Aguarde...

Dicas | 11/02/2013 07:00

Os melhores tipos de carros para comprar usados

Veja quais são os grupos de carros que têm menos chance de custar caro para o comprador que busca um seminovo ou usado

Marco de Bari/Quatro Rodas R$ 50600

Toyota Corolla 2.0 XEi automático, modelo 2011

Carros japoneses, como o Toyota Corolla, dificilmente têm problemas de manutenção e por isso são bons carros para comprar usados, dizem especialistas

São Paulo – Quanto maior o tempo de uso, mais barato fica o valor de um carro, mas também mais caro ficam os gastos com manutenção. Por isso, para comprar um carro usado ou seminovo, é preciso se cercar de uma série de cuidados para que a nova aquisição não se transforme em um mar de despesas. Além de se certificar sobre a procedência do carro, escolher o modelo certo também pode contribuir para que a compra do usado seja bem-sucedida.

Veja a seguir quais são os carros seminovos e usados que têm menos chance de pesar no orçamento do novo dono.

Carros de que os frotistas e taxistas gostam

Os carros que têm menos problemas com manutenção naturalmente são indicados como alguns dos melhores veículos para serem comprados usados. Mas como saber quais carros têm essa característica? Basta observar os modelos escolhidos por locadoras de veículos, taxistas e para serem usados em frotas.

Como nessas situações o uso é mais severo, são selecionados geralmente os carros mais resistentes e que precisam de pouca manutenção, dois fatores importantes também para a compra de um carro que não é novo.

“Alguns carros que vemos muito com taxistas são o Meriva e o Astra, mas eles já saíram de linha. Em frotas vemos muito o Uno, Gol e o Celta. As frotas e os taxistas costumam usar carros que têm uma relação custo-benefício bem interessante”, afirma Milad Kalume Neto, gerente de desenvolvimento de negócios da consultoria automotiva Jato Dynamics.

Carros de montadoras japonesas

Segundo Kalume, carros de montadoras japonesas também costumam ser boas opções para quem está escolhendo um modelo seminovo ou usado. “São marcas tradicionais, de alta confiabilidade e que, em tese, utilizam elementos de qualidade superior. São carros que de fato não quebram. O Toyota Corolla, por exemplo, quase não tem manutenção e dificilmente tem problemas”, afirma.

Ele explica também que os carros japoneses costumam ser mais básicos e por isso têm menos chances de apresentar problemas do que carros que são mais carregados de itens eletrônicos, como computador de bordo, sistema de navegação, piloto automático etc. “Carros mais básicos em geral têm menos itens para quebrar”, diz Kalume.

O gerente de engenharia da DPaschoal, Eliel Bartels, acrescenta que os carros das japonesas Toyota e Honda também possuem uma manutenção mais econômica. “São carros com baixíssima ocorrência de falhas porque o nível de exigência para validação de peça das montadoras japonesas é muito rigoroso, é um benchmark mundial”, diz.

Vale ressaltar que podem existir exceções e que dependendo do uso que se faz do carro, mesmo os mais resistentes poderão ter mais problemas de manutenção.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados