São Paulo - Nesta semana, os viajantes ganharam mais duas opções de cartões pré-carregados em moeda estrangeira, aumentando a gama de formas de levar dinheiro para o exterior. Ao mercado antes dominado pelo Visa Travel Money (VTM) somaram-se produtos com as bandeiras Mastercard e American Express.

Cartões pré-pagos nada mais são que cartões de débito, podendo ser usados também para compras pela internet e saques em caixas eletrônicos no exterior. O saque, aliás, ocorre sempre na moeda local, mesmo que esta seja diferente da moeda carregada no cartão - em geral dólar, euro ou libra.

Ninguém duvida que esses produtos sejam mais práticos e seguros do que as maneiras convencionais de se levar o dinheiro que será usado na viagem. Em vez da taxa de 2,38% que incide sobre as operações feitas com cartões de crédito internacionais, o viajante pagará apenas 0,38% de IOF ao utilizar um cartão pré-pago.

A partir do momento em que são carregados em moeda estrangeira, os cartões também protegem o dinheiro das flutuações cambiais que possam ocorrer dali para frente. Em relação ao dinheiro vivo, a vantagem é a segurança. Além de serem protegidos por senha, os cartões pré-pagos podem ser bloqueados e repostos em caso de perda ou roubo.

Essas características são comuns a todos os produtos disponíveis hoje no mercado. É nos detalhes que aparecem as vantagens e desvantagens de cada um. Saiba o que observar para escolher o melhor cartão para o seu perfil.

Moeda

Tanto o Visa Travel Money, quanto o Mastercard Cash Passport e o American Express GlobalTravel Card podem ser carregados em dólar americano, euro ou libra esterlina. Os cartões Visa emitidos pela casa de câmbio Confidence também podem ser carregados em rand sul-africano e peso argentino. Os VTMs emitidos pelo Banco do Brasil, porém, só podem ser carregados em dólar e euro.

Emissores e público-alvo

O VTM é emitido pelo Banco Rendimento, Banco Schahin e casa de Câmbio Confidence, sendo distribuído por 48 casas de câmbio. O cartão também é emitido pelo Banco do Brasil apenas para seus correntistas. Já o Mastercard Cash Passport é emitido pela Travelex e distribuído por 11 casas de câmbio. Algumas agências de viagem também distribuem cartões de ambas as bandeiras.

O Amex é o mais restritivo dos três. Emitido pela American Express, o cartão é distribuído pelo Itaú, apenas para os clientes Personnalité.

Segurança

Todos os cartões possuem senha e podem ser bloqueados e repostos em caso de perda ou roubo. A reposição é gratuita no caso do VTM e dos cartões Amex, e pode ou não ser no caso da Mastercard, dependendo do distribuidor. O Mastercard Cash Passport e o Visa Travel Money também possuem chip, o que aumenta a segurança, por exemplo, contra a clonagem.

Aceitação internacional

De acordo com dados da Visa e da Mastercard, cada uma dessas bandeiras é aceita em cerca de 30 milhões de estabelecimentos e mais de 1,5 milhão de caixas eletrônicos ao redor do mundo. O Visa tem alcance de mais de 170 países, enquanto que o Master chega a mais de 200. A American Express não divulga o número de estabelecimentos e caixas eletrônicos que aceitam sua bandeira, mas diz estar presente em mais de 160 países, sendo particularmente popular nos Estados Unidos.

Seja como for, antes de adquirir um cartão pré-pago, o ideal é verificar se há caixas eletrônicos (ATMs) da bandeira desejada nos destinos. O viajante pode fazer uma busca pelos caixas da rede Plus, que atende a Visa, da rede Cirrus, que atende a Mastercard, ou pela rede da American Express.

Cartões adicionais

Quem for viajar com a família pode achar interessante que todos possuam cartões que debitem de um mesmo saldo, em vez de adquirir um cartão para cada pessoa. Os VTMs dão direito até nove cartões adicionais a um custo, por cartão, de 3 dólares, 3 euros ou 2 libras. Além de poderem ser utilizados por outras pessoas, os cartões adicionais podem também ser usados como reserva do cartão principal, ativados em caso de perda ou roubo.

O Mastercard Cash Passport dá direito a apenas um cartão adicional, chamado cartão secundário, a um custo de 3 dólares, euros ou libras, dependendo da moeda em que for carregado. Além do cartão secundário, o cliente ainda tem direito a um cartão reserva gratuito em caso de perda ou roubo, mas este só poderá ser utilizado pelo titular.

Já o American Express não dá direito a cartões adicionais, apenas a dois cartões reservas gratuitos em caso de perda ou roubo do principal. Ambos só podem ser usados pelo titular.

Limites de carga e recarga

Todas as três bandeiras permitem recargas à distância, porém os limites mínimos e máximos de carga e recarga podem variar. Os valores mínimos mais altos são da American Express. Os cartões Mastercard, por sua vez, são capazes de armazenar as maiores quantias.

Visa: de 100 a 10.000 dólares, de 85 a 8.500 euros, de 60 a 6.000 libras ou de 750 a 75.000 rands. O limite máximo de carga e recarga em 12 meses é de 30.000 dólares, 25.500 euros ou 18.000 libras.

Mastercard: de 100 a 20.000 dólares, de 85 a 17.000 euros ou de 65 a 12.000 libras. O limite máximo de carga e recarga em 12 meses é de 60.000 dólares, 50.000 euros ou 36.000 libras.

Amex: de 200 a 10.000 dólares, de 200 a 8.500 euros ou de 200 a 6.000 libras. O limite máximo de carga e recarga em 12 meses é do equivalente a 30.000 dólares.

Saques

Todas as bandeiras permitem saques em moeda local, em valores máximos de 1000 dólares, 800 euros ou 600 libras a cada 24 horas. Contudo, antes de adquirir seu cartão, o viajante deve levar em conta se vai usar esse serviço, com que frequência, e se corre o risco de ter que sacar em moeda diferente daquela carregada no cartão.

Isso porque, para cada saque, incide uma tarifa. Além disso, ao sacar em moeda diferente da moeda do cartão, além da tarifa de saque, incide uma taxa sobre o valor já convertido pelo câmbio do dia. Ou seja, se a pessoa vai viajar para a Argentina, talvez não seja uma boa ideia adquirir um cartão Mastercard, que possui a maior taxa de conversão para saques. A taxa de conversão é particularmente em conta na Amex.

Visa:
Tarifa de saque: 2,50 dólares, euros, libras ou rands.
Taxa de conversão: 4,9% sobre o valor já convertido.

Mastercard:
Tarifa de saque: 2,50 dólares, euros ou libras.
Taxa de conversão: 5,5% sobre o valor já convertido.

Amex:
Tarifa de saque: 2,50 dólares ou euros ou 1,75 libras.
Taxa de conversão: 3% sobre o valor já convertido.

Tarifa de inatividade

Se sobrar dinheiro ao fim da viagem, é possível sacar o saldo restante e reconvertê-lo para reais, ou então deixar o valor carregado no cartão para viagens futuras. Nesse caso, mesmo que o cartão expire, a quantia continua lá, bastando repor o cartão. O problema é que as bandeiras Visa e Mastercard cobram uma tarifa mensal de inatividade por mais de seis meses. Nesse quesito, o cartão da Amex é mais vantajoso, pois não há cobrança de tarifa de inatividade, ideal para quem viaja com alguma frequência.

Visa: 3 dólares, euros ou libras, para cartões emitidos pelo Banco Rendimento; 2,50 dólares ou euros ou 1,70 libras, para cartões emitidos pelo Banco Schahin.

Mastercard: 2,50 dólares ou euros ou 1,70 libras.

Amex: não há tarifa de inatividade.

Vantagens

Quem adquirir um cartão American Express GlobalTravel poderá contar com uma série de vantagens dos demais clientes Amex. Os titulares poderão aproveitar as promoções do programa American Express Selects e contar com o American Express Global Assist, que oferece ajuda em casos de emergência como perda de passaporte e bagagem, assistência médica ou jurídica.

Tópicos: American Express, Empresas, Empresas americanas, Câmbio, Dólar, Moedas, Euro, Infográficos, Infográficos de Seu Dinheiro, Libra esterlina, MasterCard, Setor de cartões, Viagens pessoais, Viagens, Visa