Aguarde...

Passado | 24/09/2013 07:00

8 dicas sobre dinheiro dos veteranos para os mais jovens

Veja quais recomendações especialistas no assunto dariam a eles mesmos quando eram mais jovens

Stock.xchng

Homem checa as horas em seu relógio

Homem olha as horas: Investir 10% de seus ganhos e não concentrar tudo em imóveis são algumas das dicas para os jovens

São Paulo – Planejamento e tempo são grandes aliados das finanças pessoais. Economizar dinheiro para a aposentadoria durante décadas, por exemplo, com certeza será muito mais fácil do que deixar para a última hora. Exatamente por isso, é comum que muitas pessoas quando mais velhas reflitam sobre o que teriam feito com seu dinheiro quando mais jovens. 

A seguir, elencamos alguns dos principais conselhos que especialistas no assunto dariam para o seu “eu passado” ou recomendariam para quem ainda está em tempo de colocar sua vida financeira nos trilhos. Confira a seguir e saiba que tipos de dicas seguidas hoje podem evitar algumas lamentações no futuro.

1) Preocupe-se mais em ampliar suas fontes de renda do que em ganhar dinheiro com investimentos

André Massaro, especialista em finanças pessoais e autor do livro “Dinheiro é um santo remédio” recomenda que os investidores gastem menos tempo buscando a aplicação ideal e mais tempo pensando em que como aumentar sua fonte de renda. “Em finanças pessoais, ganhar dinheiro é um lado um pouco negligenciado, mas antes de se preocupar em investir na poupança, é preciso se preocupar em investir na capacidade de gerar dinheiro. E nada melhor para isso do que investir em educação”, afirma.

A recomendação está cada vez mais em voga entre especialistas porque muitos investimentos que antes traziam grandes rentabilidades, hoje já não rendem tanto com a Bolsa em queda e com a redução dos juros, que consequentemente gera um menor retorno entre as aplicações de renda fixa

2) Destine 10% da sua renda a investimentos

Mesmo sendo uma dica óbvia, muita gente se arrepende de não ter investido com regularidade desde cedo. E isso ocorre por alguns motivos. Um deles, estudado pelas finanças comportamentais, vertente da psicologia econômica, é a dificuldade de se enxergar o longo prazo. Na prática, isso se traduz em priorizar objetivos de curto prazo, como uma viagem, em detrimento de metas de longo prazo, como a aposentadoria.

Luiz Krempel, especialista em finanças da plataforma GuiaBolso, também afirma que muitos jovens acreditam que devem começar a poupar apenas quando passarem a ganhar um salário maior. “Geralmente, quando ganhamos pouco, os gastos também são menores, por isso é mais fácil acumular dinheiro. Mas muitos jovens ganham o primeiro salário e querem gastar com uma série de coisas que não podiam gastar antes”, diz.

Para Massaro, seja com um salário mínimo ou um salário milionário, quem quer estar em paz com as finanças deve investir pelo menos 10% da renda todo mês. “Nove em cada dez especialistas em finanças recomendam o investimento de 10% da renda por mês”. Quando o investimento se torna um hábito, além de a tarefa se tornar menos árdua, evita-se que no futuro seja preciso fazer grandes sacrifícios diante de uma necessidade. 

3) Invista em ações e seja criterioso na escolha

Especialistas ressaltam que os investimentos em ações tendem a ter uma boa performance no longo prazo. Um estudo realizado com mais de 70 mil contas de investidores americanos durante 10 anos mostrou que há uma relação inversa entre desempenho e frequência de transações: quanto mais transações pior é o retorno.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados