São Paulo (SP) - Lucrar quando a companhia vai bem, poder chegar e sair no horário que lhe convir, ter liberdade para falar o que quiser. Parece coisa de patrão? Mas não é. Na Promon, especializada em projetos de engenharia, todos os funcionários desfrutam desses benefícios.

A possibilidade de adquirir cotas de participação no negócio é um dos atrativos para os jovens, que consideram o investimento não só uma fonte interessante de receita mas também um importante elo de identificação com a companhia. "O fato de ser acionista faz com que você se sinta responsável pelo seu futuro", diz um jovem.

A flexibilidade de horários e a abertura dos líderes a novas ideias também ganham pontos com a nova geração, assim como a transmissão de conhecimento. Eles consideram a passagem pela empresa um carimbo no passaporte para ótimas oportunidades no mercado. “Quando você vem da Promon, o recrutador te olha com outros olhos, porque aqui realmente é uma escola”, diz um jovem.

Quando se trata de ficar na empresa, alguns jovens se frustram com a velocidade com que as oportunidades de assumir cargos de liderança chegam, mas admitem que é comum ver colegas deixar a companhia em busca de posições melhores e voltar depois de um tempo.

A forma como a participação nos resultados é definida também é motivo de polêmica, já que ela é vinculada ao relatório de desempenho. “Às vezes sua avaliação é boa, mas acaba sendo rebaixada em razão das cotas de bônus que o seu departamento tem para distribuir”, diz um funcionário.

De acordo com Márcia Fernandes Kopelman, diretora de relações humanas, as avaliações são feitas em base comparativa, por isso os resultados podem mudar, mas as decisões são tomadas em conjunto, com a participação de gestores de diversas áreas, para garantir que o processo seja justo. 

Ponto(s) positivo(s) Ponto(s) negativo(s)
A chance de assumir responsabilidades e as oportunidades de aprendizado no trabalho são valorizadas. As bolsas de estudos podem chegar a 100%. Muitos funcionários acreditam que seriam mais bem avaliadosse os feedbacks não fossem atrelados à participação nos lucros, e as promoções podiam ser mais rápidas.

Tópicos: Melhores Empresas para Começar a Carreira, Carreira jovem, Mercado de trabalho, Promon, Empresas