O check-list que você precisa fazer ao comprar um carro usado

Ao adquirir um veículo seminovo, há coisas que podem esperar e outras que você deve cuidar imediatamente

Compradores de carro zero que partem para o mercado de seminovos e usados precisam lidar com uma situação inédita: que manutenção deve ser feita num modelo como esse? Pelo menos na maioria das vezes, dá para mexer no que é mais urgente primeiro e deixar o resto para depois, sem comprometer sua segurança e o bolso.

Foi o que fez o vendedor Maurício Santoro, que comprou um Civic 2003 em São Paulo. “Precisei fazer pouca coisa. Apenas comecei trocando o óleo do motor, o conjunto das correias e seus respectivos rolamentos”, diz ele.

“Além disso, tinha um amassadinho no para-choque e o espelho do para-sol estava quebrado, detalhes que acabei deixando para depois, bem como a instalação de novas calotas originais”, diz.

Se você também pensa em comprar em breve um usado, veja a seguir as dicas para quem pretende gastar pouco para deixá-lo em ordem, mas sem correr o risco de ficar na rua por uma avaria que poderia ser evitada, caso ele esteja fora do período de garantia e não tenha as revisões perfeitamente em dia.

Quem conhece prioriza

É unânime entre especialistas que a primeira manutenção a ser feita após comprar um usado é trocar o óleo do motor, os filtros (óleo, ar e combustível), todas as correias e os rolamentos ligados ao funcionamento delas.

“Mesmo que as correias tenham bom aspecto, podem se romper na primeira esquina. Não há como descobrir se podem rodar mais ou não”, diz o mecânico Wiliam Santos, dono do Patola Auto Center.

“Aliás, como as correias terão que ser trocadas, podem-se resolver eventuais problemas de vazamento de água ou óleo com a troca das bombas e, se for o caso, também da válvula termostática”, diz Santos.

Dono da oficina Suspentécnica, Alberto Trivellato diz que se a altura do pedal de freio não estiver adequada ou não houver modulação progressiva na frenagem, será preciso verificar itens importantes que não podem ser deixados para depois, como fluido de freio, hidrovácuo, pastilhas, discos e flexíveis.

“Qualquer tipo de ruído ao pisar no freio é outro sinal de que há algo errado”, diz Trivellato.

Ele também diz que, “se o carro estiver puxando para um lado, pode ser apenas falta de calibragem dos pneus. Mas se isso continuar após calibrá-los, pode haver vazamento de fluido, pastilhas gastas, entre outros componentes”.

Trivellato vai além: “Frente mais baixa que a traseira, ou vice-versa, também pode significar mais gastos com molas, amortecedores e braços de suspensão, entre outros itens”.

Essa matéria foi originalmente publicada no Guia Quatro Rodas.