Aguarde...

Restituição | 02/04/2013 15:59

As vantagens de entregar a declaração de IR cedo

Entregar a declaração de imposto de renda cedo faz com que contribuinte receba a restituição antes; mas entregar a declaração mais tarde também tem seu lado bom

Chris Gilbert / Stock Xchng

Relógio

Quem não precisa do dinheiro imediatamente pode ganhar mais se entregar a declaração mais tarde

São Paulo – Quem ainda não entregou a declaração de imposto de renda tem bons motivos para se apressar. Se você tiver imposto a restituir, quanto mais cedo entregar a declaração, mais cedo receberá a restituição. “Entregar a declaração cedo é bom para quem precisa do dinheiro logo”, diz Edino Garcia, coordenador editorial de imposto de renda da IOB Folhamatic.

Segundo Garcia, quem entregar a declaração por agora deve receber a restituição no terceiro ou quarto lote, que são entregues, respectivamente, em agosto e setembro. Os sete lotes de restituição são pagos entre junho e dezembro, sempre em torno do dia 15 de cada mês.

Até 1º de abril, 5,7 milhões de pessoas já haviam entregado a declaração de imposto de renda, o que já lhes garante alguns dos primeiros lugares na fila. Contudo, o primeiro lote, pago em junho, é quase inteiramente dedicado ao cumprimento do Estatuto do Idoso, sendo destinado a quem tem 60 anos ou mais. Para essas pessoas, a data de entrega da declaração (desde que feita antes do término do prazo) é indiferente para o recebimento da restituição.

Ou seja, quem não tem mais de 60 anos e tem imposto a restituir, receberá a quantia que lhe é devida conforme a ordem de entrega da declaração. Contudo, alguns fatores podem apressar ou atrasar o pagamento. Por exemplo, depois dos maiores de 60 anos, têm prioridade quem entrega a declaração por meio de certificado digital, atualmente obrigatório apenas para quem recebeu rendimentos de mais de 10 milhões de reais no ano ou tenha feito pagamentos a pessoas físicas ou jurídicas de valor superior a 10 milhões de reais em cada caso ou no total.

De acordo com Edino Garcia, informar o número do recibo da declaração do ano anterior também adianta o pagamento da restituição. “Se você importa os dados da declaração passada, o número já precisa ser informado. Mas quem começar a declaração do zero terá que digitar o número por conta própria”, explica o coordenador editorial de imposto de renda do IOB.

Já quem entrega a declaração cedo, mas precisa entregar uma declaração retificadora depois, vai para o fim da fila. Isso acontece porque a retificadora substitui integralmente a declaração original, gerando inclusive um novo número de recibo. Assim, o que vale para determinar seu lugar na ordem das restituições é a data da entrega da última declaração; no caso, a retificadora.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados