São Paulo - O jornalista americano Napoleon Hill escreveu o best seller de finanças pessoais “Think and Grow Rich” (Pense e fique rico, em tradução livre) em 1937, mas suas dicas para atingir o sucesso financeiro são válidas até hoje.

No livro, Hill estuda o comportamento de milionários como o empresário Henry Ford, fundador da Ford; e o cientista Thomas Edison, inventor da lâmpada incandescente.

Além de revelar os segredos de quem conseguiu acumular riqueza, ele também aponta os principais motivos que impedem que alguém consiga enriquecer. Veja a seguir os principais conselhos dados pelo autor:

1) Não ter um objetivo definido

Hill constata que alguém que não tenha uma motivação ou um objetivo de vida não pode obter o sucesso financeiro.

Ter uma meta definida permite saber quanto dinheiro você irá precisar para atingi-la e, dessa forma, traçar um plano para levantar os recursos em um prazo determinado. Sem esse planejamento, é mais fácil cair na tentação de realizar gastos desnecessários (veja 14 hábitos simples que te deixam mais rico).

2) Falta de ambição

Ser indiferente quando o assunto é melhorar de vida ou não estar disposto a pagar o preço para isso, ou seja, encarar sacrifícios para juntar dinheiro e construir um patrimônio, são comportamentos fatais no caminho para acumular riqueza, segundo Hill.

É necessário ter o desejo de superar uma vida comum, trabalhar para isso e ter em mente que grandes fortunas não são construídas da noite para o dia. Quanto maior o planejamento e o prazo para investir, maiores e mais sólidos tendem a ser os ganhos (veja seis pensamentos pobre que impedem que você consiga enriquecer).

3) Não aplicar conhecimentos adquiridos

Para Hill, a educação consiste não tanto em obter conhecimento, mas, sim, aplicá-los na vida de forma efetiva e persistente. “Um homem costuma ser recompensado não pelo que sabe, mas pelo que faz com o que sabe”, diz o autor, no livro.

Apenas ter um diploma não torna uma pessoa bem-educada. Hill aponta que milionários geralmente vão atrás de conhecimento por si mesmos. 

4) Falta de disciplina

Para o autor, disciplina é sinônimo de autocontrole. Antes de querer organizar as finanças, por exemplo, é necessário controlar a si mesmo.

Isso vale para comportamentos nocivos à vida financeira, como gastar com o que se quer, e não com o que se precisa, e ter despesas maiores do que a renda mensal como uma forma de se recompensar pelo trabalho.

Gastar menos do que se ganha permite enriquecer, pois a folga no orçamento pode ser destinada aos investimentos e reservas financeiras. 

5) Procrastinar

O hábito de adiar tarefas é uma das maiores causas de fracasso financeiro, escreve Hill, em seu livro. “Muitas pessoas passam a vida esperando pelo momento certo para começar a fazer algo. Eu digo: não esperem”.

O conselho do autor é começar a agir com as ferramentas que se tem, mesmo que, a princípio, elas pareçam insuficientes. Isso vale para aplicações financeiras que exigem poucos recursos iniciais, mas são uma forma de começar a construir um patrimônio sólido.

6) Falta de persistência

A maioria das pessoas são boas em iniciar atividades, mas ruins em terminar. Segundo análise do autor, isso acontece porque é fácil desistir ao se deparar com os primeiros sinais de derrota. Mas o fato é que o fracasso não pode ser driblado sem persistência.

Se o plano é abrir um negócio ou começar um investimento, é necessário ter consciência de que não existem ganhos fáceis e rápidos, e que é preciso esperar para colher frutos. Geralmente, os rendimentos mais sólidos são obtidos em prazos mais longos. 

7) Negatividade

Se quiser ser rico, seus pensamentos positivos devem dominar os negativos. Ter uma visão negativa da vida, segundo o autor, repele e distancia pessoas do sucesso financeiro.

O pensamento de que ser rico é algo que está fora do controle e depende de sorte é uma maneira inconsciente de evitar o desafio de construir um patrimônio. A dica é quebrar esse ciclo e acreditar que esse objetivo pode ser conquistado com comprometimento e esforço.

8) Falta de poder de decisão

Para o jornalista, quem toma decisões com rapidez e as modifica de forma lenta com frequência obtém sucesso financeiro.

Por outro lado, aquele que demora para tomar decisões, mas muda de ideia com frequência, está mais propenso a fracassar neste objetivo.

9) Não correr riscos

Quem não corre riscos não tem muita opção a não ser aceitar o que recebe enquanto outros podem escolher, diz o autor no livro. Para Hill, o excesso de medo é tão nocivo quanto não ter medo algum. 

Prefira correr riscos administráveis. Na hora de investir, por exemplo, ao invés de colocar todo o dinheiro na aplicação considerada mais segura, prefira diversificar e monitorar os rendimentos de forma ativa para não ter surpresas no futuro (veja 5 clichês que impedem que você fique mais rico).

10) Trabalhar no que não gosta

Uma pessoa não pode ser bem-sucedida trabalhando em algo que não gosta, de acordo com Hill. Para ele, um passo essencial para enriquecer é se atirar a uma ocupação de coração aberto.

Isso porque as chances de obter a motivação necessária para acumular dinheiro em algo que não se gosta são reduzidas. Em vez de gastar energias maldizendo um emprego, é preferível buscar outro que traga mais incentivos.

11) Tentar enriquecer rápido

O jornalista americano alerta que quem quer enriquecer deve driblar o incontrolável desejo de ganhar muito dinheiro, mas gastando quase nada para isso. Para ele, o instinto ligado a jogos, que se traduz na riqueza rápida e fácil, leva milhares de pessoas ao fracasso financeiro.

Entre os exemplos, podemos citar apostar na loteria ou especular no mercado financeiro, confiando em grandes ganhos. Investir deve ser, na verdade, um jogo de longo prazo.

12) Gastar de forma indiscriminada

Alguém que gasta todo o dinheiro que ganha dificilmente irá se tornar rico, porque viverá com medo constante da pobreza.

Hill recomenda criar o hábito sistemático de poupar dinheiro todos os meses, destinando uma porcentagem fixa do salário para isso. “Ter dinheiro no banco dá coragem para barganhar e fazer negócios. Sem dinheiro, geralmente temos de aceitar o que nos é oferecido, e ficar contente com isso”.

13) Não ter reservas financeiras

Para Hill, não ter reservas financeiras é a causa mais comum de fracasso financeiro para quem decide começar um negócio.

Não ter recursos suficientes impede que se possa superar erros até que seja possível construir uma reputação, que irá tornar o negócio sustentável. 

Tópicos: Comportamento, Dinheiro, Educação financeira, Planejamento financeiro pessoal, Renda pessoal, Riqueza