São Paulo - Já estão abertas algumas linhas de crédito para antecipação do 13º salário deste ano. Os quatro bancos que já oferecem a linha, Banco do BrasilCaixaBradesco e Santander,  cobram taxas de juros que variam de 2,59% a 4,60% ao mês para quem deseja receber o benefício antes do prazo.

No Banco do Brasil, é possível antecipar até 80% do valor do benefício ao pagar juros a partir de 3,48% ao mês, enquanto o Santander cobra uma taxa de 2,59% ao mês pelo adiantamento do valor.

No Bradesco a taxa de juros cobrada para quem quer adiantar o recebimento do benefício é maior, com juros que partem de 4,60% ao mês. Para antecipar a primeira parcela do 13º, o banco limita o empréstimo a 40% do valor que será recebido na primeira parcela do benefício e na antecipação da segunda parcela, o valor é limitado a 40% sobre o salário líquido relativo à segunda parte do benefício. Para aposentados, esse porcentual sobe para 50%.

A Caixa antecipa valores do 13º salário que variam de 500 reais a 20 mil reais, a taxas de 3,17% ao mês. O valor é calculado sobre a parcela líquida do benefício de acordo com o prazo do contrato, a capacidade de pagamento do cliente ou o valor máximo do empréstimo.

A abertura da linha pelos bancos já no primeiro mês do ano não é usual, aponta o educador financeiro André Massaro. "A antecipação do 13º salário costuma ser oferecida pelos bancos apenas a partir do segundo semestre do ano. Ter acesso a esse crédito tão cedo demonstra que as famílias podem estar enfrentando mais dificuldades financeiras agora, o que incentiva a busca por esse crédito." 

Quitação

A data para pagamento do empréstimo irá seguir o cronograma de recebimento do benefício. A primeira parcela do 13º salário deve ser paga entre fevereiro e o último dia útil do mês de novembro. Já a segunda parcela geralmente é quitada no dia 20 de dezembro. 

No Banco do Brasil o pagamento é realizado de uma única vez na data prevista para recebimento do crédito. No Bradesco, o empréstimo deve ser quitado na data de depósito do benefício pela empresa ou, no máximo, até o dia 30 de novembro (primeira parcela) e 20 de dezembro (segunda parcela). No Santander, a data máxima para pagamento do crédito é o dia 20 de dezembro. 

Exigências

Para utilizar a linha que adianta o 13º salário, há algumas exigências. No Banco do Brasil, na Caixa e no Bradesco, é necessário que o correntista receba o salário pelo banco. No Banco do Brasil o empregador deve ainda ser conveniado à instituição financeira.

Na Caixa, também é necessário estar empregado por, no mínimo, 12 meses para ter acesso à linha de crédito, ou ser aposentado ou pensionista do INSS e receber o benefício pela Caixa.

Vale a pena?

Antes de optar pela linha de crédito que antecipa o benefício, o trabalhador deve lembrar que, por lei, pode pedir ao empregador que a primeira parcela do 13º salário seja adiantada para o mês de suas férias, contanto que o pedido seja feito a empresa até o final deste mês. Nesse caso, não pagará nenhuma taxa por isso (veja por quê vale a pena antecipar o 13º salário nas férias).
 
Se o direito ainda não for suficiente para aliviar o orçamento, e o trabalhador tiver de optar pelo empréstimo no banco, deve ter consciência de que, quanto mais cedo resolver antecipar o 13º salário, mais tempo ficará sob o efeito das taxas de juros cobradas na linha de crédito. Segundo Massaro, as taxas não são baixas e, se acumuladas todos os meses até o final do ano, data de recebimento do benefício, podem ter um peso significativo no orçamento
 
O educador financeiro lembra que existem linhas disponíveis no mercado que podem ser mais baratas do que a antecipação do 13º salário, como o crédito consignado, pelo qual os bancos cobram juros que variam de 2,66% a 3,46% ao mês, segundo a última pesquisa feita pelo Banco Central.
 
Por outro lado, as taxas cobradas nas linhas de antecipação do 13º salário podem ser mais baratas do que as do crédito pessoal. "Ou seja, para quem não tem acesso ao consignado, pode ser uma opção para quitar dívidas e evitar entrar no crédito rotativo do cartão de crédito e no cheque especial, onde as taxas são bem mais caras e passam de 11% ao mês", diz Massaro.
 
O educador financeiro lembra que esse tipo de crédito de longo prazo tem riscos. Em caso de desemprego ainda no primeiro semestre do ano, por exemplo, o trabalhador irá receber o 13º salário proporcional aos meses trabalhados, mas ainda ter de pagar quase o valor total do benefício ao banco, caso o porcentual esteja previsto no contrato do empréstimo.
 
A possibilidade oferecida nas linhas de antecipação do 13º salário, que consiste em pagar tanto o empréstimo como os juros acumulados apenas no dia do pagamento do benefício, em novembro e dezembro, pode ser atrativa para quem já está com o orçamento bastante pressionado. Mas, caso não haja planejamento para quitar a dívida e os encargos no final do ano, o risco de um novo descontrole financeiro será alto.
 

Tópicos: 13. salário, Banco do Brasil, Bancos, Empresas, Empresas brasileiras, Empresas abertas, Finanças, Bradesco, Caixa, Crédito, Orçamento pessoal, Santander, Empresas espanholas