Compare o custo de financiamento de carros em nove bancos

Levantamento da Proteste mostra que diferença de custo entre financiamentos pode chegar a 8,7 mil reais. Saiba como pesquisar

São Paulo – Levantamento da Proteste mostra diferença de até 8.741 reais entre financiamentos de um mesmo modelo de carro.

É o que acontece no financiamento de 60% do valor de um Ford Ka 1.0 SE (39.990 reais), parcelado em 48 vezes. Enquanto o financiamento do modelo em uma concessionária no bairro de Campinho, no Rio de Janeiro, tem Custo Efetivo Total (CET) de 18,39% ao ano, no Santander o CET aumenta para 35,49% ao ano.

No primeiro financiamento, o consumidor pagará, ao final do empréstimo, 33.226,08 reais pelo bem, enquanto no banco terá pago 41.968 reais.

Já caso o consumidor opte pelo parcelamento em 24 vezes, a maior diferença também é registrada no financiamento do modelo. Enquanto em uma concessionária de Campinho, no Rio de Janeiro, o financiamento tem CET de 17,57% ao ano; este custo sobe para 37,79% ao ano caso o financiamento seja contratado no Bradesco.

Caso escolha o financiamento no Bradesco, o consumidor pagará, ao final do empréstimo, 4.662,24 reais a mais do que pagaria no da concessionária da marca de Campinho. Enquanto na concessionária as parcelas mensais são de 1.178 reais, no banco esse gasto mensal sobe para 1.372,26 reais.

A associação de defesa do consumidor levou em consideração o CET porque esta é a melhor forma de avaliar um financiamento, pois inclui, além dos juros, outras taxas, como impostos, tarifas e seguros. Quanto menor o CET, mais em conta sairá o financiamento. Os bancos e concessionárias costumam não divulgar este dado, mas é um direito do consumidor saber qual é este valor antes de contratar o crédito.

Veja abaixo o resultado das simulações para cada modelo nos bancos tradicionais e nos bancos das montadoras:

FIAT UNO 2017 – 1.0 (R$ 38.900)

24 vezes 48 vezes
Banco Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Banco do Brasil 1202,60 23,49 735,35 24,36
Bradesco 1355,08 37,79 841,63 34,61
Caixa 1256,56 29,24 784,09 29,06
Itaú 1211,91 24,47 729,97 23,84
Santander 1278,18 31,57 798,95 30,49

Banco Fiat

Valor à vista: R$ 41.500

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Barra da Tijuca (RJ) 1332,00 28,38 770,20 23,07

Valor à vista: R$ 38.900

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Abolição (RJ) 1260,00 29,61 670 18,05

GOL 2017 – TRENDLINE 1.0 (R$ 38.900)

24 vezes 48 vezes
Banco Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Banco do Brasil 1202,60 23,49 735,35 24,36
Bradesco 1355,08 37,79 841,63 34,61
Caixa 1256,56 29,24 784,09 29,06
Itaú 1211,91 24,47 729,97 23,84
Santander 1278,18 31,57 798,95 30,49

Banco Volkswagen

Valor à vista: R$ 38.900

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Recreio 1.327 36,9 794 30,01

Valor à vista: R$ 39.000

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Vicente de Carvalho 1.332 37,07 809,52 31,31

ONIX JOY 2017 – 1.0 (R$ 39.990)

24 vezes 48 vezes
Banco Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Banco do Brasil 1238,73 23,76 757,44 24,51
Bradesco 1372,26 37,79 865,07 34,61
Caixa 1291,55 29,24 805,93 29,06
Itaú 1245,66 24,47 750,30 23,84
Santander 1308,86 31,05 874,41 35,49

Banco GMAC

Valor à vista: R$ 39.990

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Del Castilho 1.300 30,12 772 25,88

Valor à vista: R$ 39.990

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Barra da Tijuca 1.324 32,65 790 27,56

FORD KA SE 2017 – 1.0 (R$ 39.990)

24 vezes 48 vezes
Banco Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Banco do Brasil 1238,73 23,76 757,44 24,51
Bradesco 1372,26 37,79 865,07 34,61
Caixa 1291,55 29,24 805,93 29,06
Itaú 1245,66 24,47 750,30 23,84
Santander 1308,86 31,05 874,41 35,49

Banco Ford

Valor à vista: R$ 39.990

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Campinho 1.178 17,57 692,21 18,39

Valor à vista: R$ 39.990

24 vezes 48 vezes
Concessionária Parcela mensal (R$) CET (ao ano) % Parcela mensal (R$) CET (ao ano) %
Tijuca 1.297 29,81 766 25,31

As simulações para diferentes cenários mostraram que alguns bancos tradicionais oferecem condições de financiamento mais atrativas do que alguns bancos de montadoras. Contudo, é necessário ter disposição para encontrar, de fato, a melhor opção, já que a Proteste verificou que o CET do financiamento pode mudar conforme a concessionária escolhida.

Essa diferença de taxa pode ser expressiva dentro de uma mesma montadora. Na Ford, por exemplo, enquanto foi encontrado um CET de 17,57% ao ano na concessionária do bairro de Campinho, no Rio, na loja da montadora na Tijuca o CET cobrado subiu para 29,81% ao ano, uma diferença de 119 reais por mês nas parcelas e de 2.856 reais ao final do financiamento.

Ao comparar o custo do financiamento entre as concessionárias, o consumidor não deve descartar aquelas nas quais o preço do carro à vista é um pouco maior. Isso porque a loja pode oferecer custos menores no financiamento, o que pode compensar o valor adicional. Verifique sempre quanto irá pagar pelo bem ao final do empréstimo.

Renata Pedro, coordenadora da pesquisa, ressalta que os dados valem apenas como referência, já que as taxas nas concessionárias mudam semanalmente e o estudo foi feito em março. Os preços nas concessionárias foram coletados no Rio de Janeiro e podem ter variações em outros estados.

Metodologia

A associação de defesa do consumidor enviou em março questionários para quatro montadoras e oito bancos, mas só obteve resposta do BB, Itaú e Banco Ford. As informações sobre os demais financiamentos foram obtidas em visitas a agências e concessionárias.

Foram considerados na pesquisa financiamentos de 60% do valor do carro pela modalidade de Crédito Direto ao Consumidor (CDC), parcelados em 24 meses ou 48 meses. As simulações foram feitas para quatro modelos de carros populares e considera que os clientes paguem 40% do valor do bem como entrada ao contratar o empréstimo.

No CDC, o carro é comprado em nome do consumidor, mas fica alienado ao banco, servindo como garantia no caso de inadimplência. Ou seja, o banco poderá entrar com uma ação judicial para recuperar o carro. Neste caso, o bem será leiloado e a quantia arrecadada será usada para saldar a dívida e as despesas judiciais. Caso sobre algum valor, ele é devolvido ao comprador.

Nesta modalidade de financiamento, é possível quitar a dívida antes do término do contrato ou pagar as parcelas antecipadamente, com redução proporcional dos juros. Caso não consiga pagar as parcelas ou queira se desfazer do bem, o consumidor pode vender o carro e transferir a dívida.

Financiamento exige cautela

A Proteste ressalta que o financiamento de carro só vale para quem precisa do bem logo e não conseguiu juntar dinheiro suficiente para isso. Além disso, naturalmente, é necessário ter fôlego financeiro para arcar com as parcelas por um período longo, que varia entre dois e cinco anos.

Quanto mais alta a entrada, maior será as chances de obter um desconto e outros benefícios, e menor o custo com juros.

Veja também

No caso de financiamento em bancos tradicionais, para solicitar o crédito é necessário entregar o orçamento para compra do veículo. A Proteste recomenda que o valor financiado seja o mesmo valor da compra do carro à vista, já que o banco libera todo o dinheiro para a compra de uma só vez e a compra à vista geralmente rende um desconto na concessionária.

A Proteste também aconselha a não cair em algumas “ilusões”, como financiamentos com taxa zero. Apesar de chamativo, os custos da taxa podem ter sido transferidos para outra parte do financiamento. Por isso, é importante saber qual o custo total do financiamento, olhando o CET.

Geralmente, financiamentos com taxa zero exigem uma entrada superior aos demais, de cerca de 60% do valor do carro. O parcelamento do valor restante também costuma ser menor, em torno de 24 meses.