Porto Alegre (RS) - A Gerdau fez a sua primeira investida no exterior em 1980, quando começou a operação no Uruguai. Hoje, aos 111 anos de vida, a companhia tem pique para manter fábricas em 14 países da Europa, da Ásia e das Américas, empregar mais de 45.000 funcionários no mundo e produzir 25 milhões de toneladas de aço por ano.

Não à toa recebeu em 2012 o título de segunda empresa mais internacionalizada do Brasil pela Fundação Dom Cabral. E foi por causa dessa internacionalização que, no ano passado, a Gerdau fez uma grande revisão de sua missão e seus valores, pensando agora com cabeça global.

"Realizamos uma grande pesquisa envolvendo 1.000 pessoas", diz Denise Casagrande, diretora de desenvolvimento de pessoas. Nessa onda de revisão, a área de recursos humanos simplificou os processos de gestão de pessoas para facilitar e melhorar a administração de seu time.

De 12 processos, ficou com apenas três (atração e integração; desempenho, desenvolvimento e carreira; e engajamento e retenção), que valem tanto no Brasil como nos outros países. "A Gerdau está lutando para ser a melhor do mundo", reconhece um profissional de nível operacional de Porto Alegre (RS), onde fica a matriz.

Um dos destaques é o plano de carreira. Divididos na trajetória técnica e gerencial (conhecida no mercado como carreira em Y), os empregados dizem que o modelo "funciona mesmo". De forma geral, eles mudam de nível conforme cumprem a Matriz de Capacitação, responsável por indicar quais conhecimentos técnicos são necessários para cada função.

Também são avaliados pelo desempenho. "Quando termina, ao fazer treinamentos e provas, a pessoa ganha 8% de aumento e renova a matriz", diz um funcionário.

Quanto à avaliação de desempenho, a Gerdau é a única siderúrgica neste Guia a realizar um processo 360 graus para todos os níveis hierárquicos, no qual chefes, colegas de função e o próprio empregado (e às vezes até um comitê) são responsáveis pela análise da performance. A preocupação com a segurança, o incentivo ao voluntariado e os benefícios (inclusive desconto de 70% para remédios genéricos) agradam muito o pessoal. 

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
Em mais de 100 anos, nunca fechou o balanço financeiro no vermelho, o que garante os benefícios e as oportunidades de crescimento das pessoas. Nem todas as unidades oferecem ônibus fretado e, segundo os funcionários, falta estruturar melhor as oportunidades de carreira internacional.

Tópicos: Gerdau, Siderúrgicas, Empresas, Siderurgia, Siderurgia e metalurgia, Empresas brasileiras, Melhores Empresas para Trabalhar, Setores, Indústria, Revista VOCÊ S/A