6 dicas para planejar o casamento, a festa e a lua de mel

Na hora de planejar o casamento, é importante manter o orçamento sob controle e os objetivos financeiros de longo prazo da nova família em mente

Em meio aos preparativos do tão esperado dia do casamento, é fácil que um casal perca o controle e ultrapasse seus limites de gastos.

Por isso, é importante manter o orçamento sob controle e os objetivos financeiros de longo prazo da nova família em mente, mesmo com a ansiedade à flor da pele, alerta a consultora de investimentos da Órama, Sandra Blanco.

A fim de apontar o melhor caminho financeiro até o altar, a especialista selecionou seis dicas para planejar a cerimônia, a festa e a lua de mel. Veja aqui como economizar com os detalhes da festa de casamento.

Afinal, é melhor juntar todo o dinheiro que o casal tem para os eventos em uma única aplicação ou em fundos de investimentos diferentes? O que é mais vantajoso e quais os fundos indicados? Confira a seguir:

1. Coloque o plano no papel

Após a decisão de dar esse grande passo, o primeiro a fazer é listar cada detalhe do que se quer fazer e estimar o custo de cada um, recomenda a consultora.

“Dá um trabalhão, mas todo grande projeto exige esforço e comprometimento”, lembra.

Na internet, você encontrará várias listas já prontas. Basta fazer o download de um delas e personalizá-la conforme seus sonhos e disponibilidade financeira: cerimônia, trajes, convites, recepção, música, flores, decoração, lua de mel etc.

2. Seja fiel ao plano

O casamento é um projeto duradouro, mas durante a fase dos preparativos da festa, o orçamento acaba sendo deixado de lado, segundo ela.

De acordo com pesquisa da empresa Quem Casa Quer Site, o custo médio de uma festa de casamento para 80 a 120 convidados fica em torno de R$ 40 mil.

Se levarmos em conta a inflação nesse período, esse valor já deve estar entre 10% e 20% superior. Ainda, de acordo com a mesma pesquisa, 50% dos casais gastam mais do que o planejado.

Diante dessas informações é muito importante ficar atento para não se desviar do planejado, sobretudo porque há muito emoção envolvida.

Antes de comprometer todo o dinheiro nos gastos do casamento, coloque os custos em perspectivas e pense que a vida continua depois que a festa acabar. Se você não seguir o orçamento, corre o risco de estourar as finanças antes que a lua de mel acabe.

3. Pagamento à vista ou parcelado?

Depende. Se o casal for organizado, os custos que não tiverem desconto para o pagamento à vista podem ser parcelados ou jogados mais pra frente.

Quando há desconto para o pagamento, em geral, vale pagar no ato, pois o desconto costuma ser maior do que deixar o dinheiro aplicado, explica Sandra.

4. De onde tirar o dinheiro?

Um ponto essencial a ser definido enquanto você mapeia o plano do seu casamento é como vocês vão bancar os gastos: se vocês possuem recursos aplicados? A família vai ajudar? Vão tomar dinheiro emprestado ou usar cartões de crédito?

O problema de fazer um casamento sem dinheiro é que você vai ter que pagar tudo de volta com juros. Não apenas o casamento vai ficar mais caro, mas vocês vão começar uma nova vida com uma sobrecarga financeira, lembra a consultora.

5. Evite as dívidas

As finanças costumam levar os casais ao desentendimento. As dívidas podem adicionar estresse ao casamento. Sabendo disso, não é melhor fugir das discussões?

Curtir o grande dia com uma situação financeira confortável é a melhor opção.

6. Após as comemorações…

Mesmo que vocês tenham dinheiro para pagar tudo, vale a pena limitar os gastos para o futuro que vai começar agora. Mesmo sabendo que o foco é o grande dia, vale o exercício de pensar no que mais vocês poderiam fazer com o dinheiro disponível.

Não poderia ser o suficiente para dar entrada num imóvel ou quitar algumas (ou todas) as outras dívidas? Se você investir esse dinheiro para futuro vai conquistar muito mais, sugere.

Por exemplo, suponha aplicar R$ 20 mil com retornos esperados de 12% ao ano. Em 20 anos, você pode ter R$ 193 mil, ou seja, quando as crianças forem para faculdade.

Ou, em 40 anos, você já estará próximo de se aposentar as economias realizadas no casamento podem valer aproximadamente de R$ 1,9 milhão.