São Paulo – A maioria das carteiras de ações boas pagadoras de dividendos se recuperou em julho, apresentando desempenho positivo. O bom desempenho da Bolsa ajudou, e o Ibovespa fechou o mês com alta de 1,64%. As ações mais recomendadas para o mês de julho foram novamente as da Telefônica e as da Tractebel, cada uma presente em sete carteiras.

As corretoras gostam das ações da Telefônica (Vivo) pela empresa ser líder de mercado no segmento de telefonia móvel, ter baixo endividamento e exposição ao mercado de telefonia fixa, o que lhe confere caráter defensivo e de alta distribuição de dividendos.

Já a Tractebel, maior geradora privada de energia, foi muito recomendada por ter baixa exposição ao câmbio, previsibilidade de resultados e bom desempenho operacional. Seus contratos de geração de energia já estão firmados e seu portfólio de clientes é diversificado. A Tractebel também apresentou fortes resultados no segundo trimestre e vai pagar 100% do lucro em dividendos agora em agosto.

Apesar dos impactos negativos que sofreu no ano passado, o setor de energia continua bastante presente nas carteiras bem defensivas. A Taesa, presente em três carteiras, não tem previsão de revisão tarifária ou vencimento de concessões de transmissão até 2015. A Alupar também está presente em três carteiras, devido a contratos longos e diversidade de atividades, tanto em geração quanto em transmissão.

Veja a seguir as carteiras recomendadas com ações que pagam bons dividendos para agosto, ou clique no nome da corretora para ir direto para a página onde está sua carteira recomendada:

Ágora/Bradesco
Ativa

Citi Corretora
Omar Camargo

Planner
Rico/Octo

Santander
Souza Barros

Um Investimentos
XP Investimentos

Ágora Corretora / Bradesco

Em julho, a carteira de dividendos da Ágora/Bradesco teve leve queda de 1,4%, acumulando queda de 4,4%.

Não foram feitas alterações na carteira para agosto.

A Ágora espera um retorno médio de 6,0% com dividendos em 2013 para sua carteira defensiva. As ações do BB Seguridade foram o destaque positivo de julho, ao passo que os papéis da Contax tiveram a maior queda, de 14%. Ainda assim foi mantida a recomendação de compra para esta ação, uma vez que os analistas acreditam que foi a conversão das ações preferenciais e ordinárias em units (uma espécie de pacote com ações preferenciais e ordinárias negociado como se fosse uma única ação) que prejudicou o desempenho das ações. No entanto, a corretora continua acreditando no potencial da ação, devido aos bons fundamentos da companhia e da expectativa de altos dividendos.

Ação Código Preço-alvo (dez/2013) Yield estimado (dez/2013)
Ambev AMBV4 R$ 95,00 2,60%
BB Seguridade BBSE3 R$ 22,40 4,90%
Cielo CIEL3 R$ 57,20 4,10%
Contax CTAX4 R$ 31,00 8,60%
Telefônica (Vivo) VIVT4 R$ 57,00 8,20%

Ativa

A carteira defensiva da Ativa teve leve valorização de 0,65% em julho. No ano, a carteira acumula queda de 1,65%.

Não houve alterações para a carteira de agosto.

Não houve comentários específicos sobre a manutenção da carteira.

Ação Código Preço-alvo Yield estimado (dez/2013)
Ambev AMBV4 ND 3,60%
Bradesco BBDC4 ND 3,70%
Equatorial EQTL3 ND 2,50%
Telefônica (Vivo) VIVT4 ND 7,10%
Tractebel TBLE3 ND 5,80%

Citi Corretora

A carteira Top Picks Dividendos apresentou alta de 1,40% em julho. No ano, a carteira apresenta alta de 4,1%.

Não foram feitas alterações na carteira para agosto.

Segundo o relatório, Ambev mostra iniciativas para o crescimento do volume de vendas combinadas com a resiliente estrutura de custos do setor. A Tractebel apresenta geração de caixa saudável no médio prazo, balanço sólido e melhora em governança corporativa nas transferências de ativos do controlador. A Ultrapar apresentou resultados recentes que superaram as projeções dos analistas e o consenso do mercado, e que devem continuar dando suporte às ações. Além disso, diz o relatório, o mercado precificou um risco de mudanças nas margens das distribuidoras recentemente, o que o Citi acredita ser pouco provável.

A Telefônica tem dividend yield elevado, fluxo de caixa forte e estável por conta da exposição ao segmento de telefonia fixa, a indicadores operacionais fortes, particularmente no mercado de telefonia móvel, onde a empresa é líder de mercado. E a CCR passa por um momento favorável em termos de resultados, com alguns projetos novos ganhando tração. Além disso, tem excelentes perspectivas de crescimento, considerando o amplo portfólio de projetos de infraestrutura que vão a leilão nos próximos anos.

Ação Código Preço-alvo (dez/2013) Yield estimado (dez/2013)
Ambev AMBV4 R$ 89,10 4,10%
CCR CCRO3 R$ 20,00 2,30%
Telefônica (Vivo)* VIVT4 ND ND
Tractebel TBLE3 R$ 35,70 6,90%
Ultrapar UGPA3 R$ 54,50 2,50%

(*) A cobertura desta ação foi descontinuada no início de março.

Omar Camargo

Em julho, a carteira de dividendos da Omar Camargo teve dividend yield zero e valorização de 2,05%, já com ajuste de proventos para os acionistas. No ano, o dividend yield é de 4,84% e a carteira desvalorizou 4,59%, já com ajuste de proventos para os acionistas.

Papéis incluídos: Alupar. Papéis retirados: Paraná Banco.

O bom desempenho da carteira da Omar Camargo em julho se deve à valorização dos papéis, uma vez que nenhuma das ações pagou dividendos. Porém, já houve o anúncio de distribuição da Tractebel, e AES Tietê e BB devem anunciar suas distribuições junto com a divulgação de resultados do segundo trimestre.

Para agosto, a corretora decidiu reduzir a exposição ao setor bancário, retirando as ações do Paraná Banco e deixando apenas as do BB. Foram acrescentados os papéis da Alupar, considerados defensivos e descontados. Com contratos de longo prazo para transmissão e geração de energia, a empresa não sofrerá, durante certo tempo, com o processo de renovação das concessões de energia. Boa execução, boa margem EBITDA e geração de energia que se mostra como um vetor importante de crescimento são os pilares da ação. Além disso, a Alupar deve pagar dividendos entre 8% e 9% em 2013 e 2014, diz o relatório.

Ação Código Preço-alvo (dez/2013) Yield estimado (dez/13)
AES Tietê GETI4 ND ND
Alupar ALUP11 ND ND
Banco do Brasil BBAS3 ND ND
Telefônica (Vivo) VIVT4 ND ND
Tractebel TBLE3 ND ND

Planner

A carteira de dividendos da Planner teve alta de 3,26% em julho e apresenta valorização de 5,03% no acumulado do ano.

Papéis incluídos: Grendene e Klabin. Papéis retirados: Cosan e Duratex.

Cosan foi retirada por já ter ficado “ex-dividendo” (sua cotação já considera os dividendos pagos, mas ainda não creditados aos acionistas). O retorno do dividendo sobre a cotação de fechamento de 31 de julho foi 1,71%. A Duratex também pagou proventos – no caso, Juros sobre Capital Próprio – e teve valorização de 3,1% em julho. Foi retirada para ser substituída por outra ação que possa pagar bons proventos.

A Grendene foi incluída por já ter anunciado o pagamento de dividendos que renderão 0,64%, pagos a partir de 14 de agosto. Além disso, a companhia teve forte resultado no segundo trimestre, com melhora de marketing, boas perspectivas de vendas nos próximos trimestres e ganho de participação de mercado. A Klabin pagará dividendos de 1,44% em relação à cotação de 31 de julho. A Planner acredita que a ação já sofreu o impacto do resultado negativo do período.

Ação Código Preço-alvo (dez/2013) Yield estimado (dez/13)
AES Tietê GETI4 R$ 25,55 10,90%
Eternit ETER3 R$ 12,00 4,20%
Grendene GRDN3 R$ 24,00 4,70%
Klabin KLBN4 R$ 11,50 2,00%
Tractebel TBLE3 R$ 41,00 5,30%

Rico/Octo Investimentos

Em julho, a Carteira Dividendos 8+ do Rico, home broker da Octo Investimentos, apresentou alta de 2,86%. Em 2013, a carteira tem queda de 3,32%.

Não houve alteração da carteira para agosto.

A Grendene e a Mahle Metal Leve sustentaram a alta da carteira do Rico em julho. Para este mês, a corretora mantém a carteira, “aliando empresas voltadas para o crescimento e que têm apresentado consistência na estrega de resultados”, diz o relatório.

Ação Código Preço-alvo Yield estimado
Alupar ALUP11 ND ND
Banco do Brasil BBAS3 ND ND
Coelce COCE5 ND ND
Grendene GRND3 ND ND
Mahle Metal Leve LEVE3 ND ND
Taesa TAEE11 ND ND
Tractebel TBLE3 ND ND
Vale VALE5 ND ND

Santander

A carteira de dividendos do Santander teve leve alta de 0,15% em julho. No ano, acumula queda de 8,36%.

Papéis incluídos: Ambev e Tractebel. Papéis retirados: Transmissão Paulista e BR Properties.

As ações da Transmissão Paulista foram retiradas pelo risco de o governo atrasar o reembolso da base de ativos, o que atrasaria o pagamento de dividendos referentes a 2012. Já a BR Properties deve ser prejudicada por um aumento na vacância dos imóveis no segundo semestre, bem como pela alta da taxa de juros.

A Ambev entra na carteira em função de seus bons resultados do segundo trimestre, que os analistas acreditam que vá impulsionar o preço das ações. A aprovação da unificação das classes de ações também deve otimizar a estrutura fiscal da empresa, o que vai liberar de 4% a 5% ao acionista em forma de Juros sobre Capital Próprio. Os bons resultados do segundo trimestre também levaram à inclusão de Tractebel, que deve pagar 100% do lucro em forma de dividendos em agosto.

Ação Código Preço-alvo (dez/2013) Yield estimado
Ambev AMBV4 R$ 101,25 3,83%
CPFL CPFE3 R$ 27,40 6,40%
Itausa ITSA4 R$ 13,00 4,90%
Telefônica (Vivo) VIVT4 R$ 58,00 8,00%
Tractebel TBLE3 Em revisão 5,54%
Ultrapar UGPA3 R$ 62,00 2,63%

Souza Barros

Não foi divulgado o desempenho da carteira de dividendos em julho.

Papéis incluídos: Tractebel. Papéis retirados: Contax.

Os critérios usados pela Souza Barros para as sugestões são liquidez, dividend yield maior que 3,0% no último ano e 6,5% nos últimos 24 meses, pagamento de dividendos constante nos últimos cinco anos e no máximo duas empresas por setor que se enquadrem nesses critérios. Não houve comentários específicos acerca da troca de papéis na carteira do terceiro trimestre do ano.

Ação Código Preço-alvo Yield estimado
Banco do Brasil BBAS3 ND ND
Cielo CIEL3 ND ND
CSN CSNA3 ND ND
Eternit ETER3 ND ND
Grendene GRND3 ND ND
Oi OIBR4 ND ND
Souza Cruz CRUZ3 ND ND
Taesa TAEE11 ND ND
Telefônica Vivo VIVT4 ND ND
Tractebel TBLE3 ND ND

Um Investimentos

A carteira de dividendos da Um Investimentos apresentou alta de 3,45% em julho. O desempenho no ano não foi divulgado.

Papéis incluídos: Multiplus. Papéis retirados: Bradesco.

A Multiplus foi acrescentada à carteira da Um devido a fatores como a expectativa de aumento na geração de receita em função de suas parcerias; por ser capaz de se beneficiar da expansão do setor de aviação comercial; e por ter dividend yield médio elevado, de 5,30%. Os analistas esperam bons resultados para a companhia no segundo trimestre, além do crescimento do mercado de fidelização, o que pode levar a mais parcerias com empresas de diferentes segmentos.

Ação Código Preço-alvo (dez/2013) Yield estimado
CCR CCRO3 R$ 22,22 ND
Cemig CMIG4 R$ 25,46 ND
Grendene GRND3 R$ 25,00 ND
Multiplus MPLU3 R$ 39,51 ND
Taesa TAEE11 R$ 26,00 ND

XP Investimentos

A Carteira XP Dividendos encerrou o mês de julho com queda de 1,91%, e no ano acumula valorização de 2,50%.

Papéis incluídos: BB Seguridade.

As ações do BB Seguridade foram incluídas porque têm bom potencial de valorização, elevado dividend yield, elevada capilaridade, e baixa probabilidade de serem afetadas por novas regulamentações.

Ação Código Preço-alvo Yield estimado
Alupar ALUP11 ND ND
Banrisul BRSR6 ND ND
BB Seguridade BBSE3 ND ND
Cielo CIEL3 ND ND
Equatorial EQTL3 ND ND
Telefônica (Vivo) VIVT4 ND ND

Veja no vídeo a seguir quando uma ação é boa pagadora de dividendos:

Tópicos: Carteira recomendada, Investimentos pessoais, Guia de Ações, Dividendos, Mercado financeiro, Renda variável