São Paulo - O ano que vem não será de grandes reajustes salariais, uma realidade presente em todos os setores. O baixo crescimento do Brasil, que deve fechar o ano com um PIB de 0,24%, segundo projeção do relatório Focus, do Banco Central, fez com que as empresas retivessem os aumentos de suas equipes.

Como 2015 começará sob a expectativa de ajustes na economia, a tendência é que o cenário da grana permaneça morno. Essa é a conclusão do guia salarial da Robert Half, consultoria de recrutamento de São Paulo que mapeou como será a remuneração no país em 2015.

Apesar de ser um ano sem grandes emoções, 55% dos diretores de recursos humanos ouvidos pela consultoria dizem que haverá aumentos salariais, ainda que modestos. “As empresas não querem se comprometer com ajustes agressivos”, diz Fernando Mantovani, diretor da Robert Half.

Nesse contexto, os empregadores andam bastante desconfiados com currículos de pessoas que ficam menos de dois anos em um emprego. Há, no meio da pasmaceira, carreiras em alta — principalmente em áreas de apoio e controle de custos. Conheça a seguir os cargos que serão os mais valorizados (e vão pagar melhor) assim que o ano novo começar.

Engenharia

Há forte demanda por engenheiros, principalmente nas áreas de serviços, bens de consumo, varejo, telecom, energia, agronegócio e bens de capital.

Carreiras mais quentes: As empresas precisam reduzir custos e trabalhar com estruturas mais enxutas, por isso as áreas de planejamento, melhoria contínua e produtividade estão em alta. “A logística passa a ser vista como uma área estratégica para diminuir gastos e aumentar a eficiência”, diz Daniela Ribeiro, gerente sênior da Robert Half.

Como ser notado: A globalização das empresas exige que os engenheiros aprimorem o inglês. Quem tem bom relacionamento interpessoal e foge do perfil meramente técnico é raro e, por isso, mais procurado no mercado.

Salários em destaque: Coordenador de planejamento: aumento de 13%. Salários variam de 8 000 a 17 000 reais; Gerente de melhoria contínua: aumento de 11,5%. Salários variam de 12 000 a 26 000 reais; Diretor de logística: aumento de 5%. Salários variam de 20 000 a 50 000 reais.

Finanças e contabilidade

Há bastante cautela na hora de contratar pessoas para essas áreas, e os processos seletivos, embora rápidos, estão com mais etapas. “As estruturas das empresas passam por reavaliações, tornando as contratações mais pontuais e estratégicas”, diz Alexandre Attauah, gerente da divisão de finanças e contabilidade da Robert Half.

Carreiras mais quentes: Pelos próximos três anos, as áreas valorizadas são as que lidam diretamente com o controle de caixa, como setores de planejamento financeiro, controladoria e custos.

Como ser notado: Profissionais que vão além das atividades do dia a dia, que se integram com outras áreas e buscam ter uma visão geral da empresa onde trabalham são os mais procurados.

Salários em destaque: Analista contábil ou fiscal júnior: aumento de 13%. Salários variam de 2 500 a 4 200 reais; Gerente de planejamento financeiro: aumento de 10,5%. Salários variam de 9 000 a 27 500 reais; Diretor financeiro: aumento de 9%. Salários variam de 15 000 a 90 000 reais.

Tecnologia

Os profissionais de TI têm oportunidades em start­ups e em empresas de médio porte que estão internalizando a área. “Existe uma migração dos contratos de TI de pessoa jurídica para CLT”, diz Fábio Saad, gerente sênior da Robert Half.

Carreiras mais quentes: Especialistas em tecnologias como iOS e Android encontram empregos (e salários altos) por causa do boom de aplicativos. As indústrias de eletrônica, serviços financeiros e internet são as com mais potencial.

Como ser notado: Se o profissional for técnico, estar atualizado com as novidades do mercado é fundamental. Do lado comportamental, boa comunicação e espírito de liderança contam pontos.

Salários em destaque: Analista de ERP sênior: aumento de 17%. Salários variam de 8 000 a 17 000 reais; Analista de negócios sênior: aumento de 10,5%. Salários variam de 7 000 a 14 000 reais; Coordenador de sistemas: aumento de 10%. Salários variam de 8 500 a 17 000 reais.

Recursos humanos

A partir do segundo semestre de 2014, as contratações aumentaram e o mercado deu uma leve aquecida — tendência que deve se manter. As empresas se preocupam em fazer com que a área de RH seja estratégica e se aproxime da diretoria e da presidência.

Carreiras mais quentes: Além dos profissionais mais ligados à estratégia, vai se dar bem quem atua com remuneração e benefícios, setor para o qual as companhias têm olhado com cuidado. “É uma boa área para começar a carreira”, diz Mário Custódio, gerente da divisão de RH da Robert Half.

Como ser notado: Especialização pode ser uma estratégia certeira: há poucos profissionais altamente técnicos no mercado. O inglês ainda é uma habilidade que conta pontos e está em falta.

Salários em destaque: Coordenador ou especialista em remuneração e benefícios: aumento de 17%. Salários variam de
6 000 a 14 000 reais; Gerente de recursos humanos: aumento de 9,5%.Salários variam de 9 000 a 25 000 reais; Gerente de treinamento e desenvolvimento: aumento de 9%. Salários variam de 8 000 a 20 000 reais.

Mercado financeiro

A estagnação econômica aumentou a procura de profissionais que atuam nas áreas de apoio dos bancos. “É uma inversão do cenário que existia desde 2007, quando a procura era por pessoas­ que ficavam à frente das operações, como o gerente de crédito”, diz Ana Guimarães, gerente da divisão de mercado financeiro da Robert Half.

Carreiras mais quentes: Além do setor administrativo, vai se dar bem em 2015 quem trabalhar em áreas especializadas, como compliance, risco e auditoria. “As novas normas do Banco Central aumentam a necessidade desses profissionais”, diz Ana.

Como ser notado: Habilidades comportamentais, como bom relacionamento interpessoal e espírito de liderança, contam pontos. Para os técnicos, é preciso estar atento às regulamentações que não param de surgir.

Salários em destaque: Analista júnior de risco de mercado: aumento de 10%. Salários fixos de 4 700 a 7 400 reais; Gerente de auditoria: aumento de 6%. Salários fixos de 12 700 a 19 000 reais; Gerente de controladoria: aumento de 5%. Salários fixos variam de 11 500 a 18 000 reais.

Marketing e vendas

O setor de serviços puxa as contratações, e os profissionais em alta são mutitarefas e sabem gerar valor para as empresas.

Carreiras mais quentes: “O pós-venda é importante e, em marketing, o destaque é para o gerente”, diz Claudia Troca, gerente da divisão de marketing e vendas da Robert Half.

Como ser notado: A profissionalização da área comercial exige melhor formação universitária. Visão global e inglês são cruciais.

Salários em destaque: Supervisor de vendas: aumento de 9,5%. Salários variam de 5 500 a 12 000 reais; Gerente de marketing: aumento de 11%. Salários variam de 7 000 a 25 000 reais; 

Seguros

O dinamismo do mercado, com a entrada de seguradoras multinacionais e a abertura de startups especializadas em seguros e resseguros online, vai continuar. “A área comercial deixa de apenas vender seguros para pensar estrategicamente”, diz Alberto Lopes, gerente da divisão de seguros da Robert Half.

Carreiras mais quentes: O gerente comercial está em alta desde que tenha um papel mais consultivo. A área de apoio também se destaca porque as empresas estão de olho no pós-venda para não perder clientes.

Como ser notado: Quem tem uma carteira parruda de clientes, consegue fazer novos negócios e entende o mercado em que atua não fica sem emprego.

Salário em destaque: Analista de resseguros: aumento de 17,5%. Salários de 4 000 a 7 500 reais.

Jurídico

“Novos escritórios especializados procuram técnicos, e os generalistas têm chance nas empresas”, diz Mariana Horno, gerente sênior da Robert Half.

Carreiras mais quentes: O aumento do número de escritórios de nicho faz com que os especialistas sejam mais procurados — e os novos escritórios oferecem um pacote de remuneração fixa e variável compatível com o mercado.

Como ser notado: Para os especialistas, pega bem ter formação em universidades de primeira e pós-graduação global. Os generalistas devem ter credibilidade para transitar em várias áreas.

Salários em destaque: Advogado pleno consultivo trabalhista: aumento de 10%. Salários variam de 4 000 a 10 000 reais; Gerente jurídico de empresas: aumento de 19%. Salários variam de 11 000 a 23 000.

Tópicos: Reajustes salariais, Recursos humanos, Gestão de pessoas, Gestão