Aguarde...

230 milhões | 31/12/2012 12:04

Quanto vai render o prêmio da Mega da Virada

Quem acertar sozinho as seis dezenas da última Mega-Sena do ano pode se tornar um "bon vivant", mas não deve gastar todo o rendimento mensal de seu prêmio

Getty Images

Moedas de real - dinheiro

Para educador financeiro, ideal é gastar apenas metade do rendimento todo mês

São Paulo – Se alguém acertar sozinho as seis dezenas da Mega da Virada, que serão sorteadas nesta noite, levará para casa 230 milhões de reais, o maior prêmio da história das loterias da Caixa. Essa bolada rende cerca de 1.000.000 de reais por mês em uma aplicação conservadora e de alta liquidez. E o dono de uma fortuna como essa não vai precisar se preocupar com dinheiro nunca mais.

A título de curiosidade, EXAME.com simulou a rentabilidade de 230 milhões de reais em quatro tipos de aplicações seguras – conservadoras e com alta liquidez – considerando a taxa de juros básica da economia atual (Selic) de 7,25% ao ano. A simulação é hipotética, e não está levando em conta a rentabilização de rendimentos que tenham permanecido aplicados.

Poupança

A caderneta de poupança atualmente remunera 70% da Selic mais Taxa Referencial (TR), que atualmente é igual a zero. Não há carência para os resgates e não há incidência de imposto de renda, independentemente do prazo. A aplicação é segura, mas o investidor deve se lembrar de que, no caso de quebra do banco, só receberá de volta até 70.000 reais, que é a quantia assegurada pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Por isso, é aconselhável investir em bancos diferentes, e dar preferência para os bancos grandes.

Taxa mensal (%) Taxa anual (%) Rendimento líquido em um mês (R$)
0,41% 5,03% 941.808,29

Certificados de Depósitos Bancários (CDB)

Os CDBs pagam um percentual do CDI, que é uma taxa de juros que se aproxima bastante da Selic, e sofrem incidência de imposto de renda sobre os rendimentos. Para quem tem alguns milhões de reais em mãos não é difícil conseguir 100% do CDI ou mais nem mesmo em grandes bancos.

O problema é que o limite de proteção, no caso de quebra do banco, é o mesmo da poupança: 70.000 reais por CPF. Isto é, se uma pessoa tiver mais de 70.000 reais aplicados em poupança e CDB em um mesmo banco, em caso de falência, a quantia que passar desse valor será perdida. Até 70.000 reais é possível encontrar CDBs que paguem 100% do CDI ou mais em bancos médios.

EXAME.com simulou os rendimentos mensais obtidos com CDBs que pagam 100%, 105% e 110% do CDI para diferentes prazos. Quem abre mão da liquidez diária e espera ao menos dois anos, pagará a menor alíquota de IR – 15% – obtendo o maior rendimento.

CDB 100% do CDI

Prazo Alíquota de IR Rendimento líquido em um mês (%) Rendimento líquido em um mês (R$)
Até 180 dias 22,5% 0,45% 1.042.716,32
Entre 181 e 360 dias 20,0% 0,47% 1.076.352,34
Entre 361 e 720 dias 17,5% 0,48% 1.109.988,35
A partir de 721 dias 15,0% 0,50% 1.143.624,36

 

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados