Aguarde...

Dívidas | 01/11/2013 06:00

Em quanto tempo o nome fica sujo após atraso em um pagamento

Inscrição de um CPF em um cadastro de inadimplentes não é imediata, pois normalmente a empresa credora tenta cobrar antes de outros jeitos

Nessa hora, o inadimplente esquecido pode se lembrar de pagar o que deve, e aquele que está em dificuldades financeiras pode procurar o credor para tentar renegociar a dívida em termos mais vantajosos para si – como um prazo maior, juros menores ou com um desconto. Feita uma dessas escolhas – quitação ou renegociação – seu nome deve permanecer limpo.

Seu nome pode ficar sujo mesmo que você não receba o aviso

Embora os birôs de crédito sejam obrigados por Lei a notificar os inadimplentes por carta sobre a inclusão de seu CPF em um cadastro de inadimplentes, não é preciso haver garantias de que o consumidor recebeu o aviso para que ele possa ser negativado.

Caso o consumidor não seja encontrado por qualquer dos meios de que o credor e o birô de crédito dispõem – porque mudou de endereço, por exemplo –, ainda assim seu nome poderá ficar sujo, pois considera-se que as tentativas de contato foram feitas.

Além disso, nada impede que o consumidor seja negativado indevidamente, sem ter de fato um débito em atraso. Ele pode ser vítima de uma fraude, a partir do roubo de seus dados pessoais ou de documentos.

Ou seja, mesmo sem saber você pode ter o CPF inscrito em um cadastro de inadimplentes. Para não ser pego de surpresa, Fernando Cosenza orienta todos os consumidores a checarem seu CPF ao menos duas vezes ao mês.

Isso pode ser feito gratuitamente nos postos de atendimento dos birôs de crédito, mediante a apresentação de um documento de identidade original e do CPF, ou mesmo por carta à instituição.

Também é possível acompanhar o CPF online. Na Boa Vista Serviços, a checagem do CPF pela internet é gratuita, mediante a informação de dados pessoais. Já a Serasa Experian fornece um serviço de monitoramento do CPF que pode ser contratado online e custa 10 reais por mês.

Contudo, nenhum desses processos de checagem e acompanhamento do CPF substitui a carta que os birôs são obrigados a enviar a quem está prestes a ser negativado. “Enviamos em torno de 10 milhões de cartas por mês”, afirma Fernando Cosenza, da Boa Vista.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados