São Paulo - O Ibovespa, principal índice de referência da Bolsa, registrou sua quarta alta mensal consecutiva, fechando outubro com uma valorização de 3,66% e acumulando queda de 10,99% no ano. Ainda que poucas corretoras tenham registrado performance negativa nas suas carteiras recomendadas, uma parcela significativa das carteiras teve um desempenho pior do que o do índice.

Entre outros fatores, influenciaram a alta da Bolsa a expectativa de mais ganhos com a saída da OGX do Ibovespa, o otimismo com a Petrobras e o anúncio do banco central americano (FED) de que os estímulos econômicos não serão retirados tão cedo. Para o mês de novembro, as atenções se voltam às divulgações de balanços corporativos nacionais, aos dados de inflação e aos possíveis reflexos da paralisação do governo americano nas bolsas internacionais.

A ação mais recomendada do mês foi a Vale, presente em 13 das 20 carteiras divulgadas, seguida pelos papéis da Petrobras, que foram sugeridos por 11 corretoras e pelItaú Unibanco, que figura em nove portfólios. Veja a seguir as ações que compõem as carteiras recomendadas das corretoras para o mês de novembro:

Ágora/Bradesco
Alpes/Wintrade

Ativa
BB Investimentos

BTG Pactual
Concórdia

Geração Futuro
HSBC

Omar Camargo
Pax

Planner
Quantitas

Rico/Octo Investimentos
Santander

Solidez
Souza Barros

Spinelli
Um Investimentos

Walpires
XP Investimentos

Ágora/Bradesco

A carteira Top 10 da Ágora e do Bradesco registrou alta de 6,1% em outubro. No ano, a carteira acumula alta de 21,1%.

Papéis incluídos: Brasil Pharma, Direcional e BR Properties. Papéis retirados: BRF, BR Malls e Cosan.

A Brasil Pharma foi incluída por operar em um setor defensivo, que vem crescendo de forma agressiva e que verá ainda muitas consolidações. A empresa também deve se beneficiar de sinergias da integração com outras redes de farmácia. A BR Properties entra pela possibilidade de novas aquisições e a redução do nível de vacância em São Paulo, onde está localizada boa parte de seus imóveis. Especializada no “Minha Casa, Minha Vida”, a Direcional se mostra eficiente no uso de tecnologia e vem aumentando o volume de lançamentos. Em função disso, tende a apresentar geração de caixa positiva em 2013 e 2014, o que pode elevar a distribuição de dividendos.

Ação Código Preço-alvo Peso
Banco do Brasil BBAS3 R$ 33,40 10%
BB Seguridade BBSE3 R$ 27,20 10%
Brasil Pharma BPHA3 R$ 12,80 10%
BR Properties BRPR3 R$ 36,00 10%
Cetip CTIP3 R$ 32,00 10%
Cosan CSAN3 R$ 52,30 10%
Direcional DIRR3 R$ 18,60 10%
Hypermarcas HYPE3 R$ 22,50 10%
JSL JSLG3 R$ 18,00 10%
Suzano SUZB5 R$ 13,00 10%
Totvs TOTS3 R$ 44,00 10%

Alpes/Wintrade

A carteira recomendada da WinTrade, home broker da Alpes Corretora, teve leve alta de 0,51% em outubro, e no acumulado de 2013 apresenta desvalorização de 17,76%.

Papéis incluídos: Gerdau e Petrobras. Papéis retirados: ALL e BRF.

As ações da ALL deixam a carteira em função dos litígios envolvendo a empresa e a Rumo, controlada da Cosan, sobre a utilização de sua malha ferroviária. A BRF sai após um resultado do terceiro trimestre mais fraco que o esperado. A Gerdau entra porque o resultado do terceiro trimestre confirmou uma melhora operacional da empresa, puxada principalmente pela operação brasileira com preços mais elevados do aço. E a Petrobras também entra na carteira de novembro pela crença de que a nova metodologia de precificação de combustíveis afetará de forma muito positiva a companhia.

Ação Código Preço-alvo Peso
Alupar ALUP11 ND 10%
Anhanguera AEDU3 ND 10%
CCR CCRO3 ND 10%
Cosan CSAN3 ND 10%
Gerdau GGBR4 ND 10%
Minerva BEEF3 ND 10%
Multiplus MPLU3 ND 10%
Petrobras PETR4 ND 10%
Vale VALE5 ND 10%
Vanguarda VAGR3 ND 10%

Ativa

Em outubro, a carteira Ativa teve alta de 4,23%. No ano, a carteira apresenta leve valorização de 0,42%.

Papéis incluídos: BR Malls e Brasil Pharma. Papéis retirados: Autometal, BM&FBovespa e Hering.

Os analistas da Ativa destacam que no cenário interno a "mão do governo" pode gerar certa volatilidade no mês de novembro. Por isso eles continuam diversificando o portfólio e recomendando exposição a empresas sólidas e, em sua maioria, líderes em seus setores de atuação. A BR Malls foi incluída por ser a maior do setor de shoppings centers e possuir um vasto e diversificado portfólio, segundo os analistas. A Brasil Pharma foi incluída em função das boas expectativas de crescimento para o varejo farmacêutico e das melhoras de margens que devem surgir com a conclusão do processo de integração dos sistemas da empresa.

Ação Código Preço-alvo Peso
Anhanguera AEDU3 ND 8,5%
BR Malls BRML3 ND 6,0%
Brasil Pharma BPHA3 ND 5,0%
CCR CCRO3 ND 8,5%
Duratex DTEX3 ND 7,5%
Equatorial EQTL3 ND 8,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 8,5%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 9,0%
Petrobras PETR4 ND 8,5%
Suzano SUZB5 ND 7,5%
Telefônica (Vivo) VIVT4 ND 7,0%
Tractebel TBLE3 ND 7,5%
Vale VALE5 ND 8,5%

BB Investimentos

Em outubro, a carteira do BB Investimentos teve alta de 7,76%, e acumula alta de 4,68% no ano.

Papéis incluídos: BICBANCO, CCR, Equatorial, Eztec e Fibria. Papéis retirados: Cyrela, Light, Lojas Renner, MRV, Suzano.

Em seu relatório mensal, o BB destaca, como perspectivas para novembro, a reunião do partido comunista chinês, que pode aprovar reformas para aproximar a economia local da global; a divulgação dos dados de mercado de trabalho nos EUA, que podem firmar um posicionamento do mercado em relação às expectativas de retirada dos estímulos econômicos; e a reunião do conselho de administração da Petrobras, que pode aprovar uma nova metodologia de cálculo para os preços dos combustíveis.

Ação Código Preço-alvo Pesos
BICBANCO BICB4 ND 10,0%
CCR CCRO3 ND 5,0%
Cielo CIEL3 ND 5,0%
Equatorial EQTL3 ND 5,0%
Eztec EZTC3 ND 5,0%
Fibria FIBR3 ND 5,0%
Gerdau GGBR4 ND 10,0%
Hypermarcas HYPE3 ND 5,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 10,0%
Pão de Açúcar PCAR3 ND 5,0%
Petrobras PETR4 ND 10,0%
Ultrapar UGPA3 ND 5,0%
Usiminas USIM5 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 10,0%

BTG Pactual

No mês de outubro a carteira 10SIM™ do BTG Pactual teve alta de 5,3% e acumula alta de 11,9% em 2013.

Papéis incluídos: Petrobras e Light. Papéis retirados: BRF e Suzano.

Petrobras foi adicionada após uma longa ausência da carteira do BTG porque os analistas acreditam que a intenção da companhia de se afastar de uma precificação subjetiva dos combustíveis é real e com chance de ser bem executada. Segundo o relatório, a mudança poderia alterar significativamente o sentimento do investidor. Já a Light foi incluída porque os analistas acreditam que os termos finais de sua revisão tarifária podem acabar superando as expectativas do mercado.

Empresa Código Preço-alvo Pesos
BB Seguridade BBSE3 ND 10,0%
Cosan CSAN3 ND 10,0%
Duratex DTEX3 ND 10,0%
Estácio ESTC3 ND 5,0%
Hering HGTX3 ND 10,0%
Light LIGT3 ND 5,0%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 10,0%
Petrobras PETR3 ND 20,0%
Vale VALE3 ND 15,0%
Valid VLID3 ND 5,0%

Concórdia

A carteira da Concórdia apresentou alta de 3,49% em outubro e no ano acumula alta de 3,65%.

Papéis incluídos: Bradesco, Hypermarcas, Klabin e Taesa. Papéis retirados: ALL, Alpargatas, BRF, Oi e Telefônica (Vivo).

"Acreditamos que a bolsa, neste mês de novembro, tende a dançar a música do contexto interno, que, diga-se de passagem, não está dos mais fáceis de ser antevisto", dizem os analistas da Concórdia. Com a trégua nos indicadores recentes de inflação, a saída da OGX do Ibovespa e o maior fôlego do quarto trimestre, eles esperam que novembro seja um mês de alta para a Bolsa brasileira. Assim, mantiveram uma maior exposição ao perfil Ibovespa.

Ação Código Preço-alvo Peso
Ambev AMBV4 R$ 95,21* 8%
Banco do Brasil BBAS3 ND 7%
Bradesco BBDC4 R$ 38,84 5%
Copasa CSMG3 R$ 41,04 7%
CPFL Energia CPFE3 R$ 30,20 7%
Duratex DTEX3 R$ 19,74 5%
Gerdau Metalúrgica GOAU4 R$ 26,15 7%
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 39,42 8%
Klabin KLBN4 R$ 14,26* 5%
Pão de Açúcar PCAR4 R$ 118,58* 5%
Petrobras PETR4 R$ 22,13* 8%
Taesa TAEE11 R$ 25,05* 7%
Vale VALE5 R$ 53,46 8%

(*) Preço médio segundo os analistas consultados pela Bloomberg

Geração Futuro

Em outubro, a carteira da Geração Futuro registrou alta de 5,60%, e no ano acumula alta de 12,60%.

Papéis incluídos: Aliansce e Randon. Papéis retirados: Klabin e Marcopolo.

A participação em Bradesco aumentou de 10,0% para 15,0% devido aos resultados dentro das expectativas da corretora e das perspectivas de maior rentabilidade para os próximos trimestres. Aliansce foi incluída por ser a empresa de shopping centers que apresentou o maior crescimento de vendas e aluguéis do setor no terceiro trimestre. A intenção é capturar o bom resultado que a companhia deve apresentar em novembro pelo movimento de vendas de fim de ano. Já a inclusão da Randon se deve às boas perspectivas de resultado e à sua forte carteira de pedidos, tomada até o fim de fevereiro de 2014.

Empresa Código Preço-alvo Pesos
Aliansce ALSC3 ND 5,0%
BB Seguridade BBSE3 ND 15,0%
BM&FBOVESPA BVMF3 ND 5,0%
Bradesco BBDC4 ND 15,0%
Cielo CIEL3 ND 10,0%
Kroton KROT3 ND 10,0%
Randon RAPT4 ND 5,0%
Ultrapar UGPA3 ND 15,0%
Vale VALE5 ND 15,0%
Wilson Sons WSON3 ND 5,0%

HSBC

A carteira HSBC Top Picks teve alta de 5,20% em outubro. No ano, a carteira acumula queda de 0,06%.

Papéis incluídos: Petrobras e Mills. Papéis retirados: Embraer e Bradesco.

A Mills foi incluída por ser uma maneira defensiva de se beneficiar do ciclo de projetos de infraestrutura no Brasil. Já a Petrobras entrou por causa da perspectiva de uma nova metodologia de precificação dos combustíveis. A Embraer saiu por causa da estabilização do câmbio, uma vez que a empresa, com receita em dólar, se beneficia do dólar em alta. Já o Bradesco foi retirado porque a corretora quis reduzir a exposição ao setor bancário, que vinha tendo grandes altas.

Ação Código Preço-alvo Pesos
AES Tietê GETI4 ND 10,0%
Ambev AMBV4 ND 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 15,0%
Mills MILS3 ND 10,0%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 10,0%
Petrobras PETR4 ND 10,0%
Ultrapar UGPA3 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 15,0%
WEG WEGE3 ND 10,0%

Omar Camargo

A carteira da Omar Camargo apresentou variação positiva de 1,30% no mês de outubro. No ano, a queda acumulada é de 11, 96%.

Não foram feitas alterações na carteira de outubro. Os analistas pretendem manter a a concentração da carteira em empresas de qualidade, líderes de mercado, forte geradoras de caixa e com ótimas perspectivas. Segundo eles, apesar de esse tipo de empresa ter um potencial de retorno menor em comparação com outras companhias, em momentos como o atual - de inflação alta, baixas perspectivas de crescimento e de incertezas dentro e fora do país -, essas empresas se mostram menos arriscadas. Diante desse quadro e da crença de que o dólar voltará a subir, foi mantida a recomendação de exportadoras, expostas a economias em que o consumo está crescendo de forma mais rápida do que no Brasil.

Ação Código Preço-alvo
ALL ALLL3 ND
BR Malls BRML3 ND
BR Properties BRPR3 ND
Bradespar BRP4 ND
BRF BRFS3 ND
CCR CCRO3 ND
Cemig CMIG4 ND
Cosan CSAN3 ND
Klabin KLBN4 ND
Vanguarda VAGR3 ND

Pax

A carteira da Pax Corretora teve alta de 3,55% em outubro. No ano, acumula valorização de 7,69%.

Papéis incluídos: Cemig, Eztec, Marcopolo, Marisa e Petrobras. Papéis retirados: Cyrela, Randon e Rossi Residencial.

A Pax reduziu o peso de Log-in para acomodar outros papéis, apesar de ainda acreditar na tese de investimentos da empresa. Os analistas permanecem confiantes sobre ações ligadas a commodities, amparados na perspectiva de melhora da economia global. Eles ainda consideram que há espaço para alta da Vale. O peso da Suzano foi elevado para 7% e a Petrobras foi incluída com peso 10%, em virtude da notícia da mudança na metodologia de reajustes de preços dos combustíveis. Seguindo critérios fundamentalistas, os analistas mantiveram os papéis do Magazine Luiza, que trouxe bons resultados em outubro, e adicionaram ações que consideram ter bom potencial de valorização.

Ação Código Preço-alvo Peso
BTG Pactual BBTG11 ND 10%
Cemig CMIG4 ND 5%
Duratex DTEX3 ND 5%
Eztec EZTC3 ND 10%
Kroton KROT3 ND 10%
Localiza RENT3 ND 5%
Log-In LOGN3 ND 5%
Magazine Luiza MGLU3 ND 5%
Marcopolo POMO4 ND 4%
Marisa AMAR3 ND 4%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 5%
Petrobras PETR4 ND 10%
Suzano SUZB5 ND 7%
Vale VALE5 ND 15%

Planner

A carteira Planner registrou leve valorização de 0,52% em outubro e queda de 4,94% no ano.

Papéis incluídos: Abril Educação e Brasil Insurance. Papéis retirados: Bradesco, Grupo Fleury, Telefônica (Vivo) e Totvs.

A Abril Educação foi incluída por estar descontada e poder apresentar recuperação após a divulgação do resultado da companhia neste mês. Já a Brasil Insurance entra porque os analistas esperam que o lucro líquido ajustado seja 10% superior que o do trimestre anterior, com um acumulado no ano 8% maior que o do mesmo período do ano passado.

Ação Código Preço-alvo Pesos
Abril Educação ABRE11 R$ 42,00 8,0%
AES Tietê GETI4 R$ 25,00 10,0%
ALL ALLL3 R$ 11,00 9,0%
Brasil Insurance BRIN3 R$ 25,70 7,0%
CCR CCRO3 R$ 20,50 12,0%
Cyrela CYRE3 R$ 18,00 10,0%
Duratex DTEX3 R$ 16,00 12,0%
Multiplan MULT3 R$ 60,00 12,0%
RaiaDrogasil RADL3 R$ 22,00 8,0%
Vale VALE5 R$ 42,00 12,0%

Quantitas

A carteira da Quantitas apresentou alta de 3,25% em outubro e registra retorno negativo de 4,16% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: JSL e Grazziotin.

Não foram feitos comentários sobre a carteira.

Ação Código Preço-alvo Peso
Abril Educação ABRE11 ND 10%
Anhanguera AEDU3 ND 20%
Cetip CTIP3 ND 10%
Even EVEN3 ND 10%
Grazziotin CGRA4 ND 10%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 10%
JSL JSLG3 ND 10%
Mills MILS3 ND 10%
Valid VLID3 ND 10%

Rico/Octo Investimentos

A Carteira 8+ do Rico, home broker da Octo Investimentos, registrou alta de 2,81% em outubro, e alta de 1,38% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Gerdau, RaiaDrogasil e Duratex. Papéis retirados: Valid, Grendene e PDG.

As três trocas de ativos realizadas pelos analistas do Rico têm o objetivo de aproximar a carteira de empresas que já apresentaram os resultados do terceiro trimestre e que continuam a mostrar crescimento e consistência na entrega de bons números. A retirada da PDG particularmente se deveu à forte queda da ação em outubro. Segundo o relatório, isso prejudicou substancialmente a rentabilidade da carteira. Os analistas pediram desculpas pelo erro, devido à forte volatilidade do papel, mas dizem continuar acreditando nas mudanças da empresa para médio e longo prazo.

Ação Código Preço-alvo Pesos
Duratex DTEX3 ND 12,5%
Gerdau GGBR4 ND 12,5%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 12,5%
Kroton KROT3 ND 12,5%
Minerva BEEF3 ND 12,5%
Raia Drogasil RADL3 ND 12,5%
Suzano SUZB5 ND 12,5%
Vale VALE5 ND 12,5%

Santander

A carteira recomendada do Santander registrou valorização de 4,62% em outubro e queda de 2,53% no ano.

Papéis incluídos: Banco do Brasil, BB Seguridade e Localiza. Papéis retirados: Itaúsa, Marcopolo e Multiplan.

BB Seguridade foi incluído pelo modelo de negócios atrativo, pelo maior potencial de crescimento do setor de seguros e pela expectativa de divulgação de bons resultados do terceiro trimestre em novembro. A Localiza entra em virtude da divulgação da performance operacional forte no terceiro trimestre, redução dos custos e expansão das margens, dinâmica operacional que deve permanecer nos próximos trimestres. O Banco do Brasil entra pelo potencial de abertura de capital da sua unidade de cartões no primeiro trimestre de 2014 e pela expectativa de apresentação de bons resultados trimestrais em novembro.

Ação Código Preço-alvo Peso
Banco do Brasil BBAS3 R$ 31,25 19%
BB Seguridade BBSE3 Em revisão 10%
Iochpe-Maxion MYPK3 R$ 34,00* 8%
Kroton KROT3 R$ 40,00 10%
Localiza RENT3 R$ 43,00* 10%
Petrobras PETR3 R$ 20,75 14%
Randon RAPT4 R$ 14,00* 7%
Usiminas USIM5 R$ 12,50 9%
Vale VALE3 R$ 54,00 13%

*Preços-alvo em negrito são referentes ao final de 2013 e o restante é referente ao final de 2014.

Solidez

No mês de outubro a carteira da Solidez teve leve queda de 0,03% e no acumulado do ano registra valorização de 5,08%.

Papéis incluídos: ALL, Marcopolo, Odontoprev, PDG Realty, Petrobras, RaiaDrogasil. Papéis retirados: BR Malls, CCR, Cetip, Klabin e Sabesp.

A Solidez mexeu bastante na sua carteira recomendada. As duas únicas ações que permaneceram na carteira foram a Brookfield e a Marfrig. Segundo a corretora, Sabesp, Klabin, Cetip, BR Malls e CCR foram retiradas da carteira porque atingiram os objetivos no mês. Brookfield e Marfrig foram mantidas porque os analistas acreditam que a desvalorização nos ativos foi exagerada e ele devem se recuperar.

Ação Código Preço-alvo Peso
ALL ALL3 ND 15%
Brookfield BISA3 ND 15%
Marcopolo POMO4 ND 10%
Marfrig MRFG3 ND 10%
Odontoprev ODPV ND 10%
PDG Realty PDGR3 ND 10%
Petrobras PETR4 ND 20%
RaiaDrogasil RADL3 ND 10%

Souza Barros

A carteira recomendada da Souza Barros teve alta de 5,45% em outubro. No ano, a valorização é de 11,30%.

Papéis incluídos: Petrobras. Papéis retirados: BRF.

Segundo o analista Clodoir Vieira, a Petrobras foi incluída no portfólio pela expectativa de melhora nos resultados em função da nova metodologia de cálculo dos preços de combustíveis.

Ação Código Preço-alvo Peso
Cetip CTIP3 ND ND
Localiza RENT3 ND ND
Petrobras PETR4 ND ND
Tractebel TBLE3 ND ND
Ultrapar UGPA3 ND ND

Spinelli

Em outubro, a carteira da Spinelli apresentou valorização de 2,74%, e no acumulado do ano registra alta de 7,58%.

Papéis incluídos: BRF, BR Malls, Magazine Luiza e WEG. Papéis retirados: Alupar, Estácio e Mahle Metal Leve.

A BRF foi incluída por seu foco no crescimento internacional, dado o cenário competitivo no Brasil, e pela perspectiva de avanço nas margens e sinergia das marcas a partir de 2014. A BR Malls entra porque deve manter sua inadimplência em queda, sua taxa de ocupação em alta e suas margens avançando. O Magazine Luiza se beneficia do programa Minha Casa Melhor e do avanço nas vendas do varejo. Já a WEG se beneficia dos estímulos econômicos no Brasil, do câmbio mais estabilizado, de seu baixo custo financeiro e da proporção de vendas para os mercados interno e externo.

Ação Código Preço-alvo Pesos
BR Malls BRML3 ND 17%
BRF BRFS3 ND 17%
Magazine Luiza MGLU3 ND 17%
Suzano SUZB5 ND 17%
Ultrapar UGPA3 ND 17%
WEG WEGE3 ND 17%

Um Investimentos

A carteira recomendada da Um Investimentos registrou alta de 5,07% em outubro e de 1,15% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Hypermarcas. Papéis retirados: Dasa e Suzano.

Segundo os analistas, em novembro os investidores ficarão atentos à inflação e aos resultados corporativos, bem como aos dados econômicos dos EUA e aos possíveis impactos da paralisação na economia norte-americana. A Hypermarcas entra na carteira pela expectativa de crescimento acima do esperado das vendas, pelo aumento do segmento farmacêutico nas vendas da empresa e pela consolidação das operações mais rápidas do que o mercado esperava. E os fatores de risco da empresa seriam a exposição de sua dívida ao dólar e as possíveis mudanças nos benefícios fiscais com que ela conta.

Ação Código Preço-alvo Peso
Anhanguera AEDU3 R$ 17,55 8%
BRF BRFS3 R$ 60,70 8%
Cosan CSAN3 R$ 54,11 10%
Hypermarcas HYPE3 R$ 23,00 10%
Itaú Unibanco ITUB4 R$ 39,50 10%
Pão de Açúcar PCAR4 R$ 125,50 7%
Petrobras PETR4 R$ 23,50 11%
Qualicorp QUAL3 R$ 25,70 15%
Randon RAPT4 R$ 14,20 8%
Vale VALE5 R$ 46,00 13%

Walpires

Não foi divulgado o desempenho da carteira em outubro e no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Braskem, Fibria, Gerdau, Pão de Açúcar, Localiza e Suzano. Papéis retirados: Arezzo, Cemig, Copel, Hypermarcas, PDG Realty e Usiminas.

A corretora não divulgou comentários sobre a carteira do mês.

Ação Código Preço-alvo Peso
Braskem BRKM5 ND 10%
Cesp CESP6 ND 10%
Cielo CIEL3 ND 10%
Fibria FIBR3 ND 10%
Gerdau GGBR4 ND 10%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 10%
Kroton KROT3 ND 10%
Localiza RENT3 ND 10%
Pão de Açúcar PCAR4 ND 10%
Suzano SUZB5 ND 10%

XP Investimentos

A Carteira XP registrou valorização de 6,9% em outubro. No ano, a carteira acumula queda de 1,9%.

Papéis incluídos: Cosan. Papéis retirados: ALL.

Durante o mês de outubro, a XP retirou da carteira as ações da ALL. Para a carteira de novembro, a corretora reduziu a exposição em BB Seguridade e Itaú Unibanco em função do excelente desempenho observado durante o período de investimento. Os analistas, no entanto, dizem continuar confiantes em ambos os ativos. A Cosan foi incluída por aliar forte geração de caixa; um processo de desalavancagem e melhoria de fluxo de caixa que tende a se traduzir em menores custos de dívida; espaço de crescimento nos mercados em que atua; e múltiplos interessantes.

Ação Código Preço-alvo Pesos
BB Seguridade BBSE3 ND 10,0%
BM&FBovespa BVMF3 ND 10,0%
Cemig CMIG4 ND 10,0%
Cielo CIEL3 ND 10,0%
Cosan CSAN3 ND 10,0%
Direcional Engenharia DIRR3 ND 5,0%
Estácio ESTC3 ND 10,0%
Itaú Unibanco ITUB4 ND 15,0%
Multiplus MPLU3 ND 10,0%
Vale VALE5 ND 10,0%

Tópicos: Carteira recomendada, Investimentos pessoais, Guia de Ações, Corretoras, Renda variável