São Paulo - Lyoto Machida, de 35 anos, lutador de MMA (artes marciais mistas) de Belém, no Pará, foi faixa preta no início da adolescência e ganhou inúmeros torneios, como o Pan-Americano de Caratê em 2001. No MMA, Lyoto tem 19 vitórias e três derrotas.

No segundo semestre deste ano, deverá disputar o cinturão dos meios-pesados, título mundial que perdeu em 2010 para o brasileiro Maurício Shogun.

"É na queda que aprendemos mais", afirma Lyoto. Lutadores como ele têm lições para ensinar às outras carreiras. Longe do octógono, muitos executivos travam batalhas diárias para aprovar projetos, coordenar equipes e se destacar.

"Todo profissional precisa de confiança e preparo para realizar suas tarefas", diz Clara Linhares, professora de gestão de pessoas da Fundação Dom Cabral, de Minas Gerais.

"Os lutadores nos mostram a importância da intimidação, a capacidade de mostrar ao outro que você está no páreo e tão preparado quanto ele para a competição do mercado." A seguir, especialistas de carreira e nomes do MMA analisam o aprendizado que as artes marciais oferecem.

1 Mantenha o equilíbrio

"Em uma luta, o mais importante é vencer a si mesmo", diz Lyoto Machida. E isso só é possível, segundo ele, mantendo o equilíbrio emocional para deixar de lado o nervosismo, a ansiedade e o medo e colocar em prática tudo o que foi aprendido anteriormente.

De acordo com Irene Azevedo, diretora de negócios da LHH|DBM, no mercado atual, com recursos escassos e pressão por resultados, é essencial que o líder tenha controle sobre suas ações. "Um gestor de sucesso é aquele que consegue alternar comportamentos de acordo com a situação", diz.

2 Confie em você

A preparação mental de um lutador é tão importante quanto o treino físico para cultivar a confiança. A pesagem que antecede os combates, a manjada cena em que os dois atletas se encaram, é uma forma de demonstrar coragem e intimidar o adversário.

Ninguém vai encarar um concorrente no escritório, mas exibir quanto você acredita em sua capacidade é essencial. "Sem confiar em si mesmo, não há trabalho que dê certo", diz o baiano Rodrigo Minotauro, de 37 de anos, lutador de MMA.

3 Encare a luta

Sempre haverá divergências no trabalho, e fugir disso pode prejudicar sua carreira. Luiz Dórea, treinador brasileiro de lutas esportivas, que ficou famoso por ser técnico do ex-campeão do mundo de boxe Acelino Popó Freitas, lembra-se de uma luta de MMA de Junior Cigano, uma disputa pelo título mundial, em que o lutador sentiu dores no joelho e ficou receoso de entrar no octógono.

"Olhei para ele e disse quanto ele era capaz e estava preparado", diz. Segundo Luiz, as palavras fortalecem e fazem parte do treino. "Ele entrou e ganhou."

4 Tenha paciência

Para ganhar uma competição – seja na empresa, seja no octógono –, é preciso saber esperar a melhor hora de agir. Segundo Lyoto, três características são essenciais para um lutador vencer: calma, para analisar rapidamente qual a hora certa do ataque; potência, para acertar um golpe preciso e conseguir o nocaute; e resistência, para chegar inteiro ao fim de uma luta.

"Nem sempre a vitória vem rápido, a hora certa para o ataque pode demorar."

5 Respeite o adversário

Apesar de se tratar de uma luta, o primeiro gesto dos atletas é um cumprimento tocando os punhos – um sinal de respeito e profissionalismo. Achar que seu preparo, sua competência e sua formação são superiores a qualquer pessoa não ajuda em nada e pode colocar o profissional em uma armadilha.

"A vaidade em demasia pode acabar com a carreira", afirma Clara Linhares, da Dom Cabral. É importante lembrar que há outros profissionais se especializando tanto quanto você. 

6 Estude o oponente

Para vencer uma luta de MMA, o lutador precisa dominar várias técnicas e estudar a maneira de lutar de seu adversário.

"Estudar o adversário ajuda a montar a tática para conseguir a vitória", afirma Luiz Dórea. No ambiente corporativo não é diferente, segundo Irene Azevedo, da LHH|DBM. "Estudar o mercado, estar atento às tendências e ter objetivos claros é essencial", afirma.

Tópicos: Ambiente de trabalho, Comportamento, Inteligência emocional, Esportes, MMA