São Paulo - As contas que aparecem no início do ano podem desequilibrar o orçamento por vários meses se o contribuinte não analisar muito bem quais são suas opções para acertar compromissos como IPVA e IPTU. Para o educador financeiro Reinaldo Domingos, do instituto DSOP Educação Financeira, o primeiro passo é identificar qual é seu perfil financeiro, que pode ser de investidor, endividado ou equilibrado financeiramente.

Se a pessoa estiver na condição de investidor, ou seja, tem o hábito de manter uma reserva de parte da renda para esses gastos, o ideal é pagar à vista e obter os descontos. Se a condição for de equilibrado ou endividado, é preciso definir prioridade para as contas escolher as melhores formas para pagá-las.

Confira sete dicas práticas para pagar IPVA e IPTU elaboradas por Domingos.

1. Prefira pagar à vista

Tendo dinheiro em caixa, essa é a melhor opção, pois os descontos obtidos podem ser superiores a boa parte das aplicações financeiras.

2. Avalie a importância de cada conta

Se não for possível acertar todas as contas de uma só vez, priorize as cobranças de acordo com sua rotina. Uma família que tem o carro como fonte de renda, por exemplo, deve dar prioridade para o pagamento do IPVA. Se não houver prioridade definida, escolha pagar à vista a conta que tem o maior desconto e parcele apenas o restante.

3. Não se esqueça dos gastos dos próximos meses

Mesmo tendo o dinheiro da conta em caixa, não se esqueça que outros gastos fixos virão nos dias seguintes. Antes de pagar as contas à vista, certifique-se de que sobrará caixa suficiente para compromissos futuros, evitando assim o cheque especial ou financiamentos com juros altos.

4. Planeje bem as parcelas

Se a melhor forma de pagar as dívidas for mesmo o parcelamento, tenha certeza de que os valores mensais caberão no orçamento.

5. Avalie as causas e evite novos financiamentos

Se ao avaliar sua situação financeira você concluir que não há possibilidade de pagar à vista, analise o porquê disso para tentar ajustar o orçamento para os próximos anos.

6. Mantenha distância do cheque especial

No caso de compromissos eventuais como o IPVA e o IPTU, o ideal é escolher outras modalidades de pagamento e evitar cair no cheque especial.

7. Prefira o consignado

Os empréstimos devem ser evitados o máximo possível na hora de pagar contas. Mas se não houver escapatória, busque alternativas no crédito consignado, que tem os menores juros do mercado.

Conheça outras formas de financiar as férias, IPVA e IPTU.

Tópicos: Educação financeira, Impostos, Leão, IPTU, IPVA, Guia de Carros, Orçamento pessoal