Sertanópolis (PR) - Quem disse que uma empresa pequena não pode ter boas práticas de gestão e um ótimo clima organizacional? O Moinho Globo, fabricante de produtos para uso doméstico e industrial, prova que é possível. Com apenas 160 funcionários, a companhia, de Sertanópolis (PR), leva pelo segundo ano consecutivo o prêmio de melhor do setor. A produção de um moinho não tem muito segredo.

O que faz o Globo diferente é a sua capacidade de engajar os funcionários com diversos tipos de ações. Das mais simples, como a oferta de dez pães por dia a cada um deles e de cursos de panificação e mecânica aos familiares, às mais complexas, como a construção e venda de 135 casas para os empregados pelo valor de custo — que ficou até oito vezes menor que o preço de mercado.

Não é por acaso que é comum ouvir dos empregados declarações como "a empresa é divertida" e "aqui somos reconhecidos". Mesmo assim, a área de RH tem trabalhado para que o nível de comprometimento dos profissionais aumente. No último ano, por exemplo, os líderes perguntaram aos subordinados por que eles trabalhavam.

"Percebemos que causas próprias, como realizações pessoais, eram muito mais importantes do que todo o pacote de benefícios regular", diz Mario Trentini Neto, gerente de RH, algo que foi identificado também no conjunto de empresas deste Guia.

Diante disso, o projeto das casas, que já estava havia três anos em planejamento, finalmente será concretizado e, em frente ao terreno onde elas ficarão, será construída uma nova fábrica. Até 2014, o Moinho Globo tem duas metas a cumprir: duplicar sua produção e fazer com que todos os profissionais completem o Ensino Médio. 

"A empregabilidade futura deles depende disso", afirma Mario. Mesmo diante dessas mudanças, a companhia não perde o clima típico de uma organização pequena de uma cidade do interior — com pouco mais de 15.600 habitantes, Sertanópolis é uma daquelas cidades em que as pessoas se cumprimentam na rua e o sino da igreja é mais importante do que o relógio de pulso. "Aqui é preciso trabalhar simples, sem enfeitar", diz um funcionário, resumindo a cultura da empresa.

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
O acesso à alta liderança é livre e a empresa tem uma forte atuação social, com vários programas de saúde e sustentabilidade voltados à comunidade. De acordo com os funcionários, ainda faltam um mapa de carreira, uma política de cargos e salários formal e um programa de mentoria para os líderes.

Tópicos: Bens de consumo, Setores, Indústria, Indústrias em geral, Melhores Empresas para Trabalhar, Revista VOCÊ S/A