Aguarde...

Tesouro Direto | 31/10/2013 16:11

Qual a melhor NTN-B para investir para a aposentadoria?

Saiba qual vencimento e qual tipo de NTN-B (pura ou Principal) escolher se você pretende investir no Tesouro Direto para a sua aposentadoria

SXC

Baú com moedas

Baú com moedas: Enquanto NTN-B pura paga o rendimento a cada seis meses, a NTN-B Principal paga tudo no vencimento

São Paulo – Nesta semana, EXAME.com mostrou por que investir no Tesouro Direto pode ser mais vantajoso do que nos planos de previdência quando o objetivo é acumular patrimônio para a aposentadoria. Se você está decidido a investir em títulos públicos, o próximo passo é entender qual deles escolher.

Os títulos mais indicados para a aposentadoria são as Notas do Tesouro Nacional-série B. Elas pagam uma taxa de juro anual, mais a variação da inflação (medida pelo IPCA) durante o período do investimento. Uma vez que a NTN-B sempre tem um rendimento acima da inflação, o investidor tem um ganho real garantido, caso não venda o título antes do vencimento. 

Como no longo prazo a inflação acumulada pode ser muito alta e é muito difícil de estimar, ela pode corroer os rendimentos. Por isso, ao investir para formar reservas para a aposentadoria, é importante buscar aplicações financeiras que ofereçam proteção contra a inflação.

Como escolher entre a NTN-B e a NTN-B Principal

Existem dois tipos de NTN-B: a NTN-B pura e a NTN-B Principal. A primeira paga ao investidor cupons semestrais, que são os rendimentos acumulados a cada seis meses. Já a Principal, paga o rendimento todo apenas no vencimento do título, por isso é mais indicada para quem investe no longo prazo.

Amerson Magalhães, diretor da Easynvest Título Corretora, explica que a maior desvantagem da NTN-B pura em relação à Principal é a antecipação do imposto de renda (IR). “Para quem precisa de renda periódica, o cupom semestral é uma boa estratégia, mas o problema é o imposto de renda, que é descontado sobre o rendimento. Por isso, para a aposentadoria, é melhor deixar o título rendendo para só pagar o imposto lá no final”, diz.

Quem investir na NTN-B pagará imposto de renda sobre todos os cupons, enquanto quem investir na NTN-B Principal só paga o imposto sobre o rendimento total, no vencimento. As alíquotas variam conforme o tempo em que o dinheiro está investido naquele título: 22,5% para 180 dias; 20% entre 181 e 360 dias; 17,5% entre 361 e 720 dias e 15% para prazos superiores a 720 dias. Ou seja, no caso da NTN-B pura, o investidor ainda começará pagando as maiores alíquotas de IR nos primeiros cupons.

Mas este fato nem é tão relevante. O que mais pesa para o investidor da NTN-B pura é o fato de que, por adiantar o pagamento do imposto, ele perde uma quantia importante que poderia continuar a ser rentabilizada, tanto na forma do cupom que vai para o seu bolso, como na forma do IR que vai para os cofres do governo. Já no caso da NTN-B Principal, o que seria pago a título de cupom e IR continua rendendo até o fim do prazo, quando o imposto incide apenas sobre a rentabilidade total.

É por esse motivo que quem investe na NTN-B pura não recebe exatamente o rendimento acordado no ato da compra. Aquela rentabilidade só poderia ser atingida caso todos os cupons fossem reinvestidos em títulos que pagassem exatamente a mesma taxa do título original, o que nem sempre será possível. Na NTN-B Principal, ao contrário, você já sabe exatamente quanto vai ganhar no fim.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados