São Paulo - O Guia VOCÊ S/A — As Melhores Empresas para Você Trabalhar, que chega às bancas neste mês, traz um retrato detalhado das 150 organizações que são referência em boas práticas de RH.

O processo de escolha das melhores começa em janeiro, com a inscrição das empresas. Neste ano, 481 companhias públicas e privadas documentaram e submeteram suas políticas e práticas de gestão de pessoas ao escrutínio da Fundação instituto de Administração (FIA), parceira da VOCÊ S/A no projeto.

Na etapa final da pesquisa, os jornalistas da VOCÊ S/A foram a 234 instituições pré-selecionadas pela FIA, para entrevistas com funcionários de nível operacional, gestores e executivos de RH, viajando por 18 estados, mais o Distrito Federal, no total de 105 municípios. O resultado deste trabalho é um raio X dos melhores empregadores do país. 

O Google lidera pela primeira vez a seleção das 150 melhores empresas para trabalhar. O motivo é a alta  identifcação de seus empregados com os valores da empresa, cujo índice alcançou 94%. Prova disso é que os próprios funcionários se denominam "googlers" e nem sequer consideram mudar de emprego, salvo raras exceções.

Afinal, lá eles têm total autonomia não só para trabalhar mas também para montar seu plano de desenvolvimento. Todos recebem anualmente uma verba de 16.000 reais para fazer desde cursos de especialização até atividades livres que estimulem a criatividade, pois a imaginação no universo Google não deve ter limites.

Desde o início do ano, o Google está de sede nova, na avenida Faria lima, em São Paulo, e segue com os planos de expansão. Até o fim do ano, a empresa pretende fechar as 100 vagas que tem abertas. A maioria delas para profssionais da área comercial, de engenharia e marketing.

A seleção das públicas 

A grande novidade da 17ª edição do Guia VOCÊ S/A é um levantamento inédito sobre as práticas de gestão das instituições públicas brasileiras. Até o ano passado, qualquer organização do setor público podia concorrer a uma vaga no Guia, mas era analisada de igual para igual com as companhias privadas.

Para este ano, a FIA desenvolveu uma metodologia exclusiva para avaliar as estatais, levando em conta as especifcidades desse setor. Foram avaliadas 34 instituições públicas, e apenas cinco obtiveram nota para entrar no Guia das melhores empresas para trabalhar.

A Eletronorte, concessionária de serviço de energia elétrica para nove estados do Norte e do CentroOeste, conquistou a primeira posição entre as públicas. Em comum, as cinco instituições classificadas estão mexendo em questões consideradas espinhosas no setor público, como a mobilidade na carreira.

"As instituições de vanguarda estão ampliando os cargos para possibilitar mais movimentação interna sem ter de prestar um novo concurso", diz o professor Joel Dutra, da FIA, e um dos coordenadores da pesquisa que dá origem ao Guia.

É o que faz, por exemplo, o Banco do Brasil. Lá todo mundo entra com o ensino médio e não é preciso prestar um novo concurso para mudar de função. "Muitas instituições criam cargos muito específcos nos concursos e, à medida que o servidor faz algo além, entra como desvio de função, criando um passivo trabalhista enorme", diz Joel.

Mexer em questões como essas, aplicar ferramentas simples, como monitoramento de clima e canais de comunicação, e promover programas de desenvolvimento para o servidor são atitudes que valorizam o profssional público e melhoram a imagem da instituição. 

Vagas com ótimos benefícios

 O Guia VOCÊ S/A mostra ainda que os empregadores das melhores mantêm os planos de expansão, mesmo diante de um cenário econômico adverso. Juntas, as 150 companhias do Guia pretendem recrutar 39.000 profssionais.

Um exemplo é a FMC, multinacional de defensores agrícolas com escritório em Campinas, que no ano passado bateu sua meta de resultado financeiro pelo 11º ano consecutivo.

Como efeito, contratou 219 profssionais — um aumento de 50% no efetivo —, e mais 100 devem ser recrutados neste ano. Conseguir um vaga nas melhores é um bom negócio. Tanto pelo ambiente de trabalho quanto pelo pacote de remuneração. Considerando apenas
os benefícios, as melhores proporcionam benfeitorias acima da média de mercado.

Segundo um estudo com 700 empresas realizado pelo Insper/Hays, 90% das pesquisadas oferecem plano de saúde aos funcionários. Nas melhores, essa porcentagem sobe para 95%. Quando o assunto é previdência privada, 67% das melhores mantêm um plano de aposentadoria para seus empregados.

Nas companhias analisadas pelo Insper/Hays, apenas 52% fazem a oferta. Não é à toa que os funcionários das melhores deram nota 88 à afrmativa "A companhia atende adequadamente minhas necessidades de saúde e benefícios".

Tópicos: Banco do Brasil, Bancos, Empresas, Empresas brasileiras, Empresas abertas, Estatais brasileiras, Eletronorte, Empresas estatais, Serviços, FIA, Google, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, Melhores Empresas para Trabalhar, Recursos humanos, Gestão de pessoas, Gestão, Reputação de empresas