Aguarde...

Dúvida | 01/09/2012 08:00

Como investir fora da poupança com segurança?

Internauta se mudou para o Japão para poupar mais e busca aplicação tão segura quanto a poupança

Editado por Priscila Yazbek, de

Stock.xchng

Cadeado e moedas

Segurança: Investidor tem 180.000 reais divididos entre a antiga e a nova poupança

Dúvida do internauta: Eu tenho 30 anos, sou formado em gestão financeira e moro no Japão desde 2006. Eu me mudei para o Japão para acumular dinheiro que pudesse me render algo em torno de1.000 a 1.500 reais por mês. Acumulei até agora 180.000 reais e acrescento a este montante mensalmente 6.000 reais. Porém, este dinheiro está totalmente aplicado em poupança com taxa mista. Aproximadamente 145.000 reais à 6,17% + TR e os outros 35.000 reais mais os depósitos mensais à 70% da Selic + Taxa Referencial. Penso muito em comprar um imóvel que eu possa alugar e obter o valor desejável. Porém, gostaria de saber qual outro tipo de aplicação que rendesse mais que a poupança e fosse tão seguro quanto que vocês me recomendam?

Resposta de Beto Veiga*: 

Primeiramente, parabenizo você pela sua perseverança e esforço. Creio que você deva suportar um alto custo pessoal, mas vamos ao que interessa: opções conservadoras para investir o seu dinheiro.

Como deve ter percebido, nosso país está começando a ficar com cara de civilizado em termos de taxas de juros, mas ainda um pouco longe daquela verificada por aí, no Japão.

A Selic encontra-se no patamar de 7,5% ao ano, rendendo aproximados 2% de taxa de juros reais (descontada a inflação), se considerada em termos brutos, e menos de 1% se levarmos em conta uma tributação de IR de 15% (mais de 720 dias de aplicação).

Há dois montantes possíveis de calcular para chegarmos ao valor da sua meta. O primeiro é mais ilusório, pois desconsidera a inflação, isto é, usa os juros nominais. É claro que o valor vai se perdendo com o tempo. Vamos a ele: 7,5% ao ano, significam pouco mais de 0,6% ao mês. Assim, o montante que você precisa acumular para ter juros brutos no valor de 1.500 reais, é de 250.000 reais (basta dividir 1.500 reais por 0,006).

O problema, é que, como disse, rapidamente, o poder de compra do dinheiro vai diminuindo. Então, o certo é usar os juros reais líquidos. O que é decepcionante, porque aos níveis atuais, devemos considerar 1% ao ano, o que significa menos de 0,1 % ao mês (0,083%). Procedendo da mesma maneira, chegamos a 1.808.235 de reais.

Com relação ao investimento, vamos lembrar que você quer a mesma garantia ou maior. Então, temos que saber onde seu dinheiro está investido. Se for um banco privado, o valor máximo de garantia externa é de 70.000 reais, com base no Fundo Garantidor de Créditos, e garantia interna com base no patrimônio do banco. Se for em um banco público ou de economia mista (Banco do Brasil), a garantia é do Tesouro Nacional, muito mais seguro, portanto.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados