Educação financeira de jovem piora em 2014, diz pesquisa

Pesquisa avalia entendimento de conceitos financeiros, relação com o dinheiro e ações do entrevistado no dia a dia

São Paulo – O brasileiro manteve o mesmo nível de educação financeira em 2014 na comparação com o ano passado, mas a medição piorou entre os jovens, informou a Serasa Experian em pesquisa conjunta com o Ibope Inteligência, divulgada nesta quinta-feira, 07. Os componentes do índice também mostraram uma piora marginal.

O Indicador de Educação Financeira (IndEF) continuou em 6,0, mas os componentes de Conhecimento e Comportamento mostraram piora de 0,1 ponto, para 7,4 e 5,1, respectivamente.

A medida de Atitude se manteve em 6,3. O indicador possui escala de 0 a 10.

Os jovens apresentaram o pior desempenho: o grupo de 16 a 17 anos registrou queda na pontuação para 5,5, de 5,9. No grupo de 18 a 24 anos, a piora foi menor, para 5,8, de 5,9.

Apesar de o número geral permanecer estável, na passagem de 2013 para 2014 houve uma queda no número de pessoas que disseram registrar despesas superiores a receitas nos últimos 12 meses.

O porcentual de renda mensal comprometida com dívidas maior que 50% também declinou.

“Essas variações refletem uma postura mais cautelosa do consumidor brasileiro em 2014, em consequência do alto grau de inadimplência em 2013”, informou o documento de divulgação do indicador.

A categoria Conhecimento avalia o entendimento de conceitos financeiros. Atitude mede a relação do entrevistado com o dinheiro e Comportamento diz respeito às ações do entrevistado no dia a dia.

A pesquisa foi realizada entre os dias 10 e 14 de abril. Foram entrevistadas 2002 pessoas em 140 cidades de todos os Estados. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos.