8 dicas para você manter o gosto por cerveja gastando menos

É possível consumir rótulos de qualidade sem pesar no bolso, segundo sommeliers. Veja como

São Paulo – Beba menos, mas beba melhor. Esse é o segredo para fazer uma economia inteligente quando se trata de cerveja, segundo sommeliers. Mesmo para consumir cervejas especiais, não é preciso gastar uma fortuna.

A seguir, especialistas dão dicas para você consumir bebidas com qualidade, sem gastar muito:

1. Aproveite promoções de cervejas próximas da data de vencimento

Supermercados e lojas grandes, que compram volumes maiores de cerveja para vender, costumam fazer promoções de produtos próximos da data de vencimento. Para alguns tipos de cerveja, no entanto, isso não é um problema, porque elas podem ser consumidas com segurança e sem perda de qualidade por um longo período após a fabricação.

“Cervejas mais alcóolicas, com teor acima de 7%, e mais escuras e complexas envelhecem bem e duram muito além da data de validade”, orienta a mestre cervejeira Kathia Zanatta, professora da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e diretora do Instituto da Cerveja. Para saber se uma cerveja é complexa, veja se no rótulo há descrições como “potente”, “marcante” ou “tostada”.

2. Prefira cervejas menos alcoólicas e encorpadas para economizar

Cervejas mais alcoólicas e encorpadas são mais caras, porque levam mais ingredientes. Mas as mais leves e refrescantes, com menos amargor e álcool, podem ter a mesma qualidade e ser mais baratas.

Dois estilos de cervejas que estão em alta podem ser mais em conta: as do tipo witbier, um estilo belga, de trigo, com cascas de laranja e coentro; e as do tipo session, uma versão mais leve de diversos estilos de cerveja. “Elas têm teor alcoólico de 5% e são uma versão mais barata, mas que entrega um aroma de lúpulo bem intenso e um amargor mediano”, descreve Kathia, da ABS.

3. Compre um growler (grow o quê?)

Growler é um tipo de embalagem para cerveja já bem conhecido em outros países, que começa a se popularizar por aqui. É uma garrafa de vidro ou de cerâmica grande, de 1 a 5 litros, que os consumidores carregam até a cervejaria ou o bar para encher de chope e levar para casa.

Vendido por cerca de 100 reais em bares especializados, um growler é um bom investimento porque garante economia, na avaliação de Kathia, da ABS. Algumas cervejarias e bares cobram mais barato para fornecer a bebida sem embalagem ou copo.

4. Reúna amigos para beber junto e pagar menos

É mais barato comprar cervejas especiais em quantidade, direto dos fornecedores. Reúna seus amigos ou participe de confrarias para fazer compras coletivas e degustar uma variedade maior de cervejas. 

“Você consegue provar mais rótulos, que dificilmente compraria sozinho, e ainda bate um bom papo”, sugere o sommelier de cervejas Edu Passarelli, sócio do bar Aconchego Carioca.

5. Pesquise preços com a ajuda de sites e aplicativos

Eventualmente, comprar cervejas pela internet pode ser mais barato, mas os sites e aplicativos são aliados especialmente para pesquisar preços.

O app Minhas Cervejas – Preços, para Android, por exemplo,  informa os preços das cervejas à venda na sua região, mostrando a data de atualização do valor e o local onde foi feita a consulta. Já o Calculadora de Bebida, também para Android, compara o preço entre embalagens diferentes e mostra o melhor custo-benefício.

O site Price Beer compara preços de lojas online e informa o preço médio da marca pesquisada e as lojas mais baratas e mais caras. Cadastre-se também nos sites das lojas especializadas em cerveja, para receber promoções por e-mail.

Outra dica é pesquisar as opiniões das pessoas sobre os rótulos, em apps como o Bier Tab Cervejas, para iOS e Android, uma espécie de rede social das cervejas. “Assim você erra menos na hora de comprar e acerta mais facilmente o produto de acordo com o seu paladar”, aconselha Edu.

6. Busque cervejas produzidas perto de você

Além de cervejas importadas serem mais caras, elas também chegam até você menos frescas, o que prejudica sua qualidade. Prefira consumir bebidas nacionais, fabricadas perto de você, pois a logística de transporte encarece o preço do produto.

“Fuja de bares tradicionais e prefira os que têm torneira de chope e produzem a própria cerveja, ou então beba em casa”, indica Edu.

7. Saiba reconhecer uma cerveja artesanal que vale o preço

No universo das cervejas vendidas como “artesanais”, pode haver uma diferença imensa de qualidade entre um produto e outro. Por isso, para economizar, vale estudar sobre o assunto.

“Cervejas artesanais são uma experiência gastronômica para desvendar sabores e aromas. Quanto mais você conhece, mais condições tem de escolher um produto com qualidade e preço bom na prateleira”, explica a sommelier Joyce Oliveira, gestora da Academia Barbante de Cerveja.

Quanto mais informações o rótulo tiver, melhor. Informações como o estilo da cerveja, o lugar de fabricação, o teor alcoólico e a temperatura ideal para consumo e dicas de harmonização indicam que a bebida é de qualidade.

8. Experimente fazer a própria cerveja

Produzir a própria cerveja é a forma mais barata de consumir a bebida, como sugere a sommelier Júlia Reis, professora da Sinnatrah Cervejaria Escola. Fazer um litro de cerveja de boa qualidade em casa pode custar cerca de cinco reais. Um kit básico, com panela adaptada, fermentador e termômetro, custa a partir de 600 reais.

Segundo Júlia, a produção própria compensa para o bolso especialmente se você vai fazer uma festa e vai oferecer a bebida em grande quantidade. “Vinte litros de cerveja custam mais ou menos 150 reais. Você não encontra cerveja artesanal de qualidade na gôndola por esse preço”, diz.