São Paulo – Depois de seis meses de quedas consecutivas, o Ibovespa, principal índice de referência da Bolsa brasileira, fechou o mês de julho com alta de 1,64%, apesar de ainda registrar uma desvalorização de 20,86% no acumulado do ano. As carteiras recomendadas de ações também tiveram uma leve recuperação no mês, mas as corretoras ainda mantêm a cautela.

A expectativa é de que a divulgação dos resultados corporativos, que devem continuar em agosto, não surpreenda positivamente o mercado, mas contribua para a correção dos descontos excessivos que algumas empresas têm sofrido na Bolsa nos últimos meses. 

As ações mais recomendadas pelas corretoras foram: a BRF (12 carteiras), que apresentou bons resultados do segundo trimestre de 2013 e tem obtido ganhos com exportações diante da depreciação do real frente ao dólar; e a Vale (11 carteiras), que teve alta de 4,07% em julho e que, segundo analistas, pode apresentar bons resultados nos próximos meses com a redução dos custos operacionais e também com o cenário de alta do dólar, que favorece suas exportações. 

Brasil

Apesar da alta de algumas ações ter dado fôlego ao Ibovespa, as corretoras destacam que no cenário doméstico, as perspectivas ainda não são animadoras. O baixo crescimento da economia, a alta do dólar e as perspectivas de altas dos juros contribuem para o pessimismo no mercado nacional. 

Cenário internacional 

De forma geral, as bolsas internacionais fecharam o mês de julho de forma positiva. Pela primeira vez depois de muitos meses a Europa não apresentou indicadores tão negativos e o Banco Central Europeu anunciou a manutenção dos juros na taxa mínima histórica de 0,5% ao ano. 

A redução dos estímulos econômicos pelo banco central norte-americano, o Federal Reserve (FED), continuou no foco dos mercados em julho. Caso seja reduzido o socorro do FED, a menor liquidez do mercado americano e uma eventual alta dos juros nos Estados Unidos podem levar grandes investidores a reduzirem suas posições em mercados emergentes, o que pressionaria ainda mais as bolsas desses países.

A situação da China continua desanimando investidores do mundo todo. Indicadores dos setores manufatureiro, de exportações, importações e produção industrial recuaram no último mês, e cresce a expectativa do mercado sobre a promoção de medidas de estímulo econômico por parte do governo de Pequim. 

Veja a seguir as carteiras recomendadas para agosto, ou clique em uma das corretoras e vá direto à página da carteira buscada.

Ágora/Bradesco
Alpes/Wintrade

Ativa
BB Investimentos

BI&P Indusval & Partners Corretora
BTG Pactual

Coinvalores
Concordia

Geração Futuro
Geral

Gradual
HSBC

Omar Camargo
Planner

Quantitas
Rico/Octo Investimentos

Santander
Socopa

Solidez
Souza Barros

Spinelli
Um Investimentos

Walpires
XP Investimentos

Ágora e Bradesco

A carteira da Ágora e do Bradesco registrou alta de 4,8% em julho. No ano, a carteira acumula alta de 7,7%.

Papéis incluídos: BRF, BR Malls e Smiles. Papéis retirados: BM&FBovespa, Qualicorp e TIM. 

Os analistas destacam que a BRF é recomendada porque existe uma perspectiva de que a empresa reduza custos e despesas com a entrada do seu novo Conselho de Administração e com o anúncio de um programa de reestruturação. Os analistas esperam que seu lucro cresça mais de 20% em 2014 e 2015. A BR Malls foi sugerida porque os analistas esperam que a empresa tenha um bom crescimento por meio de aquisições, além do fato de a companhia ser favorecida pelo aumento do consumo. Eles ainda afirmam que a empresa anunciou um programa de recompra das suas ações, o que indica que os papéis estão com um preço atrativo. 

Sobre a Smiles, os analistas avaliam que a empresa deverá se beneficiar da expansão do mercado de programas de fidelidade, puxada pelo grande uso dos cartões de crédito e pelo maior conhecimento dos passageiros sobre esse tipo de programa. 

Ação Código Preço-alvo (dez/2013)
BB Seguridade BBSE3 R$ 22,40
BRF BRFS3 R$ 55,00
BR Malls BRML3 R$ 33,00
Brazil Pharma BPHA3 R$ 16,30
Estácio ESTC3 R$ 18,80
Gerdau GGBR4 R$ 22,00
Hypermarcas HYPE3 R$ 22,50
JSL JSLG3 R$ 18,00
Smiles SMLE3 R$ 34,00
Totvs TOTS3 R$ 23,80

Alpes/Wintrade

A carteira recomendada da WinTrade, home broker da Alpes Corretora, teve queda de 0,50% em julho e no acumulado de 2013 apresenta desvalorização de 19,65%.

Papéis incluídos: Alupar, Anhanguera e Vale PN. Papéis retirados: Souza Cruz, ALL e Vale ON.

As ações da ALL foram retiradas, mesmo os analistas acreditando que os papéis ainda têm bom potencial de valorização no longo prazo. No curto prazo, porém, as ações vêm sendo penalizadas pela entrada da Cosan no bloco de controle em função de possíveis conflitos de interesse. Além disso, notícias sobre um possível aumento de capital a ser realizado na companhia provocaram queda expressiva nas ações, diz o relatório. A Souza Cruz também sai da carteira, em função dos resultados do segundo semestre.

A troca das ações preferenciais da Vale pelas ordinárias deve-se a uma aparente distorção entre seus preços, dizem os analistas. A Alupar entra por oferecer uma rara combinação de pagamento de dividendos, previsibilidade de resultados e potencial de crescimento, diz o relatório. Já a Anhanguera entra devido às boas perspectivas do setor de educação com o programa de crédito educativo FIES. A fusão com a Kroton, segundo os analistas, deve também ser benéfica para a empresa e favorecer os investidores, que poderiam entrar no novo negócio com desconto.

Ação Código Preço-alvo
Alupar ALUP11 ND
Anhanguera AEDU3 ND
BRF BRFS3 ND
CCR CCRO3 ND
Cosan CSAN3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Multiplus MPLU3 ND
Vale PN VALE5 ND
Vanguarda VAGR3 ND

Ativa

Em julho, a carteira da Ativa teve alta de 2,89%. No ano, a carteira apresenta desvalorização de 9,89%.

Papéis incluídos: Suzano. Papéis retirados: Cosan.

Segundo a corretora, as ações da Suzano foram incluídas diante das perspectivas positivas para o setor, já que houve um certo ajuste na relação entre oferta e demanda no mercado de celulose e também pela diversificação que a ação proporciona por estar exposta ao segmento de papel. Os analistas também comentam que a empresa tem um alto potencial de reduzir sua alavancagem financeira com a expectativa de aumento na geração de caixa após a entrada em operação da unidade de celulose no Maranhão. Por fim, eles dizem que as ações da Suzano têm sido negociadas a um preço abaixo do seu valor patrimonial (0,78x P/VPA). 

Ação Código Preço-alvo
Anhanguera AEDU3 ND
Arteris ARTR3 ND
Equatorial EQTL3 ND
Gerdau Metalúrgica GOAU4 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Lojas Renner LREN3 ND
Pão de Açúcar PCAR4 ND
Petrobras PETR4 ND
Suzano SUZB5 ND
Technos TECN3 ND
Tractebel TBLE3 ND
Vale VALE5 ND
Klabin KLBN4 ND

BB Investimentos

Em julho, a carteira do BB Investimentos teve alta de 1,30%, e acumula perda de 7,12% no ano.

Papéis incluídos: BRF, CESP, Cyrela Realty, Ecorodovias, Gerdau, Itaú Unibanco, Klabin, M. Dias Branco e Localiza. Papéis retirados: Arteris, Grendene, Marfrig, Natura, Pão de Açúcar, Suzano, TIM, Tractebel e Weg.

De acordo com o relatório do BB Investimentos, agosto não tem clara tendência definida, uma vez que o Fed, o Banco Central americano, não definiu o prazo dos estímulos à economia. A volatilidade e a indefinição das Bolsas devem continuar neste mês, portanto. Os pontos a se prestar atenção são as divulgações de dados econômicos dos EUA – quanto melhores, maiores as chances de os estímulos terminarem e Wall Street recuar – e as considerações do mercado brasileiro em relação aos números da economia chinesa.

Ação Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 ND
BRF BRFS3 ND
CESP CESP6 ND
Cielo CIEL3 ND
Cyrela Realty CYRE3 ND
Ecorodovias ECOR3 ND
Gerdau GGBR4 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Klabin KLBN4 ND
Localiza RENT3 ND
M. Dias Branco MDIA3 ND
Petrobras PETR4 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Vale VALE5 ND

BI&P Indusval & Partners Corretora

A carteira de julho da Indusval Corretora teve alta de 3,43% e no acumulado do ano apresenta valorização de 5,53%.

Papéis incluídos: Alpargatas e Paranapanema. Papéis retirados: CCR e Cosan.

No relatório mensal, os analistas afirmam que o cenário para o mês de agosto é de máxima cautela diante da divulgação de uma série de resultados trimestrais de empresas nesta primeira quinzena.

Sobre as alterações na carteira, os analistas afirmam que retiraram a CCR porque, apesar dos sólidos resultados a companhia gera constantes preocupações por causa da interferência do governo na área de concessão. A Cosan deixa o portfólio por causa das mudanças que a empresa teve como reflexo do encerramento do seu exercício social, de março para dezembro. A Alpargatas foi incluída por causa das estimativas de um bom resultado do segundo trimestre de 2013 e a Paranapanema entra diante da forte queda da sua cotação, que passou de 6,24 para 4,54 reais por ação e também porque seu resultado operacional do segundo trimestre tende a ser mantido nos mesmos níveis do primeiro trimestre.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
Alpargatas ALPA4 ND
Ambev AMBV3 ND
BB Seguridade BBSE3 ND
BRF BRSF3 ND
Kroton HROT3 ND
M. Dias Branco MDIA3 ND
Pão de Açúcar PCAR4 ND
Paranapanema PMAM3 ND
Souza Cruz CRUZ4 ND
TIM TIMP3 ND
Ultrapar UGPA3 ND

BTG Pactual

No mês de julho a carteira 10SIM™ do BTG Pactual teve queda de 0,5% e acumula no ano perda de 1,7%.

Papéis incluídos: Hering e Estácio. Papéis retirados: BM&FBovespa e IMC.

Segundo os analistas do BTG Pactual, depois de um desafiante ano de 2012, a Hering parece ter resolvido seus problemas de produção e de logística. Apesar do fraco resultado do primeiro semestre, que reflete a desaceleração da economia brasileira, eles acreditam que o modelo de negócio da companhia permitirá que ela obtenha resultados acima da média do mercado. Além disso, eles avaliam que a empresa tem sido negociada com bons descontos.

Sobre a entrada da Estácio, a corretora afirma estar otimista com o setor de educação, que apresentou bons resultados no primeiro trimestre e tem boas perspectivas diante da elevação do consumo e da baixa taxa de evasão. Eles também ressaltam que optaram por sugerir a Estácio porque a empresa está com desconto em relação à Anhanguera-Kroton. 

Empresa Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 ND
BB Seguridade BBSE3 ND
BM&FBovespa BVMF3 ND
BRF BRFS3 ND
BR Insurance BRIN3 ND
Cielo CIEL3 ND
Cosan CSAN3 ND
Estácio ESTC3 ND
Hering HGTX3 ND
IMC IMCH3 ND
Pão de Açucar PCAR4 ND
Suzano SUZB5 ND

Coinvalores

Não foi divulgado nenhum comentário sobre a carteira, tampouco seu desempenho e as alterações realizadas.  

Empresa Código Preço-alvo
Bematech BEMA3 ND
BRF BRFS3 ND
Cetip CTIP3 ND
Ecorodovias ECOR3 ND
Eztec EZTC3 ND
Gerdau GGBR4 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Kroton KROT3 ND
Mills MILS3 ND
Mrv MRVE3 ND
Petrobras PETR4 ND
Randon RAPT4 ND
Suzano SUZB5 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Vale VALE5 ND

Concórdia

A carteira da Concórdia apresentou alta de 1,61% em julho e no ano acumula queda de 5,08%. 

Papéis incluídos: Copel, Copasa, Alpargatas e Ultrapar. Papéis retirados: Cemig, Banco do Brasil, Iguatemi e Iochpe-Maxion.

Sob o ponto de vista da análise gráfica, a corretora afirma que a Copasa deve ter uma recuperação no curto prazo e a queda da volatilidade no ativo corrobora para uma situação iminente de aumento da oscilação nas próximas semanas, por isso a probabilidade desta oscilação ocorrer para cima é maior do que para baixo. Sobre a Renner, eles comentam que desde a sua máxima histórica, atingida no final do mês de maio, o ativo sofreu fortes perdas e, de acordo com a leitura dos gráficos, existe uma possibilidade de ocorrer um ajuste técnico para cima nas próximas sessões. O relatório também traz comentários sobre a Petrobras. Segundo os analistas, a recuperação da empresa, prevista no final de junho, foi confirmada e o gráfico indica a possibilidade de intensificação deste movimento. 

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 R$ 17,68
Alpargatas ALPA4 R$ 15,80
BRF  BRFS3 ND
BR Malls BRML3 R$ 30,03
Copasa CSMG3 R$ 41,04
Copel CPLE3 R$ 45,33
CPFL Energia CPFE3 R$ 30,20
Duratex DTEX3 R$ 19,74
Gerdau Met GOAU4 R$ 26,15
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 39,42
Lojas Renner LREN3 R$ 81,23
Petrobras PETR4 R$ 23,16
Telefonica Brasil VIVT4 R$ 55,79
Ultrapar UGPA3 R$ 57,99
Vale VALE5 R$ 53,46

Geração Futuro

Em julho, a carteira da Geração Futuro registrou alta de 1,50% e no ano acumula alta de 0,36%.

Papéis incluídos: Banco do Brasil, BM&FBovespa, Porto Seguro e Klabin. Papéis retirados: Dufry, Embraer, Itaú Unibanco e Raia Drogasil.

A estratégia da Geração Futuro consiste em uma maior alocação em companhias com pouca exposição a riscos externos, baixo endividamento e boas perspectivas de crescimento nos resultados. Para agosto foram escolhidas empresas que devem apresentar bons resultados trimestrais e que possam sair fortalecidas da temporada de balanços.

“Procuramos, também, companhias com maior correlação com o mercado e que possam impulsionar a carteira recomendada caso a recuperação do mercado vista no mês de julho persista no mês de agosto”, diz o relatório.

Empresa Código Preço-alvo
Banco do Brasil BBAS3 ND
BB Seguridade BBSE3 ND
BM&FBovespa BVMF3 ND
Cielo CIEL3 ND
Klabin KLBN4 ND
Kroton KROT3 ND
Marcopolo POMO4 ND
Porto Seguro PSSA3 ND
Randon RAPT4 ND
Ultrapar UGPA3 ND

Geral Investimentos

A carteira Multiestratégia da Geral Investimentos registrou valorização de 3,66% em julho e queda de 7,27% no ano.

Papéis incluídos: Suzano. Papéis retirados: Telefônica.

A Suzano foi incluída por ter apresentado uma melhora nos resultados, com aumento nos embarques e maiores preços de celulose, bem como sua exposição ao câmbio mais elevado. Para a Geral, a companhia vem executando bem seu plano de desalavancagem e deve se beneficiar da entrada em operação do projeto de Maranhão com previsão para 2014. Já a Telefônica foi retirada, segundo a corretora, por apresentar menor potencial de valorização no mês.

Ação Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 ND
Braskem BRKM5 ND
BRF BRFS3 ND
Grendene GRND3 ND
Itausa ITSA4 ND
Kroton KROT3 ND
M. Dias Branco MDIA3 ND
Suzano SUZB5 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Valid VLID3 ND

Gradual 

Em julho, a carteira da Gradual teve um retorno positivo de 4,4%, mas acumula queda de 11,67% no ano. 

Papéis incluídos: Eucatex, Fibria e Sul América. Papéis retirados: Eternit, Porto Seguro e Sonae Sierra Brasil. 

Segundo o relatório da corretora, a Eucatex foi incluída no portfólio porque a ação se revela uma boa oportunidade de compra diante das perspectivas operacionais positivas e do excessivo desconto do ativo. A SulAmérica passa a compor a carteira porque teve melhores resultados no segundo trimestre de 2013, pelo fato de suas ações estarem apresentando um bom desconto em relação às da Porto Seguro e porque a empresa está focando nos seguros-saúde, produto que traz segurança diante de um cenário econômico mais volátil. Já a Fibria é recomendada diante da perspectiva de alta no preço da celulose, do dólar mais valorizado e dos bons resultados do segundo trimestres de 2013.

Empresa Código Preço-alvo
Banco do Brasil BBAS3 R$ 30,00
Bematech BEMA3 R$ 13,70
Cemig CMIG4 R$ 29,80
Eucatex EUCA4 R$ 10,50
Fibria FIBR3 R$ 28,00
Gerdau GOAU4 R$ 20,00
Oi OIBR4 R$ 5,00
Saraiva SLED4 R$ 40,00
Sul América Unit SULA11 R$ 16,40
Vale VALE5 R$ 35,00

HSBC

A carteira HSBC Top Picks teve alta de 0,83% em julho. No ano, a carteira acumula queda de 8,61%.

Papéis incluídos: Pão de Açúcar. Papéis retirados: Cosan.

Para os analistas do HSBC, os indicadores locais divulgados em julho “só reforçam a visão mais conservadora acerca do crescimento econômico brasileiro”. Mas os indicadores antecedentes e de confiança dos consumidores e empresários indicam reversão desta tendência no curto prazo. Nos EUA, o foco de atenção devem ser os próximos indicadores de emprego e inflação, que fortalecerão ainda mais o dólar caso os números sejam fortes, lembram os analistas.

Embora continuem otimistas em relação à Cosan, os analistas do HSBC optaram por retirar esta ação da carteira, para elevar a participação no setor de consumo, que continua apresentando resultados expressivos apesar da desaceleração econômica brasileira, diz o relatório. “Ademais, a estratégia de expansão do Grupo Pão de Açúcar via abertura de minimercados tem contribuído de forma importante para a melhoria da margem operacional do Grupo”, diz o documento.

Ação Código Preço-alvo
AES Tietê GETI4 ND
Embraer EMBR3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Minerva BEEF3 ND
Odontoprev ODPV3 ND
Pão de Açúcar PCAR4 ND
Ultrapar UGPA4 ND
Vale VALE3 ND
Weg WEGE3 ND

Omar Camargo

A carteira da Omar Camargo apresentou variação positiva de 1,0% no mês de julho. No ano, a queda acumulada é de 14,51%.

Papéis incluídos: Bradespar e Klabin. Papéis retirados: Itaú Unibanco e Vale.

A Bradespar foi incluída entre as sugestões porque os analistas consideram que a ação está com um bom desconto. E a Klabin entra porque está em um bom momento operacional, fruto de uma alta demanda e de um forte trabalho de redução de custos. Os analistas também destacam que a empresa tem a flexibilidade de direcionar a produção para exportações quando o mercado doméstico desacelera.  

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
Arteris ARTR3 ND
Bradespar BRP4 ND
BRF BRFS3 ND
BR Malls BRML3 ND
BR Properties BRPR3 ND
Cosan CSAN3 ND
Klabin KLBN4 ND
Raia Drogasil RADL3 ND
Taesa TAEE11 ND
Vanguarda Agro VAGR3 ND

Planner

A carteira Planner registrou valorização de 1,51% em julho e queda de 13,77% no ano.

Papéis incluídos: AES Tietê, Eztec, e Tractebel. Papéis retirados: Hering, Magazine Luiza, Cyrela e Souza Cruz.

Mesmo diante de um cenário de incertezas, os analistas da Planner acreditam que agosto ainda possa ser ligeiramente positivo para a Bolsa, “exposta à volatilidade em razão dos resultados trimestrais das principais empresas listadas, podendo trazer surpresas pelo impacto da variação cambial no período”, diz o relatório. Em função disso, a carteira sugerida é composta por ações menos expostas aos riscos externos, com destaque para os setores com expectativa de desempenho positivo nos próximos trimestres.

Ação Código Preço-alvo em R$ (dez/13)
AES Tietê GETI4 25,00
Banrisul BRSR6 20,10
Bradesco BBDC4 37,45
Duratex DTEX3 16,00
Eztec EZTC3 30,00
Gerdau GGBR4 23,00
Lojas Renner LREN3 82,30
MRV Engenharia MRVE3 10,00
Multiplan MULT3 60,00
Tim Participações TIMP3 10,90
Totvs TOTS3 47,00
Tractebel TBLE3 38,00

Quantitas

A carteira da Quantitas apresentou retorno de 1,36% em julho e registra rentabilidade de 5,80% no acumulado do ano . 

Papéis retirados: Vale. 

Segundo o analista Marcel Kussaba, a Vale foi retirada da carteira porque, apesar do preço atraente, o desconto se justifica pela mudança de postura econômica da China, seu maior cliente. "Não vemos crescimento relevante de volumes para 2014. Aliado a isto, neste momento de incertezas quanto a situação fiscal brasileira, entendemos que Vale pode ser prejudicada na discussão em Congresso do marco regulatório da mineração. Preferimos ficar fora desta discussão", diz.  

Kussaba acrescenta que a Abril Educação foi incluída pois a empresa possui uma possibilidade de crescimento acelerado aliado a um bom potencial de valorização da ação. Segundo o analista, a empresa é pouco dependente do ciclo de baixo crescimento da economia e vem investindo em um dos principais problemas estruturais do Brasil, a baixa qualidade de educação no ensino fundamental.

Ação Código Preço-alvo
Abril Educação ABRE11 ND
Alpargatas ALPA4 ND
Anhanguera AEDU3 ND
Cetip CTIP3 ND
Even EVEN3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Mills MILS3 ND
Santos Brasil STBP11 ND

Rico/Octo Investimentos

A Carteira 8+ do Rico, home broker da Octo Investimentos, registrou alta de 2,51% em julho e queda de 7,25% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Ambev, Suzano e Vale. Papéis retirados: Helbor, Hypermarcas e Petrobras.

Segundo a corretora, a Vale teve uma melhora de rentabilidade em julho, sobretudo em função da expectativa de manutenção do PIB chinês acima de 7%, da valorização do dólar e do aumento do preço do minério de ferro. A ação é recomendada pela expectativa de 5% de dividend yield para 2013, pelo comprometimento estratégico da empresa de desinvestimento nos ativos que não fazem parte da sua atuação principal, como ativos de logística e carvão térmico e também pela continuidade de redução de gastos administrativos.

A Ambev entra no portfólio pela forte liderança no mercado nacional de cerveja, pelo crescente viés de consumo interno, pela consistência nos resultados operacionais e elevada geração de caixa, além da forte confiança do mercado na gestão da empresa. A Suzano foi sugerida porque a corretora acredita que a empresa está bem posicionada para capturar uma recuperação dos preços de celulose no mercado externo, conforme os reajustes já anunciados neste ano, além do fato de a companhia se beneficiar de um reaquecimento da economia doméstica e da valorização do dólar. 

Ação Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 ND
BM&FBovespa BVMF3 ND
Bradesco BBDC4 ND
Grendene GRND3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Kroton KROT3 ND
Suzano SUZB5 ND
Vale VALE5 ND

Santander

A carteira recomendada do Santander registrou valorização de 2,82% em julho e queda de 12,90% no ano.

Papéis incluídos: Gerdau, Ambev e Cetip. Papéis retirados: Cosan, Fibria e Transmissão Paulista.

Para a Gerdau, o Santander espera melhoras no resultado do segundo trimestre em função do aumento do preço do aço e da redução de custos. A Cetip tem múltiplos atrativos e também deve ver bons resultados trimestrais. As ações da Ambev devem ser impulsionadas também pelos resultados positivos observados no segundo trimestre. Além disso, a unificação das classes de ações (todas as preferenciais se tornarão ordinárias) deve otimizar a estrutura fiscal da empresa e liberar em torno de 4% ou 5% ao acionista na forma de juros sobre o capital próprio.

Já os papéis de Cosan e Fibria não apresentam fatores que possam impulsionar seus preços em um horizonte visível, diz o relatório. No caso da Transmissão Paulista, a retirada se deve ao risco de que o governo atrase o reembolso da base de ativos, o que deve atrasar a distribuição de dividendos referentes a 2012.

Ação Código Preço-alvo em R$ (dez/13)
Ambev AMBV4 101,25
Braskem BRKM5 19,00
BRF BRFS3 Em revisão
Cetip CTIP3 34,70
Gerdau GGBR4 16,00
Iochpe-Maxion MYPK3 34,00
Itausa ITSA4 13,00
Kroton KROT3 Em revisão
Marcopolo POMO4 14,50
Petrobras PETR3 22,00
Vale VALE5 45,00

Socopa

Em julho, a carteira Top Pick da Socopa registrou alta de 4,11% e no ano acumula queda de 7,15%.

Papéis incluídos: Banco do Brasil e Oi. Papéis retirados: Suzano e Itaú Unibanco.

O BB foi acrescentado à carteira devido à elevação da taxa Selic pelo Banco Central, o que deve ter impacto positivo para os bancos. Os analistas da Socopa acreditam que os papéis do BB estão descontados em relação a seus pares, abrindo espaço para recuperação no curto prazo.

Já a Oi cancelou os dividendos previstos para agosto em função de sua elevada relação dívida líquida/EBITDA. De acordo com os analistas, essa foi uma boa notícia, pois mostra que a administração está compromissada com a gestão da dívida. Além disso, em julho a empresa informou a venda da GlobeNet por 1,75 bilhão de reais e dos direitos de exploração de torres de transmissão por 690 milhões de reais.

Empresa Código Preço-alvo
Banco do Brasil BBAS3 Em revisão
Gerdau GGBR4 Em revisão
Grendene GRND3 Em revisão
Oi OIBR4 Em revisão
Vale VALE5 Em revisão

Solidez

No mês de julho a carteira da Solidez teve alta de 5,06% e no acumulado do ano registra queda de 10,78%.

Papéis incluídos: Hering e Natura. Papéis retirados: Brookfield e Oi.

Segundo o analista Filipe Borges, a Brookfield e a Oi foram retiradas da carteira porque os dois ativos tiveram uma alta expressiva no mês passado, atingindo os objetivos de ganho. Sobre a inclusão das ações da Natura e da Hering, ele comenta: "Estou trabalhando com boa perspectiva para o mercado interno neste mês. Essas ações sofreram bastante nos últimos meses em função da inflação, e agora, com a tentativa de estabilização, estas ações podem se recuperar no curto prazo".

Ação Código Preço-alvo
Banco do Brasil BBAS3 ND
Eletropaulo ELPL4 ND
Gol GOLL4 ND
Hering HGTX3 ND
Natura NATU3 ND
Usiminas USIM3 ND
Vale VALE5 ND

Souza Barros

Não foi divulgado o desempenho da carteira. 

Papéis incluídos: BR Malls. 

Segundo a corretora, as vendas totais nos shoppings da BR Malls cresceram 10,2% no segundo trimestre na comparação anual e entre janeiro e junho cresceram 12% em relação ao mesmo período de 2012. Os analistas afirmam que as perspectivas da companhia são boas, especialmente no médio e longo prazo, em função dos projetos desenvolvidos em 2012 e da consolidação de projetos lançados em 2013. Eles também destacam que os investimentos superiores a 3 bilhões de reais entre 2010 e início de 2013 mudaram o grau de alavancagem da companhia, mas os vencimentos das dívidas se iniciarão em 2017, por isso a empresa tem tempo para gerar caixa e honrar os compromissos. 

Ação Código Preço-alvo
BR Malls BRML3 ND
BRF BRFS3 ND
Cetip CTIP3 ND
Hypermarcas HYPE3 ND
Localiza RENT3 ND

Spinelli

Em julho a carteira da Spinelli apresentou leve desvalorização de 0,42% e no acumulado do ano registra queda de 1,82%.

Papéis incluídos: Cielo, Natura e Ultrapar. Papéis retirados: CCR, Le Lis Blanc, M. Dias Branco e Odontoprev.

Segundo o relatório da corretora, a Natura entra na carteira porque tem se beneficiado de suas operações internacionais, diante do conturbado cenário do consumo no Brasil, e também porque a empresa tem lançado produtos de higiene pessoal com um baixo tíquete médio, que devem ajudá-la a frear a queda na participação de mercado e atingir um novo público.

Já a Cielo entra no portfólio porque, com uma taxa de desemprego próxima à mínima histórica e o consequente aumento do poder de compra do brasileiro, a companhia é favorecida pelo aumento no volume financeiro de transações e pelo aumento da base instalada das máquinas de cartões, incluindo as máquinas wireless, que possuem tarifas mais altas. E a Ultrapar se beneficia principalmente do aumento da frota de veículos, do preço do diesel e da gasolina, uma vez que os postos Ipiranga são responsáveis por cerca de 70% do seu EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

Ação Código Preço-alvo
BRF BRFS3 ND
Cielo CIEL3 ND
Fibria FIBR3 ND
Natura NATU3 ND
Ultrapar UGPA3 ND

Um Investimentos

A carteira recomendada da Um Investimentos registrou alta de 2,30% em julho. Não foi divulgado o desempenho no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Dasa e Anhanguera. Papéis retirados: Itaú e Fleury. 

Sobre a Dasa, os analistas ressaltam que a companhia - líder no setor de diagnósticos por imagem e análises clínicas - deve apresentar fortes resultados do segundo trimestre no dia 12 de agosto. Além disso, eles destacam que a empresa tem um perfil defensivo, já que trabalha com serviços de necessidades básicas, tem forte presença regional e sólida reputação na comunidade médica.

Já a Anhanguera entra na carteira pelas perspectivas de aumento do número de alunos dos cursos presenciais e a distância, pela expectativa de divulgação de fortes resultados do segunto trimestre de 2013, no dia 14 de agosto, e também pela elevação da penetração do FIES (Fundo de Financiamento Estudantil).

Ação Código Preço-alvo
Alpargatas ALPA4 R$ 16,40
Anhanguera AEDU3 R$ 16,50
Bradesco BBDC4 R$ 37,50
Cosan CSAN3 R$ 53,20
Dasa DASA3 R$ 13,90
Iochpe-Maxion MYPK3 R$ 31,57
Marcopolo POMO4 R$ 15,00
Pão de Açúcar PCAR4 R$ 114,84
Petrobras PETR4 R$ 20,20
Taesa TAEE11 R$ 26,00
Vale VALE5 R$ 42,00

Walpires

A carteira recomendada Walpires registrou valorização de 2,37% em julho. Não foi divulgado seu desempenho no ano.

A corretora não divulgou comentários sobre a carteira do mês.

Ação Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 ND
Braskem BRKM5 ND
BRF BRFS3 ND
Cielo CIEL3 ND
Fibria FIBR3 ND
Gerdau GGBR4 ND
JBS JBSS3 ND
Klabin KLBN4 ND
Tim Participações TIMP3 ND
Ultrapar UGPA3 ND

XP Investimentos

A carteira da XP registrou valorização de 2,70% em julho e queda de 11,20% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Direcional e Estácio Participações. Papéis retirados: Arteris.

A XP retirou da carteira as ações da Arteris a fim de realizar lucros. Embora acreditem que o papel ainda tenha potencial de valorização, os analistas da corretora creem que o risco agora já não compensa mais. A Direcional entra na carteira por ser, segundo os analistas, uma das construtoras mais eficientes no mercado, com ciclo de caixa e ciclo de projetos menor que a maioria. Além disso, no seu segmento de atuação – a linha mais baixa do Minha Casa, Minha Vida – tem pouca concorrência e deve continuar em alta demanda, diz o relatório.

As ações da Estácio foram escolhidas porque os analistas da XP acreditam que o cenário para o segmento de Educação continuará positivo. A Estácio, dizem eles, tem potencial de aumento de rentabilidade mediante o aumento da base de alunos, expansão de ensino à distância e crescimento inorgânico (pulverização do mercado e possível fusão de Kroton e Anhanguera).

Ação Código Preço-alvo
BB Seguridade BBSE3 ND
BM&FBovespa BVMF3 ND
BR Malls BRML3 ND
Cemig CMIG4 ND
Direcional DIRR3 ND
Estácio Participações ESTC3 ND
Hering HGTX3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Ultrapar UGPA3 ND

Tópicos: Carteira recomendada, Investimentos pessoais, Guia de Ações, Corretoras, Renda variável