Como escolher a melhor corretora para o seu objetivo

Critérios para avaliar as instituições variam de acordo com o tipo de investimento que o poupador procura

São Paulo – Escolher uma corretora é mais do que se preocupar com atendimento, preço da corretagem e estabilidade do home broker. Principalmente porque hoje em dia as corretoras deixaram de ser apenas intermediárias na compra e venda de ações e derivativos para tentar agregar todos os investimentos de seus clientes, oferecendo ainda assessoria profissional e educação financeira.

Mais importante do que saber qual a melhor corretora do mercado, é essencial saber qual a melhor para o seu perfil. Os critérios para a escolha vão variar de acordo com o objetivo do investidor. Um sujeito que deseje apenas operar no Tesouro Direto e comprar fundos imobiliários, por exemplo, não precisa se preocupar tanto com corretagem, e pode dispensar home brokers sofisticados e aplicativos mobile.

Mas se tem um quesito do qual ninguém deve abrir mão é de um bom atendimento. “Das corretoras pesquisadas, escolha umas quatro ou cinco e teste os canais de atendimento. Faça perguntas e peça material adicional ao que está no site”, orienta Conrado Navarro, especialista em finanças da consultoria Dinheirama. Pode ser que você caia no atendimento eletrônico; ou pode ser que alguém responda a suas dúvidas prontamente. Teste o canal de chat online e verifique se é possível falar diretamente com os analistas e operadores.

Com isso em mente, é hora de pôr na balança os critérios para a escolha da corretora ideal. Veja a seguir o que levar em conta dependendo do objetivo de investimento:

Ações para o curto prazo

Quem opera com bastante frequência, como os day traders, deve considerar principalmente dois aspectos: taxa de corretagem e estabilidade do home broker. O primeiro quesito é mais fácil de mensurar. “A corretagem no mercado à vista pelo home broker varia de 2,90 a 25,21 reais, uma variação de quase dez vezes”, diz Frederico Skwara, CEO do site Bússola do Investidor, que fez um levantamento dos serviços e taxas praticados pelas 83 corretoras que atuam na BM&FBovespa. O guia permite ainda que os próprios clientes as avaliem, já contando com cerca de 18.000 resenhas.

Atualmente, as três corretoras que cobram as menores taxas de corretagem no mercado à vista são a Mirae (2,90 reais por ordem), a H. H. Pichionni, com seu home broker SpeedTrade (4,90 reais por ordem) e a Icap, com seu home broker MyCap (5 reais por ordem). “Para o sujeito que opera muito, esse valor faz uma boa diferença no fim do dia”, arremata Skwara.

Algumas oferecem ainda corretagem grátis a partir de determinado número de ordens por mês. É o caso do Banif, onde o cliente se torna isento de corretagem a partir da 81ª ordem no mês, ou da Spinelli, que não cobra essa taxa a partir da 11ª ordem do dia.

A estabilidade do home broker é um quesito mais difícil de mensurar. Uma boa dica é testá-lo antes de bater o martelo. Algumas instituições inclusive oferecem uma espécie de test drive, como a Icap e a Spinelli. “Há corretoras com um home broker muito básico e outras com plataformas cheias de ferramentas. A melhor coisa é usar o ambiente de teste. Os grandes bancos acabam ficando para trás no quesito tecnológico, pois a competitividade entre as corretoras independentes acaba levando-as a oferecer um serviço de ponta”, observa o CEO da Bússola do Investidor.


Outras funções que podem interessar a quem pretende operar com frequência são a oferta de relatórios de análise gráfica – hoje bastante comum – a presença de fóruns e de chats com analistas. De acordo com a Bússola do Investidor, as corretoras que possuem fórum são a Rico (home broker da Octo Investimentos), Icap, Banif, Spinelli, Ativa, Ágora e Alpes/Wintrade. Para quem gosta de acompanhar as cotações ao longo do dia e operar de onde estiver podem interessar também os aplicativos mobile. Eles já são oferecidos por várias corretoras, como a Petra, a TOV e a corretora do Itaú.

Ações para o longo prazo

Quem pretende investir em ações com uma visão mais de longo prazo deve também se preocupar em achar um bom home broker. Mas nesse caso a taxa de corretagem já não preocupa tanto. Afinal, se o objetivo é comprar ações e ficar com elas na carteira por um bom tempo, o custo mais importante é a taxa de custódia, cobrada mensalmente quando o investidor tem ativos custodiados. Em algumas corretoras, essa cobrança pode superar os 20 reais por mês.

Nesse caso, o investidor pode optar por uma das corretoras que não cobram essa taxa. De acordo com a Bússola do Investidor, são elas a corretora do Banco Alfa, Banif, Apregoa/Cruzeiro do Sul, Icap, MáximaTrade, Spinelli, Tendência e Título/Easynvest. É preciso apenas se certificar antes se a isenção é válida para qualquer cliente ou se apenas para aqueles que operarem pelo menos uma vez por mês.

Outro ponto sensível para esse investidor é a existência de carteiras recomendadas, bem como de relatórios baseados em análises fundamentalistas, com comentários a respeito de empresas e setores. “As corretoras dos grandes bancos acabam saindo na frente neste quesito, pois normalmente têm equipes amplas de profissionais, com análises para cada setor”, diz Frederico Skwara. Para quem está começando, também é uma boa ideia procurar uma corretora que ofereça cursos e palestras, com foco na educação financeira dos clientes.

Fundos imobiliários

Embora seja possível investir em fundos imobiliários por meio de qualquer home broker – uma vez que suas cotas são comercializadas em Bolsa como se fossem ações – é recomendável optar por corretoras que contem com especialistas na área. O mercado de fundos imobiliários ainda não se popularizou, a liquidez é baixa, e compreendê-lo não é tão simples quanto parece. Portanto, auxílio profissional pode ser valioso na hora de aplicar.

Algumas corretoras contam com especialistas na área. É o caso da Omar Camargo, primeira a oferecer carteira recomendada de fundos imobiliários, da Um Investimentos, da Coinvalores e da Petra, onde atua Sérgio Belleza Filho, especialista na área e responsável por estruturar o primeiro fundo imobiliário do país.


Tesouro Direto

Prefira as corretoras que não cobram taxa de administração e aquelas que são agentes integrados de custódia, isto é, cujo home broker está integrado ao sistema do Tesouro, o que facilita enormemente a vida do investidor. As corretoras que isentam o investidor de taxa são Banif, Socopa, Spinelli e Título/Easynvest. De acordo com o site do Tesouro Direto, destas, apenas as três primeiras são agentes integrados.

Também são agentes integrados a Ágora (taxa de 0,23% ao ano), a Alpes/Wintrade (0,40% a.a.), a Ativa (0,20% a.a.), Banco do Brasil (0,50% a.a.), Coinvalores (0,35% a.a.), Itaú Corretora (de 0,5% a 1% a.a.), Fator Corretora (0,25% a.a.), Gradual Corretora (0,40% a.a.), HSBC (0,30% ao ano) e Unibanco Investshop (de 0,35% a 0,50% a.a.).

Nas corretoras que não cobram taxa de administração, o investidor só terá de pagar as taxas devidas à Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC), de 0,3% ao ano de custódia e 0,1% por operação como taxa de negociação. A lista completa das corretoras que oferecem a possibilidade de negociação no Tesouro Direto e suas taxas de administração, você encontra aqui

Renda fixa privada

Assim como títulos públicos, os títulos de crédito privado também já são oferecidos diretamente à pessoa física. Debêntures, CDBs, Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) são oferecidos por algumas corretoras, que contam até com especialistas e relatórios na área.

Quem tem a intenção de diversificar seus investimentos utilizando crédito encontrará analistas de renda fixa em instituições como a XP Investimentos, a Omar Camargo, a Um Investimentos, a Fator Corretora e a SLW. As duas primeiras oferecem carteiras recomendadas desse tipo de ativo; e a XP chega a oferecer uma espécie de home broker de renda fixa, em que o investidor envia a ordem eletronicamente para a compra ou venda de um ativo, e os operadores da XP a executam.

Concentrar os investimentos num só lugar

Além dos grandes bancos, que já oferecem uma ampla gama de serviços a seus clientes, muitas corretoras independentes estão diversificando suas atividades de modo a levar os clientes a concentrar todas as suas aplicações em um só lugar. Além de Tesouro Direto, renda fixa privada, ações, opções, mini-contratos futuros e fundos imobiliários, aquelas que trabalham conjuntamente com uma asset costumam oferecer também fundos de investimentos nos quais os clientes de home broker podem investir com facilidade.