Planejar melhor o período sabático também é gastar menos

Até pouco tempo, a pausa na carreira era privilégio de altos executivos. Hoje, mais jovens pedem demissão em busca de uma vida diferente e de experiências fora de casa

São Paulo – Qual é o seu projeto? Essa é a pergunta chave para organizar o seu período sabático. Se antes era comum fazer uma viagem de estudos ou de lazer, agora os profissionais se dedicam a um projeto de vida pode ser fotografia ou uma causa humanitária. Uma característica atual do sabático é o fato de conter um projeto pessoal organizado, com começo, meio e fim. Normalmente, a intenção é ter uma experiência diferente, não relacionada à profissão.

“O importante é que exista uma conexão forte com o projeto, que permita à pessoa dedicar-se a ele com energia”, diz o francês Sylvain Darnil, de 32 anos, gerente de marketing da Nestlé, em São Paulo, que, quando tinha 23 anos, viajou durante 14 meses com um amigo por 38 países para entrevistar gente que estava mudando o mundo, entre eles o banqueiro indiano Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz em 2006.

Quanto mais ambicioso for o projeto, mais planejamento vai requerer, desde as despesas com comida e hospedagem até a maneira como registrar a experiência que adquiriu na jornada um blog, por exemplo. Lembre-se: não é o destino final, mas sim o trajeto percorrido durante a viagem que fornece a sabedoria.

Antes de partir

Como planejar a saída

  • Faça uma previsão de todos os gastos que você terá durante a viagem, como acomodação, transporte e alimentação.
  • Inclua os meses entre a demissão e o início da viagem. Acrescente mais seis meses para, na volta, procurar emprego.
  • Adicione mais 25% do valor total à soma final para cobrir gastos imprevistos de viagem.
  • Não se esqueça de incluir gastos que continuarão ocorrendo no Brasil durante a viagem, como contas e plano de previdência.
  • Após fazer essas previsões, avalie quanto dinheiro você tem e quanto ainda falta economizar para atingir o orçamento da viagem.
  • Calcule quantos meses serão necessários para juntar a verba.

Fonte: Mauro Calil, administrador de empresas e educador financeiro


Conheça duas histórias de gente que se planejou e parte neste ano para um sabático

Contra o arrependimento

Antes de iniciar carreira para valer, quinteto de amigos viajará até o Alasca

Os amigos Bruno Maranhão, de 23 anos, e Gabriel Ribeiro, de 25, administradores, Gustavo Gracitelli, de 23, e Leonardo Libório, de 24, economistas, e André Rezende, de 28, engenheiro, dividiram por quatro anos uma casa próxima à Universidade de São Paulo, onde estudavam. Todos fizeram estágio em grandes empresas e foram contratados. Quatro trabalharam no mercado financeiro e um no setor de tecnologia.

Todos vinham tendo início de carreira promissor. No entanto, começaram a achar que os bons salários e pacotes de benefícios não compensavam o cotidiano pesado. “Passamos a nos questionar se o que fazíamos era o que realmente queríamos de nossa vida”, diz Gabriel. Numa noite de sábado, a conversa de fazer uma viagem apareceu e em pouco tempo tomou a forma do projeto.

Neste mês, eles saem de São Paulo com destino ao Alasca, nos Estados Unidos. A viagem será feita de carro e foi batizada de Expedição 4×1 a maior parte do tempo eles dormirão em barracas. Pelo caminho, vão gravar dois documentários: um com idosos, para saber do que eles se arrependem ou o que teriam feito de diferente na vida, e o outro com histórias de pessoas que irão encontrar no percurso. “Não queremos chegar à velhice e perceber que nos arrependemos de não ter feito coisas das quais tínhamos vontade”, diz Gustavo.

Planejamento:

Projeto: Viajar de caminhonete de São Paulo até o Alasca
Tempo do projeto: 10 meses
Gasto total: 200 000 reais
Custo mensal por pessoa: 4 000 reais
Formas de gastar menos: como são vários integrantes e eles irão de carro, os custos de transporte diminuem muito. Além disso, vão dormir em hostels e, na maioria dos lugares, dentro do próprio carro. Conseguiram alguns patrocinadores que vão custear 25% da viagem. Eles pretendem vender o carro na volta para pagar parte das despesas.


Volta ao mundo

Casal passará um ano à procura de novos conhecimentos profissionais

No começo de abril, Maria Paula Oliveira, de 31 anos, gerente de inovação corporativa da Serasa Experian e professora da HSM Educação, e seu namorado, Rafael Custódio, de 29 anos, gerente de recursos humanos da Staples do Brasil, fornecedora de materiais para escritório, pediram demissão para viajar por 30 países. Durante um ano, ela vai buscar exemplos de inovação ao redor do mundo, e ele, que decidiu adiar o MBA que começaria neste ano, vai estudar as relações humanas em diferentes culturas.

No dia em que o casal decidiu comprar a passagem de volta ao mundo, Maria Paula teve uma crise de dúvida. “Quando voltei do trabalho, que gosto muito, pensei como eu estaria daqui a dois anos sem ter viajado, e percebi que iria me odiar se não fosse”, diz Maria Paula. Para dar certo, eles fizeram um plano muito organizado da viagem: desde todas as vacinas que precisariam tomar até onde estarão em cada dia da viagem.

Planejamento:

Projeto: Viajar por 30 países
Tempo do projeto: 12 meses
Gasto total: 100 000 reais
Custo mensal por pessoa: 4 166 reais
Formas de gastar menos: compraram um bilhete de volta ao mundo, que, pelo valor de 10 000 reais, dá direito de viajar por diversos países no período de um ano. Além disso, irão dormir em casa de conhecidos em alguns lugares e vão usar couch surfing, movimento mundial em que pessoas oferecem os sofás de casa para os outros dormirem.