AS MELHORES EMPRESAS PARA VOCÊ TRABALHAR 2013

Dúvidas

As empresas eleitas no ranking anual tornam-se referência para o mercado, atraem e retêm os melhores talentos, ganham a admiração de clientes e fornecedores. Além disso, o ranking publicado pela revista VOCÊ S/A tem outras vantagens:

Perguntas e Respostas Frequentes

Como é feita a pesquisa?

Ela consiste de dois questionários: um que é respondido pela empresa e outro que é respondido pelos funcionários. As empresas participantes da pesquisa têm um prazo para a devolução dos dois questionários, além do envio do Caderno de Evidências (um caderno detalhando as práticas de recursos humanos). Esse prazo varia em função da data da inscrição e do meio que a empresa escolheu para que seus funcionários respondam ao questionário (Internet ou cartão óptico). O prazo é maior se a companhia optar para que seus funcionários respondam o questionário via Internet. Essa vantagem existe porque a empresa ganha o prazo que seria usado para envio dos cartões de leitura óptica pelos Correios. As despesas com o envio são todas pagas pela Editora Abril.

O que é avaliado no Questionário da Empresa?

A primeira parte do Questionário da Empresa inclui informações gerais sobre a organização (o número de funcionários, missão, valores e grau de instrução da equipe, entre outros dados). A segunda parte entra na avaliação da empresa em si e inclui quatro categorias, que verificam não só as políticas e práticas de RH adotadas, mas também incluem questões para medir a consistência, a sustentabilidade e a abrangência dessas ações. O Questionário da Empresa, junto com o Caderno de Evidências, mais a nota dada pelo jornalista durante a visita, gera o Índice de Qualidade de Gestão de Pessoas (IQGP), que representa 30% da nota final da empresa.

E o Questionário do Funcionário avalia o quê?

O Questionário do Funcionário mede o que se chama de parte subjetiva da pesquisa, porque se baseia na percepção que as pessoas têm sobre a organização que as emprega, o trabalho em si, os chefes e os colegas. A pontuação obtida através desse questionário vale 70% na composição da nota final da empresa e avalia a empresa em quatro categorias: Identidade; Satisfação e Motivação; Aprendizado e Desenvolvimento; e Liderança.

Por que o Questionário do Funcionário tem peso maior na composição da nota final da empresa?

Por que a pesquisa foi criada para dar voz a quem mais entende da empresa em que trabalha: seus funcionários. Por isso, a opinião desse pessoal corresponde a 70% da nota da pesquisa.

E o que é o Índice de Felicidade no Trabalho?

É a nota final da empresa. Ou seja, tecnicamente, é o índice geral das melhores empresas. Ele é composto por: 70% da percepção dos funcionários (o IQAT, alcançado com o Questionário dos Funcionários); e 30% das políticas e práticas de RH (o IQGP, obtido pelo Questionário da Empresa e o Caderno de Evidências) e da visita dos jornalistas.

É a empresa que escolhe os funcionários que responderão ao questionário?

Não. Essa escolha é feita por um sistema de seleção randômica, que está disponível neste site (leia mais em Inscreva sua Empresa). A empresa deve convocar os funcionários que forem sorteados pelo sistema. Essa medida existe para evitar que as empresas manipulem as respostas dos funcionários. Aliás, a empresa não pode tentar influenciar, atrapalhar ou constranger os funcionários para responder ao questionário. Qualquer irregularidade deve ser comunicada pelo telefone 0800 7722011. Se as denúncias forem confirmadas pelas equipes da FIA e da VOCÊ S/A, a empresa será desclassificada.

Além do questionário que os funcionários respondem e o que as empresas preenchem, as empresas que participam da pesquisa são avaliadas de alguma outra maneira?

Sim. Todas as empresas pré-classificadas recebem a visita dos jornalistas da VOCÊ S/A. Essa visita compõe a nota da empresa e é eliminatória — caso sejam apurados fatos que contrariem os dados obtidos no Questionário do Funcionário e no Questionário da Empresa. Na etapa que antecede a escolha das 150 melhores, quando as notas das pré-classificadas estão muito próximas e variam pontos decimais, a visita dos jornalistas é utilizada como fator de desempate e leva em conta aspectos qualitativos e comparativos.

Quais são os critérios de pré-classificação das empresas?

Para ser pré-classificada, a empresa precisa ter um número mínimo de questionários respondidos pelos funcionários (esse número, chamado de amostra mínima, varia de acordo com o total de empregados); não ter zerado em nenhuma das categorias do Questionário da Empresa; ter nota mínima de 25 pontos no IQGP do Questionário da Empresa e estar entre as empresas que obtiverem as maiores notas de IQAT (no ano passado, tivemos 243 empresas pré-classificadas). Feito isso, as empresas pré-classificadas serão visitadas pelos jornalistas da VOCÊ S/A, no endereço indicado no ato da inscrição.

Este ano, alguma coisa mudou na metodologia?

Quase nada. Acrescentamos, além de questões para identificar características do RH brasileiro, questões específicas sobreutilização do modelo de Consultoria Interna em RH. No questionário dos funcionários o tema será Novas Carreiras. As categorias Remuneração e Desenvolvimento foram reformuladas com auxílio de especialistas da FIA nessas áreas. O envio do Book de Evidências continua sendo obrigatório para todas as empresas que se inscrevem na pesquisa. Caso ele não seja enviado, a companhia está automaticamente desclassificada. O sumário executivo será novamente enviado apenas de forma eletrônica e em duas versões: português e inglês. Houve uma pequena adaptação nos pesos das notas: a nota do funcionário continua representando 70% da nota total da empresa, porém a nota do jornalista passa a integrar a nota do IQGP da empresa (junto com o Questionário da Empresa e a análise do Caderno de Evidências), contribuindo com 30% da nota final. Seremos cada vez mais rígidos em relação a possíveis informações divergentes entre os dados informados pela empresa e a constatação da nossa equipe, seja via denúncia de funcionários ou visita dos jornalistas. Nestes casos, pode haver redução do IQGP da companhia ou até mesmo desclassificação.

Minha empresa pode ser desclassificada, mesmo que tenha nota e amostra mínima?

Sim. Estão passíveis de desclassificação as empresas que informarem ter práticas de RH que na prática não têm (quando comprovada pela nossa equipe); que de alguma forma obrigarem ou coagirem os funcionários a responder o questionário; que não sigam os critérios de seleção aleatória indicada nas instruções para escolher os respondentes; que recolham os questionários respondidos ou interfiram nas respostas dos empregados (MESMO QUE NÃO HAJA MÁ FÉ por parte da empresa); ou por alguma outra infração as regras do Guia.

A lista das melhores empresas para a mulher trabalhar também continua a ser publicada?

Não, não haverá uma lista das Melhores Empresas para a Mulher Trabalhar. A lista foi publicada uma vez, em 2003. Mas após várias conversas com executivos de recursos humanos e várias visitas às empresas, a equipe da VOCÊ S/A e da FIA optou por cancelar essa lista, uma vez que os empresários fazem questão de frisar que não possuem diferenças entre homens e mulheres, especialmente quando o assunto é gestão de pessoas. Isso não impede, porém, de o Guia publicar uma premiação especial à empresa que de fato fizer algo diferente – e consistente – para sua população feminina.

O que é preciso para que a empresa participe da pesquisa?

Ela deve ter no mínimo 100 empregados no momento da inscrição e estar operando no mercado brasileiro e/ou internacional há cinco anos ou mais.

Funcionários temporários, estagiários e funcionários terceirizados podem participar?

Não. Estagiários não participam e, desde o ano passado, terceirizados, mesmo que trabalhem na empresa participante em caráter exclusivo e permanente, não podem participar do processo.

Existe algum custo envolvido no processo?

Nenhum. Nem a empresa nem seus funcionários pagam para participar do processo. Todas as etapas são totalmente gratuitas.

As inscrições vão até quando?

As inscrições começam sempre em 1º de fevereiro e vão até 31 de março de cada ano.

A empresa fica sabendo o que os funcionários responderam no questionário?

Não. A participação dos funcionários é anônima e confidencial para a empresa e para a equipe da pesquisa. Somente a equipe da FIA e a da VOCÊ S/A têm acesso às respostas sem identificação dos respondentes. Os resultados sempre serão apresentados em forma consolidada.

O que a empresa pode fazer para estimular a participação dos funcionários na pesquisa?

Existem algumas maneiras de conseguir a adesão dos funcionários para responder à pesquisa, sem infringir nenhuma regra. Por exemplo:
- Organizar um cronograma interno para que os funcionários respondam ao questionário e reservar um dia ou dois, no máximo, para que eles façam isso.
- Junto com a senha de acesso ao sistema ou com o cartão de leitura óptica, a empresa pode mandar uma carta assinada pelo presidente solicitando a participação do funcionário e ressaltando a importância da pesquisa. Também deve informar o período em que ela ocorrerá na empresa. A empresa também pode enviar uma segunda carta para os funcionários, essa assinada pelo principal executivo de RH, para citar os procedimentos básicos e reforçar a confidencialidade da pesquisa.
- A empresa pode instalar urnas oficiais do Correio para que os próprios funcionários despachem a pesquisa — e assim evitar que eles tenham de ir a uma agência para postar o envelope. (Mas é proibido a empresa recolher os questionários dos funcionários.) Também é permitido colocar lembretes na intranet ou nos murais, falando do prazo para mandar as respostas de volta.
- No final do processo, a empresa deve enviar uma mensagem de agradecimento a todos os funcionários.

O que a empresa NÃO PODE FAZER DURANTE O PROCESSO?

A empresa não pode, em nenhum momento, obrigar o funcionário a responder à pesquisa ou atrelar qualquer tipo de bônus ou premiação para quem responder. Também é proibido coagir os funcionários a responder aos questionários; ou oferecer qualquer tipo de orientação durante o preenchimento, uma vez que trata-se de uma pesquisa sigilosa. Caso ele tenha dúvidas, deve recorrer ao número 0800 oferecido pela equipe do Guia, ou pedir ajuda a um amigo e/ou parente. Uma vez entregue a pesquisa, o funcionário deve se sentir à vontade para respondê-la. Caso a empresa opte por participar do processo por meio de cartão de leitura óptica, os questionários preenchidos devem ser colocados pelos próprios funcionários em uma urna lacrada (do próprio Correio). Os questionários JAMAIS devem ser recolhidos por qualquer departamento ou funcionário da empresa, sob pena de desclassificação.

Durante o processo, a empresa tem como saber o número de questionários respondidos?

Sim. Basta que a empresa use o login e a senha criados na hora da inscrição para acessar o sistema da Editora Abril e checar como está o processo. As empresas que optarem pelas respostas pela internet têm o número em tempo real. As demais devem aguardar o trânsito dos cartões de leitura óptica no Correio e, depois, a realização da leitura de dados. Esse processo pode atrasar a inserção das respostas no nosso sistema em até duas semanas.

Que prazo as empresas têm para enviar os questionários de volta?

O questionário da empresa é sempre respondido online. Quanto ao prazo para devolução do questionário dos funcionários, depende da opção feita pela empresa. Se a escolha foi para que eles respondessem ao questionário pela internet, o prazo de devolução é de 50 dias, a partir da data de postagem do lote de senhas de acesso ao sistema, feito pela Editora Abril. Agora, se a opção foi de que eles usassem cartões de leitura óptica, o prazo é de 40 dias, a partir da data de postagem do lote de cartões, pela Editora Abril. Por que essa diferença? Para estimular o uso da internet, que garante mais segurança e rapidez ao processo e porque os cartões precisam ser encaminhados para leitura óptica demorando mais tempo para a consolidação das respostas.

Como a empresa se rotula na hora de fazer a inscrição?

A empresa pode se nomear de três formas na hora que se inscreve:
- Como empresa — Isso pressupõe que todos os seus empregados, inclusive os que trabalham nas filiais, estão aptos a participar da seleção randômica, que escolherá aqueles que responderão à pesquisa.
- Como grupo empresarial — Os questionários devem ser respondidos por funcionários de todas as empresas do grupo.
- Como divisão de negócios — Um grupo pode escolher uma divisão/atividade/linha de negócios para ser avaliado. No caso, todas as empresas que fazem parte da mesma divisão/atividade/linha de negócios devem responder à pesquisa. A inscrição deve ser feita com o CGC/CNPJ principal daquela atividade. Essa mudança foi feita para evitar, por exemplo, que seja escolhida a melhor unidade para representar o grupo ou a divisão inteira. Assim, uma rede hoteleira não pode concorrer com apenas um de seus hotéis, mesmo que eles tenham CGC/CNPJ diferentes entre si. Deverão concorrer todas as unidades que pertencem à divisão/atividade/linha de negócios. Podem participar, no máximo, três divisões de negócio.

Entidades sem fins lucrativos e ONGs podem participar?

Sim. O procedimento é o mesmo utilizado com as empresas.

E as empresas públicas?

Elas também têm vez. Assim como com as ONGs, o procedimento para a participação é o mesmo utilizado pelas empresas privadas. Clique aqui para saber mais informações sobre Instituições Públicas

Quanto custa o sumário executivo que as participantes vão receber no final do processo?

Absolutamente nada. Esse documento, preparado pelos professores Joel Dutra e André Fischer, da Fundação Instituto de Administração (FIA), é uma espécie de diagnóstico da empresa em relação às outras participantes. O relatório mostrará o desempenho dos quatro indicadores que constam no formulário dos empregados: identidade; satisfação e motivação; liderança; e aprendizado e desenvolvimento. Também mostra com clareza o alinhamento entre duas realidades: aquela que a empresa acredita ser, e aquela que seus funcionários percebem. Com isso, ele se torna um instrumento importante na hora de criar estratégias para melhorar os pontos fracos.

Se houver alguma dúvida durante o processo, como é possível obter informações?

Se você é funcionário e está em dúvida sobre o questionário que recebeu, entre em contato com a equipe da VOCÊ S/A pelo telefone (11) 3037-4426 ou pelo e-mail melhoresempresas@abril.com.br.
Se você representa uma empresa e está com dúvidas sobre o Questionário da Empresa, entre em contato com a equipe da Fundação Instituto de Administração (FIA) pelo telefone: (11) 3818-4032 ou pelo e-mail melhoresempresas@fia.com.br. Neste hotsite (http://melhoresempresas2013.abril.com.br) ou no site da VOCÊ S/A (www.vocesa.com.br) também há muitas informações sobre a pesquisa. Em caso de dúvidas sobre o Questionário da Empresa, entre em contato com a equipe da Fundação Instituto de Administração (FIA) pelo telefone: (11) 3818 4032 ou pelo email melhoresempresas@fia.com.br. Neste hotsite (http://melhoresempresas2013.abril.com.br) ou no site da VOCÊ S/A (www.vocesa.com.br) também há muitas informações sobre a pesquisa.

E se eu não receber o e-mail de confirmação depois de completar o cadastro na Pesquisa das Melhores Empresas para Você Trabalhar?

Veja o que pode ter acontecido e como proceder nesse caso: - É possível que um filtro de spam (e-mail indesejado) esteja instalado no servidor da sua empresa e que tenha redirecionado este e-mail para uma pasta chamada "Lixo Eletrônico" ou "Spams" dentro de sua própria caixa postal. - Por favor, verifique se esta pasta contém uma mensagem cujo remetente é melhoresempresas@abril.com.br. Se isso ocorreu, remova a mensagem e guarde-a em uma nova pasta para que possa voltar a ela sempre que necessário durante a Pesquisa. - É importante também que você autorize o e-mail melhoresempresas@abril.com.br a enviar mensagens para sua caixa postal e para todas as pessoas as quais cadastrou durante a inscrição. Consulte o Suporte Técnico da sua empresa sobre como fazer isso.

O ranking das 10 melhores continua sendo publicado?

Não. Em 2011, a equipe da Você S/A e da Fia decidiram substituir o ranking das 10 Melhores por novas premiações e, assim, homenagear o esforço de companhias de diversos tamanhos, setores e locais. Desde então, o Guia passou a organizar as empresas de acordo com o seu segmento de atuação (e não mais por porte de acordo com o número de funcionários) — e a premiar a melhores empresas de cada setor (aquelas que obtiveram o melhor índice de Felicidade no Trabalho em casa setor). Outra novidade é a premiação da empresa revelação do ano — aquela que, entre as estreantes na pesquisa, recebeu a maior nota geral. A melhor empresa do ano (prêmio concedido desde 2000) continua existindo.

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados

(none)