As ações mais recomendadas para novembro

Itaú Unibanco, Cielo e Ambev são as ações mais indicadas por corretoras para o mês de novembro

São Paulo – As ações do Itaú Unibanco foram as campeãs de recomendações para o mês de novembro. Os papéis do banco foram indicados em 12 das 20 carteiras recomendadas de ações recebidas por EXAME.com, que reúnem as indicações de compra de algumas das principais corretoras brasileiras para o mês de novembro.

Em seguida, aparecem empatadas as ações da Cielo e da Ambev, que foram indicadas por 11 corretoras cada uma. Em terceiro lugar, ficaram as ações da Suzano, presentes em dez das 20 carteiras.

Justificativas para as recomendações

Dentre as justificativas para a indicação do Itaú Unibanco (ITUB4), as corretoras citam o alto patamar da taxa básica de juros da economia, que permite aos bancos elevar os juros de suas operações de empréstimo e, consequentemente, seus lucros.

A Gradual Investimentos também destaca que as ações do Itaú devem ser beneficiadas pela expansão da companhia na América Latina, que deve ser potencializada após a fusão do Itaú Chile com o banco chileno CorpBanca. A Geral Investimentos também afirma que o Itaú mantém os melhores índices de rentabilidade do setor e uma política de controle de custos extremamente efetiva.

Dentre outros fatores, as ações da Ambev (ABEV3) foram fortemente recomendadas porque a empresa é líder de mercado no setor de bebidas e pela expectativa de crescimento no volume de vendas de cervejas premium. As corretoras também destacam que a empresa tem um forte potencial de expansão nas regiões Norte e Nordeste do país e mantém um rigoroso controle de custos, que a deixa relativamente protegida da crise econômica.

Por ser líder de mercado no setor de meios de pagamentos, a Cielo (CIEL3) também é vista como uma ação mais blindada contra os efeitos da crise. Analistas ressaltam que a empresa tem forte potencial de crescimento diante do aumento do volume de pagamentos com cartões no país e pela possibilidade de aumento da penetração dos pagamentos móveis. 

A Geral Investimentos também menciona a associação entre o Banco do Brasil e a Cielo, realizada neste ano. “Embora o volume de transações tenha se enfraquecido, os resultados da joint venture já podem começar a aparecer nos próximos trimestres, além do benefício que os serviços de antecipação de receitas têm trazido”, diz a corretora por meio de seu relatório.

Já a Suzano (SUZB5) é vista com bons olhos por analistas por apresentar resultados sólidos e constantes. De acordo com o Santander, a dinâmica saudável do preço da celulose internacional e a valorização do dólar devem impactar positivamente o resultado da companhia.

A recente inauguração da unidade fabril da Suzano no Maranhão, que tem impulsionado a produção da companhia, também é citada como justificativa para a indicação da ação.

Suspiro

Após três meses de queda, o Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, fechou o mês de outubro com alta de 1,79%. No acumulado do ano, o índice apresenta baixa de 8,3%.

Com um desempenho bem superior ao do Ibovespa, a carteira da Rico apresentou a maior rentabilidade do mês, uma alta de 7,75%. Na outra ponta, a Socopa apresentou o pior resultado do mês, queda de 5,15%.

Conforme destacam as corretoras, ainda que indicadores continuem sinalizando a deterioração da economia brasileira, a bolsa foi impulsionada pela maior entrada de capital estrangeiro, motivada tanto pela decisão do Fed, o banco central norte-americano, de segurar por mais algum tempo a manutenção dos juros básicos dos Estados Unidos, como pelo corte de juros na China, que foi interpretado pelo mercado como uma medida positiva para o crescimento da economia do país.

Com os juros mantidos em patamares baixos nos Estados Unidos, investidores tendem a migrar para outros mercados em busca de maiores rentabilidades, beneficiando as bolsas de países emergentes. Já as sinalizações de melhorias na economia chinesa influenciam a bolsa brasileira pois a China é um dos principais importadores de commodities do Brasil.

Veja, nas tabelas a seguir, as principais recomendações das corretoras para o mês de novembro:

Ativa

Desempenho em outubro: -1,88%. Desempenho no ano: +0,31%.

Não houve alterações na carteira.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 10,00%
BB Seguridade (BBSE3) ND 11,00%
BRF (BRFS3) ND 8,60%
Cielo (CIEL3) ND 10,20%
Equatorial (EQTL3) ND 15,50%
Itaú Unibanco (ITUB4) ND 10,30%
Petrobras (PETR4) ND 5,50%
Raia Drogasil (RADL3) ND 10,40%
Suzano (SUZB5) ND 8,90%
Valid (VLID3) ND 9,60%

BB Investimentos

Desempenho em outubro: -1,27%. Desempenho no ano: -7,70%.

Papéis incluídos: CPFL, Hypermarcas, Itaú Unibanco, Multiplus, Pão de Açúcar e Raia Drogasil. Papéis retirados: Cielo, Fibria, SulAmérica e Suzano.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 15,00%
Bradesco (BBDC4) ND 10,00%
CPFL (CPFE3) ND 12,50%
Hypermarcas (HYPE3) ND 7,50%
Itaú Unibanco (ITUB4) ND 10,00%
Multiplus (MPLU3) ND 7,50%
Pão de Açúcar (PCAR4) ND 7,50%
Raia Drogasil (RADL3)   7,50%
Taesa (TAEE11) ND 12,50%
Ultrapar (UGPA3) ND 10,00%

Bradesco

Desempenho em outubro: +7,4%. Desempenho no ano: -0,6%.

Papéis incluídos: EDP Energias do Brasil e Gol. Papéis retirados: Arteris e Cetip.

Ação Preço-alvo Peso
BB Seguridade (BBSE3) R$ 39,00 10,00%
CCR (CCRO3) R$ 17,00 10,00%
EDP Energias do Brasil (ENBR3) R$ 16,00 10,00%
Gol (GOLL4) R$ 7,00 10,00%
Hypermarcas (HYPE3) R$ 27,90 10,00%
Klabin (KLBN11) R$ 27,00 10,00%
M. Dias Branco (MDIA3) R$ 100,00 10,00%
Qualicorp (QUAL3) R$ 30,00 10,00%
SLC Agrícola (SLCE3) R$ 26,00 10,00%
Telefônica Vivo (VIVT4) R$ 52,00 10,00%

Citi

Desempenho em outubro: +2,08%. Desempenho no ano: +8,05%.

Papel incluído: Raia Drogasil. Papel retirado: JBS.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) R$ 24,00 10,00%
Cetip (CTIP3) R$ 37,40 10,00%
Cielo (CIEL3) R$ 50,00 10,00%
Cosan (CSAN3) R$ 37,00 10,00%
CPFL (CPFE3) R$ 23,00 10,00%
Embraer (EMBR3) R$ 30,60 10,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) R$ 39,09 10,00%
Klabin (KLBN11) R$ 23,50 10,00%
Raia Drogasil (RADL3) R$ 45,80 10,00%
Valid (VLID3) R$ 55,00 10,00%

Coinvalores

Desempenho em outubro: +2,02 %. Desempenho no ano: -9.52%.

Papéis incluídos: JBS, Itaú Unibanco e Hypermarcas. Papéis retirados: BRF, Fibria, Qualicorp.

Ação Preço-alvo Peso
AES Tietê (GETI4) ND 8,00%
Bradesco (BBDC4) ND 8,00%
Cosan (CSAN3) ND 10,00%
Embraer (EMBR3) ND 8,00%
Hypermarcas (HYPE3) ND 8,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) ND 8,00%
JBS (JBSS3) ND 8,00%
Petrobras (PETR4) ND 5,00%
Raia Drogasil (RADL3) ND 10,00%
Suzano (SUZB5) ND 8,00%
Vale (VALE5) ND 5,00%
Valid (VLID3) ND 8,00%
Weg (WEGE3) ND 6,00%

Elite

Desempenho em outubro: +1,28%. Desempenho no ano: -9,68%.

Papel incluído: Cielo. Papel retirado: Eztec.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 10,00%
BB Seguridade (BBSE3) ND 10,00%
Bradesco (BBDC4) ND 10,00%
BRF (BRFS3) ND 10,00%
Cielo (CIEL3) ND 10,00%
Fibria (FIBR3) ND 10,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) ND 10,00%
Petrobras (PETR4) ND 10,00%
Taesa (TAEE11) ND 10,00%
Vale (VALE5) ND 10,00%

Geral Investimentos

Desempenho em outubro: -4,61%. Desempenho no ano: +7,56%.

Não houve alterações na carteira.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 10,00%
BRF (BRFS3) ND 10,00%
Cielo (CIEL3) ND 10,00%
Fibria (FIBR3) ND 10,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) ND 10,00%
JBS (JBSS3) ND 10,00%
Sul América (SULA11) ND 10,00%
Suzano (SUZB5) ND 10,00%
Ultrapar (UGPA3) ND 10,00%
Valid (VLID3) ND 10,00%

Gradual Investimentos

Desempenho em outubro: +2,02%. Desempenho no ano: +2,20%.

Papéis retirados: Lojas Renner, Pão de Açúcar e Suzano. Papéis incluídos: Alpargatas, Smiles e Weg.

Ação Preço-alvo Peso
Alpargatas (ALPA4) R$ 10,99 10,00%
Ambev (ABEV3) R$ 20,14 10,00%
BM&FBovespa (BVMF3) R$ 12,85 10,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) R$ 33.86 10,00%
JBS (JBSS3) R$ 21.88 10,00%
Kroton (KROT3) R$ 12.97 10,00%
Porto Seguro (PSSA3) R$ 36,62 10,00%
Smiles (SMLE3) R$ 48,83 10,00%
Telefônica Brasil (VIVT4) R$ 47,90 10,00%
Weg (WEGE3) R$ 17,49 10,00%

Guide

Desempenho em outubro: -2,26%. Desempenho no ano: +0,98%.

Papéis incluídos: BR Malls e Hypermarcas. Papéis retirados: Raia Drogasil e Weg.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 15,00%
BR Malls (BRML3) ND 5,00%
Bradesco (BBDC4) ND 10,00%
BRF (BRFS3) ND 5,00%
Cetip (CTIP3) ND 10,00%
Embraer (EMBR3) ND 15,00%
Hypermarcas (HYPE3) ND 5,00%
Lojas Renner (LREN3) ND 10,00%
Suzano (SUZB5) ND 10,00%
Ultrapar (UGPA3) ND 15,00%

Lerosa

Desempenho em setembro: +0,06%. Desempenho no ano: -4,76%.

Papéis incluídos: Bradesco, Hypermarcas e Suzano. Papéis retirados: BRF, Minerva e Weg.

Ação Preço-alvo Peso
BB Seguridade (BBSE3). ND 10,00%
Bradesco (BBDC4) ND 10,00%
Cetip (CTIP3) ND 10,00%
Cielo (CIEL3) ND 10,00%
Hypermarcas (HYPE3) ND 10,00%
Itaú (ITUB4) ND 10,00%
Petrobras (PETR4) ND 10,00%
Suzano (SUZB5) ND 10,00%
Ultrapar (UGPA3) ND 10,00%
Vivo (VIVT4) ND 10,00%

Magliano

Desempenho em outubro: -1,82%. Desempenho no ano: -10,2%.

Não houve alterações na carteira de novembro.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) R$ 22,92 9,09%
Cielo (CIEL3) R$ 52,34 9,09%
Eletropaulo (ELPL3) R$ 16,28 9,09%
Gerdau (GGBR4) R$ 13,24 9,09%
Porto Seguro (PSSA3) R$ 46,20 9,09%
Raia Drogasil (RADL3) R$ 51,22 9,09%
Suzano (SUZB5) R$ 23,29 9,09%
Ultrapar (UGPA3) R$ 85,10 9,09%
Vale (VALE5) R$ 22,70 9,09%
Weg (WEGE3) R$ 22,70 9,09%

Quantitas

Desempenho em outubro: -1.75%. Desempenho no ano: -7.70%.

Papéis incluídos: BR Malls e Ultrapar. Papéis retirados: Fibria e Weg.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 9,10%
BR Malls (BRML3) ND 9,10%
Bradesco (BBDC4) ND 9,10%
CCR (CCRO3) ND 9,10%
Cielo (CIEL3) ND 9,10%
Itaúsa (ITSA4) ND 9,10%
JBS (JBSS3) ND 9,10%
Multiplan (MULT3) ND 9,10%
Telefônica Vivo (VIVT4) ND 9,10%
Ultrapar (UGPA3) ND 9,10%
Valid (VLID3) ND 9,10%

Rico

Desempenho em outubro: +7,75%. Como a metodologia da carteira foi alterada em junho, não foi divulgado o desempenho no acumulado de 2015.

Papéis incluídos: Cosan, Cemig, Natura, Qualicorp, Sabesp, Iguatemi e Telefônica Vivo. Papéis retirados: Ambev, Hering, Kroton, Minerva e Ultrapar.

Ação Preço-alvo Peso
BRF (BRFS3) ND 9,09%
Cemig (CMIG4) ND 9,09%
Cosan (CSAN3) ND 9,09%
Hypermarcas (HYPE3) ND 9,09%
Iguatemi (IGTA3) ND 9,09%
Localiza (RENT3) ND 9,09%
Localiza (RENT3) ND 9,09%
Natura (NATU3) ND 9,09%
Qualicorp (QUAL3) ND 9,09%
Sabesp (SBSP3) ND 9,09%
Telefônica Vivo (VIVT4) ND 9,09%

Santander

Desempenho em outubro: +7,26%. Desempenho no ano: -5,94%.

Papéis incluídos: Klabin. Papéis retirados: Telefônica Brasil e Weg.

Ação Preço-alvo Peso
Cetip (CTIP3) ND 11,00%
Cielo (CIEL3) ND 11,00%
Iochpe-Maxion (MYPK3) ND 11,00%
Linx (LINX3) ND 11,00%
Raia Drogasil (RADL3) ND 11,00%
Suzano (SUZB5) ND 11,00%
Ultrapar (UGPA3) ND 11,00%
Valid (VLID3) ND 11,00%
Weg (WEGE3) ND 11,00%

Socopa

Desempenho em outubro: -5,15%. Desempenho no ano: -11,86%.

Papel incluído: BB Seguridade Papel retirado: Pão de Açúcar.

Ação Preço-alvo Peso
BB Seguridade (BBSE3) ND 7,00%
BRF (BRFS3) ND 20,00%
Cielo (CIEL3) ND 10,00%
Ecorodovias (ECOR3) ND 10,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) ND 30,00%
Suzano (SUZB5) ND 13,00%

TOV

Desempenho em outubro: -1,10%. Desempenho no ano: +3,92%.

Papéis incluídos: Cetip e Hypermarcas. Papéis retirados: BRF, Klabin, Suzano e Tractebel.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 10,00%
Bradesco (BBDC4) ND 5,00%
Cetip (CTIP3) ND 10,00%
Cosan (CSAN3) ND 10,00%
Fibria (FIBR3) ND 10,00%
Grandene (GRND3) ND 10,00%
Hypermarcas (HYPE3) ND 20,00%
Itaú (ITUB4) ND 10,00%
Minerva (BEEF3) ND 10,00%
Porto Seguro (PSSA3) ND 5,00%

Um Investimentos

Desempenho em outubro: +0,19%. Desempenho no ano: -0,47%.

Papéis incluídos: Cosan, Par Corretora e Taesa. Papéis retirados: Ambev, Lojas Renner e SulAmérica.

Ação Preço-alvo Peso
Cielo (CIEL3) R$ 46,00 10,00%
Cosan (CSAN3) R$ 34,00 10,00%
Embraer (EMBR3) R$ 31,00 12,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) R$ 35,00 10,00%
JBS (JBSS3) R$ 21,00 12,00%
Par Corretora (PARC3) R$ 15,00 10,00%
Raia Drogasil (RADL3) R$ 42,20 8,00%
Suzano (SUZB5) R$ 23,00 10,00%
Taesa (TAEE11) R$ 23,00 10,00%
Tupy (TUPY3) R$ 23,10 8,00%

Walpires

Desempenho em outrubro: -2,67%. Desempenho no ano: +1,09%.

Papéis incluídos: BM&FBovespa, Bradesco, Hypermarcas, Iochpe-Maxion, Natura e Oi. Papéis retirados: Ambev, Cielo, Marfrig, Pão de Açúcar, Suzano e Ultrapar.

Ação Preço-alvo Peso
BM&FBovespa (BVMF3) ND 10,00%
Bradesco (BBDC4) ND 10,00%
BRF (BRFS3) ND 10,00%
Cemig (CMIG4) ND 10,00%
Copasa (CSMG3) ND 10,00%
Hering (HGTX3) ND 10,00%
Hypermarcas (HYPE3) ND 10,00%
Iochpe-Maxion (MYPK3) ND 10,00%
Natura (NATU3) ND 10,00%
Oi (OIBR3)    

Wintrade

Desempenho em outubro: +0,83%. Desempenho no ano: -3,74%.

Papéis incluídos: Cetip, Embraer, Iochpe-Maxion, Raia Drogasil. Papéis retirados: Alupar, BRF, JBS e Suzano.

Ação Preço-alvo Peso
Ambev (ABEV3) ND 10,00%
Cetip (CTIP3) ND 10,00%
Cosan (CSAN3) ND 10,00%
Embraer (EMBR3) ND 10,00%
Iochpe-Maxion (MYPK3) ND 10,00%
Itaú Unibanco (ITUB4) ND 10,00%
Klabin (KLBN11) ND 10,00%
Kroton (KROT3) ND 10,00%
Multiplus (MPLU3) ND 10,00%
Raia Drogasil (RADL3) ND 10,00%

XP Investimentos

Desempenho em outubro: +4,04%. Desempenho no ano: -2,8%.

Não foram realizadas alterações na carteira.

Ação Preço-alvo Peso
BB Seguridade (BBSE3) ND 20,00%
Cielo (CIEL3) ND 10,00%
Embraer (EMBR3) ND 7,00%
Itaúsa (ITSA4) ND 30,00%
Kroton (KROT3) ND 10,00%
SulAmérica (SULA11) ND 10,00%
Suzano (SUZB5) ND 13,00%