Onde investir R$ 200 mil para ter um bom rendimento mensal?

Confira quais são as melhores opções de investimento para aplicar 200 mil reais hoje, segundo especialistas

Dúvida do internauta: Tenho 200 mil reais e gostaria de saber onde investir esse dinheiro para obter uma boa renda mensal. 

Resposta de Samy Dana e Alex del Giglio*:

Na atual conjuntura econômica, com a taxa básica de juros da economia e a inflação em patamares elevados, as aplicações do segmento de renda fixa atreladas à taxa DI e à taxa Selic são as mais recomendadas.

Em vista da deterioração do ambiente político-econômico brasileiro, não indicamos outras possibilidades de investimento, pois entendemos que as expectativas de retorno não estão sendo compensadas pelo maior risco.

Para facilitar a compreensão, vamos separar seus investimentos de acordo com duas estratégias, uma de curto prazo, dado que você precisará subtrair uma renda mensal, e uma de médio prazo, a fim de potencializar os rendimentos.

Assim, na estratégia de curto prazo, recomendamos a aplicação de 30% do seu capital no Tesouro Selic. Esse título público federal, negociado na plataforma do Tesouro Direto, tem rentabilidade diária vinculada à taxa Selic. Essa aplicação poderá ser utilizada para fazer saques mensais, uma vez que os títulos públicos permitem o resgate diário dos valores e o Tesouro Selic, diferentemente de outros títulos, não tem riscos de grandes prejuízos se for vendido antes do vencimento (entenda por que os títulos públicos têm riscos diferentes).

Ao investir 60 mil reais (30% dos 200 mil reais que você possui) no Tesouro Selic, considerando a atual taxa Selic de 14,25% ao ano e o desconto de Imposto de Renda (de 22,5% para aplicações feitas em até 6 meses), você deverá obter um rendimento de 507,47 reais, se investir por meio de bancos e corretoras que não cobram taxa de administração (veja a lista das taxas cobradas por cada instituição para investimento nos títulos públicos).

Na estratégia de médio prazo, recomendamos a aplicação de 70% do seu capital em Certificados de Depósito Bancário (CDBs), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) de bancos pequenos e médios, com prazo de vencimento para dois anos, que oferecem boas taxas de retorno, superiores a 100% da taxa DI (que segue comportamento semelhante ao da taxa Selic).

Ainda que os bancos médios apresentem maior risco que os grandes, eles costumam pagar percentuais maiores da taxa DI, sendo que alguns, como o banco Luso Brasileiro, chegam a pagar 121% da taxa DI. No seu caso, vale a pena buscar esses retornos mais agressivos porque o valor investido fica dentro do limite que é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que reembolsa ao investidor eventuais prejuízos decorrentes da falência do banco até o limite de 250 mil reais por instituição e por CPF.

Ao manter o investimento de 140 mil reais (70% do montante de 200 mil reais) em um CDB que pague 100% da taxa DI por 25 meses, você obterá 38,065 mil reais ao final do período, já descontado o Imposto de Renda de 15% (alíquota incidente para investimentos em prazos superiores a 720 dias).

Mas, não se esqueça de observar o cálculo de quanto será a renda mensal retirada das aplicações, para que esses resgates não esgotem o seu capital. Esse exercício é importantíssimo para dar previsibilidade ao capital e para não frustrar suas expectativas.

Bons Investimentos!

(*) Samy Dana é Ph.D. em Business, professor da FGV e coordenador do Núcleo de Cultura e Criatividade GV Cult. É consultor de empresas nacionais e internacionais dos setores real e financeiro e de órgãos governamentais, além de autor de livros de finanças pessoais. Alex Del Giglio é economista pela Univerisidade de São Paulo (USP), com extensão em finanças pela ESC Bordeaux e mestrado em Administração pela FGV. Responsável pela área educacional da Prime Finance Investimentos AAI Ltda., com sede em Manaus.

Veja, no vídeo a seguir, como escolher um banco para investir em CDBs, LCIs e LCAs: