Aguarde...

Renda fixa | 02/07/2013 06:00

A partir de qual valor posso investir no Tesouro Direto?

Internauta pergunta quanto é preciso investir para comprar títulos do Tesouro e se é possível fazer aplicações mensais

Editado por Priscila Yazbek, de

Raul Junior/EXAME.com

Mini-notas de 100 reais sobre mão

Para investir no Tesouro é preciso comprar pelo menos 10% do título

Dúvida do internauta: Atualmente tenho uma poupança na qual aplico o valor de 150 reais mensais. Tenho a intenção de fazer o mesmo tipo de aplicação no Tesouro Direto também mensalmente. É possível? E a compra de títulos é feita apenas uma vez? Por exemplo, um título no valor de 800 reais, eu pago esse valor uma vez apenas e resgato o valor corrigido na forma que eu escolhi depois? Atenciosamente, Daiane.

Resposta de Beto Veiga*:

Olá, Daiane. 

Que bom que você faz a sua poupança mensal. É um hábito salutar e que irá garantir sempre uma segurança a mais para qualquer situação inesperada. Pelo que entendo da sua pergunta, você, além de depositar 150 reais na poupança, pretende fazer outra aplicação no mesmo valor em um título público vendido pelo Tesouro Direto.

Veja, as pessoas confundem o Tesouro Direto com uma aplicação. O Tesouro Direto não é uma aplicação, mas um sistema que permite que você compre títulos públicos.

Se você já sabe que é assim o funcionamento, então passemos ao próximo passo. Quando você entra na página, é dada a possibilidade de comprar a partir de décimo do título. Assim, se o título valer, como no seu exemplo, 800 reais, você pode comprar 10%, 20%, 30% e por aí vai. Traduzindo em reais, pode investir 80 reais, 160 reais, 240 e assim por diante.

Você pode fazer as compras mensalmente, sim. Se o título for da mesma natureza e vencimento, você pode comprar 20% todo mês.

E quando você compra o título, existe a opção de “levá-lo” até o vencimento ou de, no meio do caminho, revendê-lo. Quem irá comprar é o próprio Tesouro Nacional (note que não é o Tesouro Direto, que é só um sistema de computador). Ele irá adquirir o seu título pelo valor de mercado que estiver em vigor na época, que pode ser igual, maior ou menor do que aquele que você pagou.

Se você levar até o vencimento, será resgatado o papel com os juros e correção acertados, conforme os diferentes tipos de títulos disponíveis.

Você também tem a opção de vender o título aos pedaços. Se você tiver comprado, por exemplo, dois títulos, é possível vender a partir de 10% de cada um.

Bons investimentos!

*Beto Veiga é doutor em economia pela Universidade de Brasília, ex-funcionário do Banco Central e consultor de valores mobiliários registrado na CVM. É autor dos livros “O Essencial sobre o Tesouro Direto” , “Tudo sobre CDB”, além do Blog "Beto Veiga - finanças desvendadas" e "Case com seu banco com separação de bens".

Dúvidas, observações ou críticas sobre esta resposta? Deixe um comentário abaixo!

Envie outras dúvidas financeiras para seudinheiro_exame@abril.com.br.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados