestações do crédito com garantia, mas como regra geral, por se tratar de uma alienação fiduciária, depois de 90 dias de atraso a instituição já pode iniciar os trâmites de retomada do bem.

Apesar da facilidade de retomada do bem, Furio, CEO do BankFacil, diz que não é interessante para os bancos fazer isso. “Os bancos não querem ser uma concessionária e como o carro se deprecia, retomá-lo é sempre a última opção”, diz.

Ele reforça que os próprios clientes se policiam para não perder o bem e geralmente tomam empréstimos de até 60% do valor do carro. Assim, em caso de impossibilidade de pagamento eles vendem o bem, quitam a dívida e ainda ficam com parte dos recursos.

Ele acrescenta que no BankFacil o índice de inadimplência do crédito com garantia de carro é de 3%, inferior à taxa de inadimplência no mercado de financiamento de veículos, de 4,8%, segundo dados do Banco Central.

Planeje-se e veja se é possível fazer um consignado antes

Diante do risco de retomada do bem, Ronaldo Gotlib recomenda que o tomador busque antes outras alternativas de crédito, como o crédito consignado, que também tem juros baixos e não exige que bens sejam dados em garantia. “Como as parcelas são descontadas da folha de pagamento do tomador, sua renda é a garantia do empréstimo.” 

Caso o tomador não tenha acesso ao consignado, então o crédito com garantia do carro pode, sim, ser uma boa opção, segundo o advogado. Ainda que ele recomende o crédito com garantia do imóvel apenas em último caso, ele diz que no caso do crédito com garantia do carro o risco é bem menor caso a família possua mais de um carro ou não dependa do carro para trabalhar, por exemplo. 

“Empréstimos são vistos como algo negativo, mas o empréstimo mal planejado é que é ruim, em qualquer modalidade. A dívida com garantia do carro pode ser uma excelente opção se o objetivo for fazer uma viagem ou curso que dê ao tomador mais condições de pagar a dívida depois, por exemplo”, diz o advogado.

Para fazer esse planejamento, Gotlib recomenda que o tomador revise seu orçamento para checar sua capacidade de pagamento e compare os custos do crédito como faria ao comprar uma televisão (veja como se endividar do jeito certo).