Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

O manual para comprar um esportivo usado

Comprar um esportivo usado pode ser a via mais rápida para realizar um sonho. Veja os cuidados para que isso não se transforme em um pesadelo depois

Seu sonho é ter um esportivo importado com potência de sobra e estilo marcante, mas o preço sempre foi alto demais para seu orçamento?

Então pense com carinho num usado. Custando às vezes 30% – ou menos – do valor de um zero-quilômetro, um modelo de segunda mão pode ser um bom negócio se você souber os cuidados a serem tomados.

O mais importante num modelo desse tipo é sempre prestar atenção nos pneus. Antes da compra, faça uma cotação de preços, pois um jogo pode custar facilmente mais de 10.000 reais.

Portanto, se eles estiverem carecas, lembre-se de descontar essa quantia do preço de compra. Por outro lado, se estiverem em ótimo estado, vale pagar acima da média pelo carro.

Você descobriu que os pneus têm marcas ou medidas diferentes? É um mau sinal, porque demonstra desleixo de proprietário.

Outro problema é se tiver duas das quatro rodas de tamanhos diferentes, pois há uma boa chance de o veículo estar com a suspensão ou a direção comprometida. Nesse caso, nem compensa pedir desconto.

Tome muito cuidado com esportivos de quilometragem muito baixa. Desconfie de veículos de 30.000 quilômetros com o jogo de pneus meia vida. Carros com essa quilometragem deveriam estar fazendo sua primeira troca, o que revelaria que hodômetro está adulterado.

Outra indicação é o banco do motorista ou pedais de freio e embreagem desgastados, algo que só costuma acontecer acima dos 70.000 quilômetros.

Pedais do Honda Civic Si em ótimo estado

Pedais do Honda Civic Si em ótimo estado

Em geral, é melhor investir num esportivo que está muito rodado, mas que teve manutenção bem feita (atestada sempre pelos carimbos da autorizada no manual de revisão, que são fundamentais na hora da compra), que num veículo de baixa quilometragem que não teve boa manutenção.

Atenção no amarelo

Por serem modelos mais baixos que a média, os esportivos importados nunca foram amigos das lombadas e valetas. Peça ao vendedor para levar o carro até o elevador de um posto de combustível para avaliar a parte inferior.

Motores ou assoalhos recém-lavados (ou pintados de preto) são um truque que as lojas usam para disfarçar marcas de raspões ou vazamentos de motor ou câmbio. Escapamento raspado também é sinal de dono pouco cuidadoso.

Parte inferior de um Ford Focus RS

Parte inferior de um Ford Focus RS

Atenção com a cor da pintura. Cores vivas como amarelo, laranja ou vermelho, apesar de serem bem vistas em esportivos, só valem a pena se você vai ficar com o veículo por muito tempo. Elas são mais raras no mercado e, em alguns casos, podem até virar um mico.

Analise se vale a compra ou peça um bom desconto para, no futuro, poder reduzir bastante o preço para ajudá-lo na revenda.

Por dentro, verifique o estado geral de revestimentos e painéis de porta. Por culpa do péssimo asfalto brasileiro, os importados sofrem mais que qualquer outro ao rodar por aqui. Por isso, no test-drive, veja se essas peças são fontes de ruído.

Ainda durante o teste, procure rodar em pisos irregulares para ver se há ruídos estranhos na suspensão, caixa de direção ou mesmo no motor, que em alguns casos pode estar com um coxim desgastado.

Como essas são as partes mais afetadas em esportivos, tente sempre levar um mecânico na hora de fechar o negócio.

Não se esqueça de acionar todos os comandos e abrir todos os compartimentos. Como as peças desses esportivos são bem mais caras e difíceis de achar, você pode ter uma surpresa desagradável ao descobrir depois que o porta-luvas está quebrado ou o vidro elétrico de uma porta não funciona.

Luz apagada

Atenção com os japoneses, como Mitsubishi Lancer, Subaru Impreza ou Toyota Supra. Como eles são muito procurados para o tuning, é comum que estejam maltratados ou que o antigo dono tenha retirado vários acessórios só para conseguir vendê-lo.

Preste atenção no cofre do motor e no painel de instrumentos e veja se há furos ou marcas indicando que foi instalado algum kit para alta performance ou mostradores como shift-light, manômetro de óleo ou pressão do turbo.

Procure sob o carpete na cabine ou no porta-malas se há sinais de furação para suporte de cilindros de nitro, por exemplo.

Painel de um Subaru Impreza WRX com instrumentos adicionais na coluna

Painel de um Subaru Impreza WRX com instrumentos adicionais na coluna

Ao girar a chave, a luz do airbag acendeu por alguns segundos e depois apagou? É sinal de que está tudo certo. Se a luz ficou acesa ou não acendeu, pode significar que o carro sofreu uma colisão e o airbag não foi reposto.

Consertos complicados, ainda mais no motor, precisam ser feitos em concessionárias ou profissionais especializados na marca, pois as oficinas comuns não costumam conhecer a mecânica desses importados nem dispõem de equipamentos específicos.

Nesses modelos, há uma incidência maior de marcas de borra no cabeçote, principalmente nos turbinados e multiválvulas.

Por isso, não compre por preços bem abaixo de tabela, mas com manutenção ou conserto a serem feitos. Em geral não vale a pena, pois futuramente sua dor de cabeça vai ser grande e o prejuízo, maior.

Agora que você já está mais bem preparado, veja abaixo alguns Guias de Usados que já fizemos com esportivos encontráveis no Brasil e que podem ser bons negócios – desde que você saiba que cuidados tomar.