São Paulo - Conversar sobre dinheiro ainda no início de um relacionamento é, sem dúvidas, uma questão delicada. No começo, qualquer comentário sobre o assunto pode parecer precoce, grosseiro ou acabar sendo mal interpretado.

Porém, conhecer os hábitos financeiros da pessoa com quem você está saindo é fundamental para evitar surpresas ou arrependimentos mais adiante.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), cerca de 17% dos brasileiros brigam por dinheiro com seus cônjuges. E não é difícil imaginar que, em tempos de crise, esse porcentual possa aumentar.

É aí que surge a questão: como identificar se o seu futuro parceiro é um desastre com relação às finanças sem precisar colocar o incômodo tema sobre a mesa?

Para responder a essa pergunta, a Time listou algumas maneiras de identificar se a pessoa com quem você pensa em dividir sua vida é desorganizada quando o assunto é dinheiro.

Vale notar que os comportamentos são apenas indicativos e não devem ser levados a ferro e fogo. Mas, a partir deles, é possível descobrir se você tem ou não motivos para se preocupar. Confira a seguir.

1) Ele anda na rua com maços de dinheiro

Em tempos em que ter dinheiro vivo na carteira é cada vez mais raro, ver alguém andando com várias notas no bolso pode ser um sinal de problemas. Em primeiro lugar, o uso de dinheiro pode indicar que a pessoa não tem crédito no mercado, o que a levaria a usar apenas esta modalidade de pagamento.

Rejeitar o uso de cartões também pode ser uma maneira de esconder transações não apenas de você, mas também de autoridades governamentais. Comprando apenas com dinheiro, a pessoa não tem suas compras registradas no extrato bancário e dificilmente poderá ser rastreada.

Por outro lado, o uso de dinheiro vivo não é necessariamente uma coisa ruim. Algumas pessoas adotam essa prática como maneira de controlar os próprios gastos. Com notas contadas na carteira, é mais fácil visualizar para onde está indo seu dinheiro e, assim, evitar entrar no vermelho. Além disso, há pessoas mais conservadoras, que simplesmente não confiam em meios de pagamento eletrônicos e preferem ter seu dinheiro em mãos sempre que necessário.

Para descobrir qual das opções acima motiva esse hábito, tente tocar no assunto sem parecer ofensivo. Diga, por exemplo, que conhece alguém que deixou de usar cartões depois que um deles foi clonado. A reação da pessoa a seu comentário deve indicar se você tem ou não motivos para ficar desconfiado. 

2) Ele gasta mais do que parece ter

Se o estilo de vida que o seu parceiro leva parece dispendioso demais para a posição que ele ocupa na carreira, fique atento. Para impressionar em um primeiro encontro, algumas pessoas gostam de parecer mais ricas ou mais bem-sucedidas do que realmente são.

Se uma pessoa ostenta carros luxuosos e pede os itens mais caros do cardápio, é natural imaginar se estes gastos não irão gerar dívidas. Mais do que isso, é o momento de avaliar se você está disposto a conviver com esse estilo extravagante.

Para identificar se você está saindo com um "gastador compulsivo", note se a pessoa fala sobre coisas que ela "precisa ter" ou se ela escolhe restaurantes caros para comer sem nenhum motivo especial.

Com o tempo, é possível identificar se a pessoa é impulsiva nos gastos ou se queria apenas passar uma boa impressão inicial.

3) Ele deixa de sair porque não tem dinheiro

Se um relacionamento mal começou e a falta de dinheiro já é motivo para uma pessoa não querer ver a outra, é normal ficar apreensivo. Ou seu parceiro vive com um orçamento realmente apertado ou, talvez, não esteja suficientemente interessado em levar adiante essa relação.

Por um lado, ser controlado com relação a gastos pode ser uma grande qualidade: a pessoa poder estar economizando para realizar algum projeto futuro, como um curso no exterior ou o financiamento de uma casa.

Porém, se o parceiro deixa de fazer coisas importantes, como ir ao dentista ou se alimentar de forma saudável, como forma de economizar, é sinal de que ele pode estar com sérias dificuldades financeiras.

Para medir a profundidade do problema, tente propor programações com custos diferentes e identificar em qual delas seu parceiro se sente mais à vontade. Com o tempo, ficará claro se as dificuldades dele são crônicas ou temporárias.

4) Ele tem uma carteira cheia de cartões de crédito

Se em poucos encontros você percebeu que a pessoa usa uma dezena de cartões de crédito diferentes para pagar suas contas, preste bem atenção. Pode ser um sinal de que ela está sem saldo no banco e precisa de muitos cartões para não estourar seus limites. A verdadeira conta, neste caso, virá mais tarde.

No entanto, a variedade de cartões pode também ser uma virtude de um consumidor experiente. Algumas pessoas fazem uso dessa prática para acumular pontos e obter benefícios.

Para saber com quais desses cenários você está lidando, preste atenção nos detalhes. O seu parceiro usa o crédito até mesmo para compras com valores baixos? Insiste na desculpa de não ter dinheiro em espécie para sempre usar o cartão de crédito? Se notar algum destes sinais, acenda a luz vermelha. 

Você ainda pode observar se pelo menos algum desses cartões são voltados a clientes de alta renda, o que indicaria ao menos que ele tem bom crédito perante aos bancos. Tente também questionar a pessoa se ela tem algum interesse em acumular pontos. Se ela disser que não, ou então desconversar, possivelmente está passando por problemas financeiros.

5) Ele dá gorjetas diferentes das que você daria

Normalmente, o valor de uma gorjeta varia de acordo com a qualidade do serviço prestado e com a generosidade do cliente.

Por isso, se você notar que o seu parceiro não tem o hábito de dar incentivos a estes trabalhadores, tente compreender se é uma questão de cuidado excessivo com o dinheiro ou de problemas financeiros. Se ele der gorjetas extremamente generosas, procure entender se ele é desapegado em relação ao dinheiro ou se está tentando apenas impressionar.

Em qualquer um dos casos, esta é mais uma questão de compatibilidade de perfis do que de organização financeira. É importante saber se vocês pensam de forma parecida quando o assunto é poupar dinheiro. Assim, ficará mais fácil evitar conflitos no futuro. 

Essa compatibilidade também pode ser testada na hora de decidir o valor que vocês estarão dispostos a pagar em um presente de aniversário para amigos, ou na hora de decidir sobre a importância de manter ou não a assinatura da Netflix.

6) Ele reclama sobre dinheiro o tempo inteiro

Talvez o sinal mais óbvio de que você está lidando com uma pessoa que não cuida bem das suas finanças é se ela reclamar com frequência sobre dinheiro. Quando qualquer conversa sobre o tema gera uma reação negativa por parte de seu parceiro, ele provavelmente está enfrentando ou já enfrentou algum problema econômico.

Resta saber de que natureza é esse problema. Se a pessoa tiver sido demitida recentemente, é natural que ela não se sinta confortável para falar sobre o assunto.

Porém, se as reclamações forem a respeito da pensão que ela tem de pagar aos filhos, ou sobre a dificuldade em pagar impostos, é pouco provável que o problema seja apenas uma questão temporária.

Para descobrir qual o cenário mais provável, mostre-se compreensivo e conte sobre os seus próprios problemas. Impulsionada por esta iniciativa, talvez seu parceiro decida fazer o mesmo.

Tópicos: Comportamento, Crise econômica, Dicas de finanças pessoais, Dinheiro