São Paulo – O Ibovespa fechou agosto no azul, com alta de 3,68%, impulsionado pelos bons resultados das empresas e pelo bom desempenho das ações de empresas exportadoras, beneficiadas pela desvalorização do real em relação ao dólar. Bons resultados econômicos na China e na Europa também deixaram o mercado mais otimista.

As carteiras recomendadas das corretoras acompanharam a tendência de alta do índice, embora apenas sete delas tenham conseguido superá-lo no mês. No ano, contudo, muitas ainda permanecem com retorno negativo em suas carteiras.

Para setembro, os analistas das corretoras esperam ainda muita volatilidade e incertezas, mas se dispuseram a destinar parte da carteira às exportadoras, inclusive as de commodities, a fim de aproveitar o real desvalorizado. A ação mais recomendada foi a da Vale, presente em 14 carteiras. Em seguida, veio a BRF, presente em dez carteiras.

A maior expectativa em relação a setembro é a reunião do Federal Open Market Comittee (FOMC), espécie de Comitê de Política Monetária dos EUA, em meados do mês. Na ocasião, pode ser decidido o início da retirada dos estímulos norte-americanos à economia, o que significaria uma escassez de dólares no mercado e uma valorização ainda maior da moeda. A expectativa de ataque dos EUA à Síria também deixa o mercado apreensivo e merece atenção dos investidores.

Apesar de o Produto Interno Bruto (PIB – conjunto das riquezas geradas no país) ter crescido 1,5% no segundo trimestre, o que atualmente é um bom resultado, os analistas não têm muita fé na consistência desse crescimento, e acham que ele pode não se manter.

Clique no nome da corretora para ver sua carteira recomendada:

Ágora/Bradesco
Alpes/Wintrade

Ativa
BB Investimentos

BI&P Indusval & Partners Corretora
BTG Pactual

Coinvalores
Concórdia

Geração Futuro
Geral Investimentos

Gradual
HSBC

Omar Camargo
Pax

Planner
Quantitas

Rico/Octo Investimentos
Santander

Solidez
Spinelli

Um Investimentos
Walpires

XP Investimentos

Ágora/Bradesco

A carteira Top 10 da Ágora e do Bradesco registrou alta de 1,1% em agosto. No ano, a carteira acumula alta de 8,9%.

Papéis incluídos: Banco do Brasil e Cetip. Papéis retirados: Brazil Pharma e Smiles.

Os analistas acreditam que o mercado brasileiro agora parece melhor que outros mercados emergentes, após o surpreendente crescimento econômico de 1,5% no segundo trimestre, anunciado no fim de agosto. Ainda assim, não creem ainda em uma melhora mais consistente e não descartam revisões de lucros projetados para baixo. Por isso, a carteira foi montada com foco no curto prazo.

Foram incluídos os papéis do BB, em função de seu bom desempenho em termos de qualidade de crédito, com baixa inadimplência, bons resultados no curto prazo e ajustes para tornar a carteira de crédito mais sustentável no longo prazo.

Os analistas lembram que a ação da Cetip, também incluída, vem sofrendo pressão por preocupações relativas a possíveis alterações em sua unidade de negócios ligada ao controle de gravames e financiamentos de veículos, mas a corretora acredita que isso seja pouco provável no curto prazo. Para a Ágora/Bradesco, os resultados da empresa devem continuar positivos, com potencial de lançamento de novos produtos. Mas há riscos ligados ao ambiente competitivo e a um eventual quadro de desaceleração das operações de financiamento, diz o relatório da corretora.

Ação Código Preço-alvo (dez/2013)
Banco do Brasil BBAS3 R$ 33,40
BB Seguridade BBSE3 R$ 22,40
BR Malls BRML3 R$ 33,00
BRF BRFS3 R$ 65,00
Cetip CTIP3 R$ 32,00
Estácio ESTC3 R$ 18,80
Gerdau GGBR4 R$ 23,00
Hypermarcas HYPE3 R$ 22,50
JSL JSLG3 R$ 18,00
Totvs TOTS3 R$ 44,00

Alpes/Wintrade

A carteira recomendada da WinTrade, home broker da Alpes Corretora, teve alta de 2,19% em agosto, e no acumulado de 2013 apresenta desvalorização de 17,89%.

Papéis incluídos: ALL e Minerva. Papéis retirados: Itaú Unibanco.

O Itaú Unibanco sai da carteira de agosto, uma vez que os analistas creem que o setor financeiro continuará a sofrer com a desaceleração econômica projetada para o segundo semestre. A Minerva foi incluída por se beneficiar da oferta baixa de gado no mercado internacional e das notícias de seca na época da colheita dos grãos da produção agrícola americana, o que pode elevar os custos de produção. Esses fatores favorecem as exportações do frigorífico brasileiro.

A inclusão de ALL se deve ao fato de que grande parte das receitas vem da operação ferroviária, que se beneficia do bom momento da produção agrícola; ao fato de os riscos regulatórios do setor terem viés, de fato, positivo, pois a companhia deixaria de investir na construção de ferrovias e se tornaria responsável por manutenção e melhorias; e ao fato de ter outros importantes projetos em fase inicial ou de maturação, que devem gerar valor para o acionista no futuro.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
Alupar ALUP11 ND
Anhanguera AEDU3 ND
BRF BRFS3 ND
CCR CCRO3 ND
Cosan CSAN3 ND
Minerva BEEF3 ND
Multiplus MPLU3 ND
Vale VALE5 ND
Vanguarda VAGR3 ND

Ativa

Em agosto, a carteira Ativa teve alta de 2,81%. No ano, a carteira apresenta desvalorização de 7,16%.

Papéis incluídos: Minerva, BM&FBovespa, Arezzo e CCR. Papéis retirados: Arteris, BR Properties, Autometal e Lojas Renner.

A Ativa trocou as ações da Arteris pelas da CCR, uma opção mais defensiva, com fluxo de caixa estável, exposição à economia doméstica, proteção contra a inflação, perspectivas de crescimento e boas condições para disputar licitações, em função dos bons resultados do segundo trimestre. A Arezzo também entra como opção defensiva, com proteção contra a inflação e possibilidade de aumentar o volume de vendas a partir da maturação de seu processo de expansão.

A Minerva foi incluída por estar com um perfil de vendas mais voltado às exportações, beneficiando-se da alta do dólar. Também se beneficiará da redução da oferta de gado nos EUA, a expansão de suas margens no Mercosul, além de apresentar múltiplos em linha com seus pares e abaixo da média histórica. Finalmente, a BM&FBovespa entra na carteira pelos bons resultados do segundo trimestre e por poder continuar se beneficiando da volatilidade do mercado financeiro, notadamente nos mercados de derivativos e ações.

Ação Código Preço-alvo
Anhanguera AEDU3 ND
Arezzo ARRZ3 ND
BM&FBovespa BVMF3 ND
CCR CCRO3 ND
Equatorial EQTL3 ND
Gerdau Metalúrgica GOAU4 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Minerva BEEF3 ND
Pão de Açúcar PCAR4 ND
Petrobras PETR4 ND
Suzano SUZB5 ND
Tractebel TBLE3 ND
Vale VALE5 ND

BB Investimentos

Em agosto, a carteira do BB Investimentos teve alta de 4,81%, e acumula perda de 2,65% no ano.

Papéis incluídos: ALL, Bradesco, Light, MMX Mineração, Multiplus, MRV, Pão de Açúcar, Marcopolo e Suzano. Papéis retirados: Ambev, CESP, Cielo, Cyrela, Ecorodovias, Itaú Unibanco, Localiza e Ultrapar.

Os analistas do BB esperam indefinição e volatilidade na bolsa brasileira em setembro, uma vez que os investidores aguardam a próxima reunião do Federal Open Market Comittee (FOMC), uma espécie de Copom dos EUA. Ela só ocorrerá em 17 e 18 de setembro e poderá iniciar a redução no programa de estímulos do Fed, o Banco Central americano.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
Bradesco BBDC4 ND
BRF BRFS3 ND
Gerdau GGBR4 ND
Klabin KLBN4 ND
Light LIGT3 ND
M. Dias Branco MDIA3 ND
Marcopolo POMO4 ND
MMX Mineração MMXM3 ND
MRV MRVE3 ND
Multiplus MPLU3 ND
Pão de Açúcar PCAR3 ND
Petrobras PETR4 ND
Suzano SUZB5 ND
Vale VALE5 ND

BI&P Indusval & Partners Corretora

A carteira de agosto da Indusval Corretora teve leve queda de 0,84% e no acumulado do ano apresenta valorização de 4,64%.

Papéis incluídos: Banco do Brasil, Cetip, Cosan, Providência, SLC e Telefônica Brasil (Vivo). Papéis retirados: Ambev, BB Seguridade, BRF, Paranapanema, Souza Cruz e Ultrapar.

Segundo relatório, a Indusval Corretora vai concentrar suas atenções na Síria e nos EUA no mês de setembro, e tem visão negativa para os setores de varejo, construção, shoppings, petróleo e petroquímica.

A Ambev foi retirada da carteira, uma vez que sua reestruturação será estendida até o fim de outubro. A BB Seguridade foi trocada por Banco do Brasil, em função de seus menores múltiplos. A BRF sai da carteira para a realização de ganhos, após forte valorização em agosto, de 14%. Cetip, Providência SLC e Telefônica entram por serem considerados papéis fora dos setores que a corretora acredita estarem com viés negativo e por terem múltiplos satisfatórios.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
Alpargatas ALPA4 ND
Banco do Brasil BBAS3 ND
Cetip CTIP3 ND
Cosan CSAN3 ND
Kroton KROT3 ND
M. Dias Branco MDIA3 ND
Pão de Açúcar PCAR4 ND
Providência PRVI3 ND
SLC SLCE3 ND
Telefônica (Vivo) VIVT4 ND
TIM TIMP3 ND

BTG Pactual

No mês de agosto a carteira 10SIM™ do BTG Pactual teve alta de 5,1% e acumula no ano alta de 3,4%.

Papéis incluídos: Duratex, Alupar e Valid. Papéis retirados: Ambev, Brasil Insurance e Cielo.

A carteira 10SIM™ do BTG Pactual manteve apenas 30% de exposição ao dólar mais forte, por meio de Suzano e BRF. Por se manterem cautelosos, os analistas começaram a buscar boas companhias, com boas perspectivas de longo prazo e que tenham ficado baratas devido a condições de mercado ou suas próprias questões operacionais. É o caso de Duratex, Valid e Alupar.

Segundo o relatório, Duratex pode até sofrer no curto prazo, mas seus múltiplos estão baixos, e a empresa pode se beneficiar do real mais fraco por meio de exportações. No caso da Valid, os analistas reconhecem que tem sido um ano difícil, mas acham que o pior já passou, e que agora a companhia deve ter resultados operacionais melhores. A Alupar ganha destaque por pagar bons dividendos (com um retorno esperado de 10,3%).

Empresa Código Preço-alvo
Alupar ALUP11 ND
BB Seguridade BBSE3 ND
BRF BRFS3 ND
Cosan CSAN3 ND
Duratex DTEX3 ND
Estácio ESTC3 ND
Hering HGTX3 ND
Pão de Açucar PCAR4 ND
Suzano SUZB5 ND
Valid VLID3 ND

Coinvalores

Não foi divulgado nenhum comentário sobre a carteira, tampouco seu desempenho.

Papéis incluídos: Cosan e Duratex. Papéis retirados: MRV e Randon.

Empresa Código Preço-alvo
Bematech BEMA3 ND
BRF BRFS3 ND
Cetip CTIP3 ND
Cosan CSAN3 ND
Duratex DTEX3 ND
Ecorodovias ECOR3 ND
Eztec EZTC3 ND
Gerdau GGBR4 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Kroton KROT3 ND
Mills MILS3 ND
Petrobras PETR4 ND
Suzano SUZB5 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Vale VALE5 ND

Concórdia

A carteira da Concórdia apresentou queda de 1,38% em agosto, e no ano acumula queda de 6,39%.

Papéis incluídos: Banco do Brasil, Pão de Açúcar, Oi e CCR. Papéis retirados: Copel, Lojas Renner, Ultrapar e BRMalls.

Para os analistas da Concórdia, setembro ainda será marcado pelas expectativas quanto ao início da retirada dos estímulos à economia pelo Banco Central americano e possível desvalorização ainda maior do real. Segundo a corretora, apesar do crescimento mais forte do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no segundo trimestre, isso não significa que teremos a mesma trajetória no terceiro trimestre.

Nesse cenário de dólar apreciado, inflação persistente e atividade sem o fôlego do consumo, a Concórdia optou por elevar sua exposição ao perfil Ibovespa, com ações como Vale e BRF.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 R$ 12,62
Alpargatas ALPA4 R$ 15,80*
BRF BRFS3 ND
Banco do Brasil BBAS3 R$ 29,30
Copasa CSMG3 R$ 41,04
Pão de Açúcar PCAR4 R$ 115,86*
CPFL Energia CPFE3 R$ 30,20
Duratex DTEX3 R$ 19,74
Gerdau Met GOAU4 R$ 26,15
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 39,42
Oi OIBR4 R$ 5,92*
Petrobras PETR4 R$ 22,04*
Telefonica Brasil (Vivo) VIVT4 R$ 54,75*
CCR CCRO3 R$ 18,71
Vale VALE5 R$ 53,46

(*) Preço médio segundo os analistas consultados pela Bloomberg.

Geração Futuro

Em agosto, a carteira da Geração Futuro registrou alta de 1,89% e no ano acumula alta de 2,26%.

Papéis incluídos: Vale e Wilson Sons. Papéis retirados: Porto Seguro e Randon.

Com a alta do dólar – o que favoreceu as empresas exportadoras – a Geração Futuro decidiu deixar sua carteira mais exposta à variação cambial, com empresas voltadas para o mercado externo, como Vale e Wilson Sons. Seguindo esse raciocínio, também aumentou a participação de Marcopolo e Klabin.

A Vale deve se beneficiar dos bons indicadores econômicos apresentados por China, Europa e EUA, além da alta do dólar e de um preço mais estável do minério de ferro em patamares altos. Já a Wilson Sons tem cerca de 40% de suas receitas denominadas em dólar e 90% de custos denominados em reais. A companhia possui dois terminais de contêineres com perfis exportadores, que devem se beneficiar da alta do dólar.

Empresa Código Preço-alvo
Banco do Brasil BBAS3 ND
BB Seguridade BBSE3 ND
BM&FBovespa BVMF3 ND
Cielo CIEL3 ND
Klabin KLBN4 ND
Kroton KROT3 ND
Marcopolo POMO4 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Vale VALE5 ND
Wilson Sons WSON11 ND

Geral Investimentos

A carteira Multiestratégia da Geral Investimentos registrou valorização de 0,24% em agosto, mas não divulgou a rentabilidade acumulada no ano.

Papéis incluídos: Eztec e Vale. Papéis retirados: Braskem e Suzano.

De acordo com a Geral, a Braskem foi retirada devido ao risco de o governo reduzir a alíquota de importação para produtos petroquímicos. A Eztec foi incluída por apresentar margens elevadas e estrutura de capital conservadora, além de contar com um estoque de terrenos consistente com sua estratégia de crescimento. Tem projeções elevadas de lançamentos, vendas e de crescimento do lucro e das margens em 2013.

Já a Vale apresentou resultados que sugerem um cenário futuro positivo. Segundo o relatório da Geral, a estratégia de redução de custos e maior foco em projetos de maior retorno vem dando resultados. Além disso, a mineradora deve se beneficiar do dólar mais alto e do preço elevado do minério de ferro.

Ação Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 ND
BRF BRFS3 ND
Eztec EZTC3 ND
Grendene GRND3 ND
Itausa ITSA4 ND
Kroton KROT3 ND
M. Dias Branco MDIA3 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Vale VALE5 ND
Valid VLID3 ND

Gradual

Em agosto, a carteira da Gradual teve leve desvalorização de 0,2%, e acumula queda de 11,85% no ano.

Papéis incluídos: Eternit e Ambev. Papéis retirados: Eucatex e Fibria.

Os analistas da Gradual acreditam que as bolsas continuarão voláteis em setembro, mas prevê que no final do ano o resultado será positivo, com o Ibovespa alcançando os 55 mil pontos. Para a corretora, ações que subiram muito devido à alta forte do dólar frente ao real desde junho podem parar de subir, e ações de fundamentos mais fortes e menos dependentes do dólar e dos juros podem ter melhor desempenho.

A Fibria foi retirada devido à forte valorização desde junho em função do dólar. Em seu lugar, entrou Ambev, que apresentou bons resultados num trimestre difícil e deve melhorar a partir do quarto trimestre, na visão da Gradual. A Eucatex foi trocada por Eternit, uma vez que os analistas acreditam que, dentro do setor de material de construção, a segunda está mais descontada e com maior potencial de ganhos em relação às concorrentes.

Empresa Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 R$ 89,20
Banco do Brasil BBAS3 R$ 30,00
Bematech BEMA3 R$ 12,70
Cemig CMIG4 R$ 29,80
Eternit ETER3 R$ 12,80
Gerdau GOAU4 R$ 20,00
Oi OIBR4 R$ 6,00
Saraiva SLED4 R$ 40,00
SulAmérica SULA11 R$ 17,00
Vale VALE5 R$ 40,00

HSBC

A carteira HSBC Top Picks teve alta de 1,69% em agosto. No ano, a carteira acumula queda de 7,05%.

Papéis incluídos: Vale PN. Papéis retirados: Vale ON.

Para os analistas do HSBC, o cenário econômico permanece desafiador, pois o crescimento no terceiro trimestre deve mostrar retração na margem em função do fraco consumo e da queda no ritmo de produção e investimentos. Há riscos externos adicionais, associados à retirada dos estímulos econômicos dos EUA, à discussão sobre o limite do teto da dívida americana, além dos conflitos na Síria.

Em função disso, a corretora do banco decidiu permanecer com maior exposição a ações que se beneficiam do Real mais fraco, além dos papéis mais defensivos. Para agosto, apenas foram trocadas as ações ordinárias da Vale pelas preferenciais, mais atrativas por questões de preço. Nos últimos 12 meses, a ação ordinária da Vale teve desempenho de quase 9 pontos percentuais acima da ação preferencial.

Ação Código Preço-alvo
AES Tietê GETI4 ND
Embraer EMBR3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Minerva BEEF3 ND
Odontoprev ODPV3 ND
Pão de Açúcar PCAR4 ND
Ultrapar UGPA3 ND
Vale VALE5 ND
Weg WEGE3 ND

Omar Camargo

A carteira da Omar Camargo apresentou variação positiva de 1,54% no mês de agosto. No ano, a queda acumulada é de 13,19%.

Papéis incluídos: Cemig. Papéis retirados: Raia Drogasil e Taesa.

Os papéis da Raia Drogasil foram retirados uma vez que a corretora decidiu reduzir sua exposição a empresas mais voltadas para o mercado interno. Além disso, suas perspectivas para os resultados da companhia deterioraram. Os papéis da Taesa foram substituídos pelos da Cemig, que apresenta, segundo a corretora, uma relação risco-retorno mais favorável. Para a Omar Camargo, a Cemig está exageradamente descontada, mas continua com um balanço robusto e com forte geração de caixa.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
BR Malls BRML3 ND
BR Properties BRPR3 ND
Bradespar BRP4 ND
BRF BRFS3 ND
CCR CCRO3 ND
Cemig CMIG4 ND
Cosan CSAN3 ND
Klabin KLBN4 ND
Vanguarda VAGR3 ND

Pax

A carteira da Pax Corretora teve alta de 4,45% em agosto. No ano, acumula valorização de 0,54%.

Não houve alterações na carteira para setembro.

A Pax tem posições consideráveis no setor de Transportes e Bens de Capital, com os papéis de Log-In, ALL e Embraer, mas cada empresa foi escolhida por motivos específicos. Como o mês de agosto mostrou uma perspectiva de melhora no crescimento global, com bons indicadores vindos da Europa, a corretora também se manteve confiante no setor de commodities, com Suzano e Vale.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
Anhanguera AEDU3 ND
BTG Pactual BBTG11 ND
Duratex DTEX3 ND
Embraer EMBR3 ND
Gafisa GFSA3 ND
Locamerica LCAM3 ND
Log-In LOGN3 ND
MRV MRVE3 ND
Pão de Açúcar PCAR4 ND
Suzano SUZB5 ND
Vale VALE5 ND

Planner

A carteira Planner registrou valorização de 2,84% em agosto e queda de 11,33% no ano.

Papéis incluídos: Alpargatas, Ambev, CCR, Cyrela, Direcional e Telefônica Brasil (Vivo). Papéis retirados: Banrisul, Eztec, Gerdau, Lojas Renner, MRV e Tim.

Para setembro, os analistas da Planner permanecem com expectativa conservadora. Do lado doméstico, diz o relatório, aumentam as preocupações com o andamento da economia até o fim do ano. Do lado externo, permanece o alerta do possível ataque militar dos EUA à Síria, cujos desdobramentos são incertos. Além disso, o mercado continua na expectativa dos próximos passos do governo americano sobre a retirada dos incentivos da economia.

Ação Código Preço-alvo
AES Tietê GETI4 R$ 25,00
Alpargatas ALPA4 R$ 14,50
Ambev AMBV4 R$ 93,00
Bradesco BBDC4 R$ 37,45
CCR CCRO3 R$ 20,50
Cyrela CYRE3 R$ 18,00
Direcional DIRR3 R$ 14,50
Duratex DTEX3 R$ 16,00
Multiplan MULT3 R$ 60,00
Telefônica (Vivo) VIVT4 R$ 57,00
Totvs TOTS3 R$ 47,00
Tractebel TBLE3 R$ 38,00

Quantitas

A carteira da Quantitas apresentou queda de 3,02% em agosto e registra retorno negativo de 8,65% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Valid. Papéis retirados: Alpargatas e Santos Brasil.

A Quantitas não divulgou comentários sobre a carteira recomendada para agosto.

Ação Código Preço-alvo
Abril Educação ABRE11 ND
Anhanguera AEDU3 ND
Cetip CTIP3 ND
Even EVEN3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Mills MILS3 ND
Valid VLID3 ND

Rico/Octo Investimentos

A Carteira 8+ do Rico, home broker da Octo Investimentos, registrou alta de 1,77% em agosto e queda de 5,61% no acumulado do ano.
Papéis incluídos: Valid, Cemig, Hypermarcas e Duratex. Papéis retirados: Ambev, BM&FBovespa, Bradesco e Suzano.
As trocas da carteira do Rico visam a priorizar empresas com histórico recente de resultados consistentes e que apresentam, na visão dos analistas, desvalorização excessiva nas últimas semanas.

Ação Código Preço-alvo
Cemig CMIG4 ND
Duratex DTEX3 ND
Grendene GRND3 ND
Hypermarcas HYPE3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Kroton KROT3 ND
Vale VALE5 ND
Valid VLID3 ND

Santander

A carteira recomendada do Santander registrou valorização de 4,92% em agosto e queda de 8,62% no ano.

Papéis incluídos: Randon. Papéis retirados: Ambev e Braskem.

A Randon foi incluída por seu forte momento operacional, pois tem carteira de pedidos cheia até janeiro de 2014, além de ter avaliação atrativa em termos de múltiplos. A Ambev saiu da carteira devido aos dados fracos sobre produção de cerveja em agosto, o que pode levar a uma má performance de suas ações. Já a Braskem sai da carteira devido à possibilidade de não renovação, no mês de setembro, dos incentivos fiscais que foram concedidos à indústria petroquímica nos últimos meses.

Ação Código Preço-alvo
BRF BRFS3 Em revisão
Cetip CTIP3 R$ 34,70
Gerdau GGBR4 R$ 20,00
Iochpe-Maxion MYPK3 R$ 34,00
Itausa ITSA4 R$ 13,00
Kroton KROT3 R$ 38,00
Marcopolo POMO4 R$ 7,25
Petrobras PETR3 R$ 20,75
Randon RAPT4 R$ 14,00
Vale VALE3 R$ 45,00

Solidez

No mês de agosto a carteira da Solidez teve alta de 7,76% e no acumulado do ano registra queda de 3,03%.
Papéis incluídos: Lojas Renner, BM&FBovespa, Cyrela, Itausa, Sabesp e BR Malls. Papéis retirados: Banco do Brasil, Eletropaulo, Gol, Natura, Usiminas e Vale.

A Solidez manteve apenas as ações da Hering. A decisão, em setembro, foi apostar no mercado interno. A corretora acredita que, com o aumento da taxa de juros, o Banco Central está demonstrando rigor com o atual cenário de inflação, favorecendo o consumo interno.

Ação Código Preço-alvo
BM&FBovespa BVMF3 ND
BR Malls BRML3 ND
Cyrela CYRE3 ND
Hering HGTX3 ND
Itausa ITSA4 ND
Lojas Renner LREN3 ND
Sabesp SBSP3 ND

Spinelli

Em agosto a carteira da Spinelli apresentou valorização de 3,86% e no acumulado do ano registra alta de 1,97%.

Papéis incluídos: Alupar, Estácio e Smiles. Papéis retirados: BRF, Fibria e Natura.

A Alupar foi incluída por não estar exposta às mudanças no regime de concessões que afetou as elétricas no ano passado, uma vez que suas concessões só vencem a partir de 2030. Além disso, tem fluxo de caixa garantido, dívida líquida equilibrada, operações no Norte e Nordeste beneficiadas com desconto de 75% no IR e alta alocação na transmissão de energia, cujo risco é menor do que os de distribuição e geração.

Estácio entra na carteira porque deve se beneficiar da nova divisão, cujo objetivo é a educação continuada, segmento menos regulamentado. Além disso, tem menos exposição que a média do mercado ao programa de financiamento estudantil do governo, o FIES, e ao segmento de educação à distância, onde há espaço para crescimento.

Finalmente, a entrada de Smiles se deve às boas perspectivas em função da possibilidade de resgate de passagens combinando-se dinheiro e milhas, além de seu convênio com outras companhias aéreas, ampliando o leque de resgates. Além disso, diz a Spinellii, essas estratégias ainda não são adotadas pela principal concorrente.

Ação Código Preço-alvo
Alupar ALUP11 ND
Cielo CIEL3 ND
Estácio ESTC3 ND
Smiles SMLE3 ND
Ultrapar UGPA3 ND

Um Investimentos

A carteira recomendada da Um Investimentos registrou leve alta de 0,03% em agosto. Não foi divulgado o desempenho no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Itaú Unibanco, Randon e Qualicorp. Papéis retirados: Bradesco, Taesa e Marcopolo.

A inclusão do Itaú deve-se à expectativa de bons crescimentos do lucro, aumento da eficiência operacional e impactos positivos devido à alta dos juros. A inclusão da Randon se deve a seus múltiplos atrativos, baixo endividamento em relação aos pares, crescimento nas margens de exportações em função da depreciação do Real frente ao Dólar e expectativa de fortes resultados em 2013.

Já a Qualicorp foi adicionada à carteira por ter reduzidos os cancelamentos e provisões para devedores duvidosos, além das fortes perspectivas de crescimento em 2013. Porém, a inflação médica e a intervenção da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) no segmento de planos coletivos por adesão são fatores de risco para a ação, diz o relatório da Um.

Ação Código Preço-alvo
Alpargatas ALPA4 R$ 16,40
Anhanguera AEDU3 R$ 16,50
Cosan CSAN3 R$ 54,11
Dasa DASA3 R$ 13,10
Iochpe-Maxion MYPK3 R$ 31,45
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 36,21
Pão de Açúcar PCAR4 R$ 115,86
Petrobras PETR4 R$ 20,20
Qualicorp QUAL3 R$ 24,00
Randon RAPT4 R$ 14,23
Vale VALE5 R$ 42,00

Walpires

A carteira recomendada Walpires registrou valorização de 7,66% em agosto. Não foi divulgado seu desempenho no ano.

Papéis incluídos: Kroton e Suzano. Papéis retirados: JBS e Klabin.

A corretora não divulgou comentários sobre a carteira do mês.

Ação Código Preço-alvo
Ambev AMBV4 ND
Braskem BRKM5 ND
BRF BRFS3 ND
Cielo CIEL3 ND
Fibria FIBR3 ND
Gerdau GGBR4 ND
Kroton KROT3 ND
Suzano SUZB5 ND
Tim Participações TIMP3 ND
Ultrapar UGPA3 ND

XP Investimentos

A Carteira XP, da XP Investimentos registrou desvalorização de 1,6% em agosto. Não foi divulgado o desempenho no ano.

Papéis incluídos: ALL e Vale. Papéis retirados: Ultrapar e BR Malls.

A saída da Ultrapar, após uma alta de 70% desde que entrou no portfólio da XP no fim de 2011, deve-se ao fato de o mercado oferecer, no momento, alternativas mais atraentes. Em seu lugar foram acrescentadas as ações da Vale, que se mostra atrativa mesmo após as recentes altas. A Vale apimenta a carteira, apresentando uma possibilidade de retorno interessante. Seu resultado no segundo trimestre foi bom, e ainda pode ser favorecida pelo dólar mais alto e pelo preço do minério de ferro em patamar elevado.

A BR Malls foi retirada da carteira em função da desaceleração nas vendas no varejo, consequência da inflação alta e redução da renda real do brasileiro. Caso o crescimento das vendas se mantenha abaixo das altas com aluguel nos shoppings, os lojistas podem deixar o espaço, aumentando a vacância e derrubando os preços dos aluguéis. Em seu lugar, entra a ALL, que segundo a XP, se mostra atrativa e pode ter suas malhas ferroviárias ressarcidas em eventual negociação com o governo.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
BB Seguridade BBSE3 ND
BM&FBovespa BVMF3 ND
Cemig CMIG4 ND
Direcional DIRR3 ND
Estácio Participações ESTC3 ND
Hering HGTX3 ND
Itaú Unibanco ITUB4 ND
Vale VALE5 ND

Tópicos: Carteira recomendada, Investimentos pessoais, Guia de Ações, Corretoras, Ibovespa, Mercado financeiro