São Paulo – O mês de outubro viu mais uma desaceleração na alta dos imóveis residenciais no Brasil, que foi de apenas 0,8%, segundo o Índice FipeZap. Essa é a menor alta da série histórica iniciada em setembro de 2010. Até então, a menor alta média mensal registrada pelo índice havia sido de 0,9%, nos meses de maio e de setembro deste ano. A maior desaceleração entre as sete regiões pesquisadas, segundo o relatório, foi em São Paulo, onde os preços subiram só 1,1% ante uma alta de 1,5% no mês anterior.

Rio de Janeiro e Recife tiveram alta de 1,1% cada uma, Belo Horizonte, de 1,0%, e Salvador, de 0,4%. Distrito Federal e Fortaleza apresentaram recuo nos preços, de 1,1% e 1,0%, respectivamente. O aumento dos preços em doze meses nas sete regiões pesquisadas caiu para 14,4%. O Rio de Janeiro permanece como o metro quadrado mais caro do país.

Mesmo modesta, a média da valorização dos imóveis no mês de outubro ainda deve superar a inflação pelo IPCA, estimada pelo mercado em 0,56%, segundo o último Boletim Focus. As altas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Recife também devem superar o indicador, ao contrário do desempenho dos imóveis em Salvador, Distrito Federal e Fortaleza. No mês de outubro, a Selic foi de 0,58% e a poupança, pelas novas regras, rendeu apenas 0,42%.

Veja na tabela abaixo, a variação dos preços dos imóveis por região, o preço do metro quadrado, a rentabilidade acumulada no ano e nos últimos 12 meses:

Local Variação mensal em outubro de 2012 Variação mensal em setembro de 2012 Preço do metro quadrado (R$) Acumulado em 2012 Acumulado em 12 meses
Composto nacional 0,8% 0,9% 6.920 11,6% 14,4%
Belo Horizonte 1,0% 0,1% 4.850 7,2% 9,5%
Distrito Federal -1,1% -1,7% 8.056 2,7% 2,7%
Fortaleza -1,0% 0,5% 4.834 11,6% 12,8%
Recife 1,1% 1,1% 5.489 16,8% 20,8%
Rio de Janeiro 1,1% 1,2% 8.452 12,8% 16,0%
Salvador 0,4% -0,2% 3.808 6,5% 8,1%
São Paulo 1,1% 1,5% 6.882 13,5% 17,0%

Fonte: Índice FipeZap

Tópicos: Apartamentos, Imóveis, Guia de Imóveis, Investimentos pessoais, Índice FipeZap, Mercado imobiliário, Indicadores