São Paulo - O Banco do Brasil oferece a partir dessa semana a nova linha de crédito do FGTS para financiamento imobiliário.

Chamada de Pró-Cotista, a linha terá R$ 1 bilhão para os clientes do banco financiarem imóveis de até R$ 400 mil.

O BB financiará até 90% do valor do imóvel, pelo prazo máximo de 360 meses (30 anos) e juros de 9% ao ano.

As novas condições de financiamento, definidas em maio pelo Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), determinam que os interessados em contratar a linha devem ter conta ativa no FGTS, ou seja, estarem trabalhando com carteira assinada, e um mínimo de 36 contribuições, consecutivas ou não.

Para o cliente que não tiver conta ativa, é exigido que o saldo total no FGTS seja igual ou superior a 10% do valor do imóvel.

A nova linha faz parte o esforço do governo de evitar uma retração muito grande na oferta de crédito imobiliário depois que os saques na caderneta de poupança aumentaram e reduziram o valor disponível para os empréstimos.

A Caixa Econômica Federal, principal instituição nesse segmento, teve de reduzir a parcela de financiamento de 80% para 50% pela queda nos saldos da poupança.

Os bancos em geral diminuíram as operações de crédito por conta da retração da economia e do aumento do desemprego.

Tanto a Caixa quanto o Banco do Brasil passaram a oferecer sorteios de prêmios para os poupadores, como forma de tentar limitar os resgates da caderneta.

Em abril, a carteira de crédito imobiliário do BB atingiu R$ 42,06 bilhões, um crescimento de 45,9% em 12 meses.

Para as linhas que utilizam o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), em que o cliente utiliza seus recursos do FGTS na compra, o banco já havia ampliado o prazo de financiamento para até 420 meses (35 anos) e elevado para até 80% o limite de financiamento.

Tópicos: Banco do Brasil, Bancos, Empresas, Empresas brasileiras, Empresas abertas, Crédito, FGTS