Aguarde...

Fundos | 27/04/2010 07:58

Saiba quando os fundos de investimento pagam IR e IOF

Conhecer o prazo do investimento e adiar o resgate o máximo possível pode ajudá-lo a pagar menos impostos sobre os ganhos obtidos

Leão

Mordida do Leão: varia conforme o tipo do fundo e o tempo do investimento

 

São Paulo - Escolher o melhor fundo de investimento vai além da análise de diferentes carteiras, riscos e objetivos. Como qualquer outro produto, também há despesas que corroem os lucros. Ainda que a taxa de administração represente o custo do serviço em si, ela não é o único desembolso que precisará ser feito. Quem opta por um fundo vê parte do rendimento ir embora sob a forma de impostos. A maneira pela qual o dinheiro é deduzido varia em função do tempo de resgate e do tipo do investimento. Aos olhos da Receita Federal, os sete fundos classificados pela Comissão de Valores Mobiliários - curto prazo, referenciados, renda fixa, ações, cambiais e dívida externa - se misturam agora em três grandes balaios: fundos de ações, fundos de curto prazo e fundos de longo prazo.

Dentro da primeira categoria, se enquadram os fundos de renda variável com mais de 67% da carteira em ações. A definição naturalmente abarca os fundos de ações definidos pela CVM, mas dá brecha para os fundos multimercados receberem o mesmo tratamento fiscal. Isso porque ao compor a carteira com diversos ativos, o gestor deste fundo pode optar por alocar dois terços do patrimônio em títulos de participação em empresas. Seja qual for o caso, a alíquota de imposto de renda sobre os lucros é fixa em 15%. Assim, o investidor pode solicitar o dinheiro de volta em 10 meses ou 10 anos que pagará 15% do rendimento à Receita no momento do saque. Vale ressaltar que não há cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nesta modalidade.

A lógica se inverte para os fundos de curto e longo prazo. Nas duas categorias, o tempo de permanência é diretamente responsável pela incidência ou não do IOF. Se o resgate for solicitado antes de 30 dias, o investidor deverá pagar um percentual sobre os ganhos que aumenta na proporção dos dias decorridos, variando de 3 a 96%. Quanto mais rápido for o saque, mais caro será o tributo. Neste caso, a taxação tende a zerar os lucros conseguidos, conforme mostra a tabela abaixo:

Imposto sobre Operações Financeiras para fundos de curto e longo prazo
 

Número de dias após o investimento IOF (%) Número de dias após o investimento IOF (%)
1 96 16 46
2 93 17 43
3 90 18 40
4 86 19 36
5 83 20 33
6 80 21 30
7 76 22 26
8 73 23 23
9 70 24 20
10 66 25 16
11 63 26 13
12 60 27 10
13 56 28 6
14 53 29 3
15 50 30 0

 

 

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados